Mais de mil criadouros de Aedes aegypti foram eliminados em bairros que apresentaram alto risco no LIRAa

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Agente da prefeitura fiscaliza lavandeira no bairro Santo Antonio
Agente da prefeitura fiscaliza lavandeira no bairro Santo Antonio

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 06/06/2019 às 23:06:00

 

A Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), intensificou as ações nos bairros Industrial e Santo Antônio para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e febre chikungunya. No último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), estes dois bairros foram os únicos classificados como alto risco na capital.
"Juntamos os nossos agentes e visitamos todos os imóveis destes bairros, fazendo, inclusive, mutirões aos sábados. Também aplicamos o fumacê costal durante dois dias em cada bairro. Onde encontramos mais focos do mosquito, determinamos um raio de 300 metros quadrados de área da casa infestada e mantivemos um monitoramento", explicou o coordenador do Programa Municipal de Controle do Aedes aegypti (PMCA), Jeferson Santana.
No bairro Santo Antônio, o PMCA disponibilizou 148 agentes de combate às endemias, que visitaram 3.187 imóveis e encontraram 115 com focos do mosquito. Foram eliminados 530 criadouros, recolhidos 24 pneus e tratados 199 depósitos móveis que aparecem neste período de chuva.
Já no bairro Industrial, foram disponibilizados para a ação 151 agentes de combate de endemias, que visitaram 3.602 imóveis, sendo 97 com focos. "A maioria dos focos estava nas lavanderias ou em recipientes com água. Nossos técnicos orientaram e eliminaram 573 criadouros, recolheram 122 pneus e trataram 121 depósitos móveis. Atacamos as áreas prioritárias dos dois bairros com estas ações e com o apoio da população. Com isso, é bem provável que os números do próximo LIRAa, que será realizado em julho, sejam satisfatórios", destacou o coordenador.
Importância do LIRAa - O LIRAa é realizado a cada dois meses e serve como instrumento para nortear as ações de controle desenvolvidas pelo Programa Municipal. O último foi feito em maio e os bairros Industrial e Santo Antônio tiveram o índice acima de 4,0, considerado de alto risco. O levantamento apontou que dos 43 bairros da capital sergipana, 14 foram classificados em baixo risco (satisfatório), 27 bairros em médio risco (alerta) e dois com a classificação de alto de risco.
"A avaliação do LIRAa é fundamental. Através dele, e dos casos notificados, damos o direcionamento das intensificações das ações. Nossas atividades continuam nos bairros, conforme programação anual, mas ainda vamos intensificar no bairro Porto Dantas, que faz divisa com o Industrial, e no próximo sábado, 8, faremos um mutirão no Getúlio Vargas. Mas é importante dizer que mesmo atuando com mais intensidade, é preciso que a população que nos ajude, pois somente com a parceria e a colaboração das pessoas poderemos vencer o Aedes", enfatizou Jeferson.

A Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), intensificou as ações nos bairros Industrial e Santo Antônio para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e febre chikungunya. No último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), estes dois bairros foram os únicos classificados como alto risco na capital.
"Juntamos os nossos agentes e visitamos todos os imóveis destes bairros, fazendo, inclusive, mutirões aos sábados. Também aplicamos o fumacê costal durante dois dias em cada bairro. Onde encontramos mais focos do mosquito, determinamos um raio de 300 metros quadrados de área da casa infestada e mantivemos um monitoramento", explicou o coordenador do Programa Municipal de Controle do Aedes aegypti (PMCA), Jeferson Santana.
No bairro Santo Antônio, o PMCA disponibilizou 148 agentes de combate às endemias, que visitaram 3.187 imóveis e encontraram 115 com focos do mosquito. Foram eliminados 530 criadouros, recolhidos 24 pneus e tratados 199 depósitos móveis que aparecem neste período de chuva.
Já no bairro Industrial, foram disponibilizados para a ação 151 agentes de combate de endemias, que visitaram 3.602 imóveis, sendo 97 com focos. "A maioria dos focos estava nas lavanderias ou em recipientes com água. Nossos técnicos orientaram e eliminaram 573 criadouros, recolheram 122 pneus e trataram 121 depósitos móveis. Atacamos as áreas prioritárias dos dois bairros com estas ações e com o apoio da população. Com isso, é bem provável que os números do próximo LIRAa, que será realizado em julho, sejam satisfatórios", destacou o coordenador.

Importância do LIRAa - O LIRAa é realizado a cada dois meses e serve como instrumento para nortear as ações de controle desenvolvidas pelo Programa Municipal. O último foi feito em maio e os bairros Industrial e Santo Antônio tiveram o índice acima de 4,0, considerado de alto risco. O levantamento apontou que dos 43 bairros da capital sergipana, 14 foram classificados em baixo risco (satisfatório), 27 bairros em médio risco (alerta) e dois com a classificação de alto de risco.
"A avaliação do LIRAa é fundamental. Através dele, e dos casos notificados, damos o direcionamento das intensificações das ações. Nossas atividades continuam nos bairros, conforme programação anual, mas ainda vamos intensificar no bairro Porto Dantas, que faz divisa com o Industrial, e no próximo sábado, 8, faremos um mutirão no Getúlio Vargas. Mas é importante dizer que mesmo atuando com mais intensidade, é preciso que a população que nos ajude, pois somente com a parceria e a colaboração das pessoas poderemos vencer o Aedes", enfatizou Jeferson.