Acusado confessa a morte da ex-mulher em Itabaiana

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 06/06/2019 às 23:11:00

 

A Polícia Civil apresentou ontem os detalhes da prisão de Antônio Carlos de Souza Oliveira, o "Zé da Batata", autor do feminicídio que vitimou a sua ex-mulher, a feirante Jeane Pinho Almeida, 37 anos. O crime ocorreu no final da tarde dessa terça-feira, em Itabaiana (Agreste). 'Zé' foi preso cerca de 24 horas depois, em Malhador, e confessou o crime.
A vítima foi morta com disparos de arma de fogo, supostamente porque o autor não aceitava o fim do relacionamento. O homem chegou a ser preso antes do crime, mas saiu após 30 dias e continuou com as ameaças, até que, na última terça-feira, executou sua ex-mulher com cerca de quatro a cinco tiros.
De acordo com informações da delegada Josefa Valéria, do Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV) em Itabaiana, o autor disse que foram feitos quatro disparos, mas ainda tem que ser aguardado o laudo do IML para confirmar. A possível arma do crime, um revólver calibre 38, foi apresentada ontem pelo advogado do acusado, e vai ser encaminhada à perícia para comprovar se de fato foi o armamento utilizado no crime.

A Polícia Civil apresentou ontem os detalhes da prisão de Antônio Carlos de Souza Oliveira, o "Zé da Batata", autor do feminicídio que vitimou a sua ex-mulher, a feirante Jeane Pinho Almeida, 37 anos. O crime ocorreu no final da tarde dessa terça-feira, em Itabaiana (Agreste). 'Zé' foi preso cerca de 24 horas depois, em Malhador, e confessou o crime.
A vítima foi morta com disparos de arma de fogo, supostamente porque o autor não aceitava o fim do relacionamento. O homem chegou a ser preso antes do crime, mas saiu após 30 dias e continuou com as ameaças, até que, na última terça-feira, executou sua ex-mulher com cerca de quatro a cinco tiros.
De acordo com informações da delegada Josefa Valéria, do Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV) em Itabaiana, o autor disse que foram feitos quatro disparos, mas ainda tem que ser aguardado o laudo do IML para confirmar. A possível arma do crime, um revólver calibre 38, foi apresentada ontem pelo advogado do acusado, e vai ser encaminhada à perícia para comprovar se de fato foi o armamento utilizado no crime.