Sejesp ajusta detalhes para o Dia do Desafio

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/05/2019 às 10:06:00

 

Estão sendo acertados os últimos detalhes para o Dia do Desafio, competição entre cidades que tem como principal objetivo promover o fomento a atividades físicas. Este ano, o evento, que está em sua 25ª edição, acontece na próxima quarta-feira, 29, reunindo cidades, agrupadas de acordo com o número de habitantes, divididas em sete categorias.
A novidade deste ano é que a Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria Municipal da Juventude e do Esporte (Sejesp), desenvolveu um sistema exclusivo para que qualquer pessoa, empresa ou instituição possa fazer o registro da atividade física e, assim, seja computado o número geral de pessoas mobilizadas por toda a capital durante o Dia do Desafio. (http://www.desafioaju.com.br/ )
De acordo com o secretário municipal da Juventude e do Esporte, Antônio Hora Filho, é preciso incutir na consciência da população, que não é a Prefeitura de Aracaju quem está participando da competição. "Percebemos que a população, não encarava o desafio como sendo entre cidades e sim entre administrações municipais. E não é isso. Estamos tentando mudar esse pensamento para que o cidadão aracajuano, compreenda que esse desafio, que esse compromisso de ativar a nossa população para a atividade física, transcende a política de governo da prefeitura. A disputa é entre cidades", ressaltou Hora.
No Brasil, o evento é coordenado pelo Serviço Social do Comércio (Sesc) e tem como proposta uma competição amigável entre cidades do mesmo porte. Aracaju vai enfrentar Piracicaba no triênio (2018-2020). Ano passado, Aracaju ficou em 7º lugar na categoria Cidade x Cidade.
Para Antônio Hora Filho, a expectativa é das melhores, já que Aracaju tem no histórico a boa colação no ranking, além de ser reconhecida como uma cidade que estimula o bem-estar e qualidade de vida da população. "Estamos trabalhando intensamente na mobilização. Nos reunimos com parceiros, organização governamentais e não governamentais com a sociedade civil de maneira geral para criar esse vínculo que possibilidade, não somente um lugar no ranking, mas uma cultura de mudança de hábito para a melhoria da saúde e qualidade de vida", frisou.

Estão sendo acertados os últimos detalhes para o Dia do Desafio, competição entre cidades que tem como principal objetivo promover o fomento a atividades físicas. Este ano, o evento, que está em sua 25ª edição, acontece na próxima quarta-feira, 29, reunindo cidades, agrupadas de acordo com o número de habitantes, divididas em sete categorias.
A novidade deste ano é que a Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria Municipal da Juventude e do Esporte (Sejesp), desenvolveu um sistema exclusivo para que qualquer pessoa, empresa ou instituição possa fazer o registro da atividade física e, assim, seja computado o número geral de pessoas mobilizadas por toda a capital durante o Dia do Desafio. (http://www.desafioaju.com.br/ )
De acordo com o secretário municipal da Juventude e do Esporte, Antônio Hora Filho, é preciso incutir na consciência da população, que não é a Prefeitura de Aracaju quem está participando da competição. "Percebemos que a população, não encarava o desafio como sendo entre cidades e sim entre administrações municipais. E não é isso. Estamos tentando mudar esse pensamento para que o cidadão aracajuano, compreenda que esse desafio, que esse compromisso de ativar a nossa população para a atividade física, transcende a política de governo da prefeitura. A disputa é entre cidades", ressaltou Hora.
No Brasil, o evento é coordenado pelo Serviço Social do Comércio (Sesc) e tem como proposta uma competição amigável entre cidades do mesmo porte. Aracaju vai enfrentar Piracicaba no triênio (2018-2020). Ano passado, Aracaju ficou em 7º lugar na categoria Cidade x Cidade.
Para Antônio Hora Filho, a expectativa é das melhores, já que Aracaju tem no histórico a boa colação no ranking, além de ser reconhecida como uma cidade que estimula o bem-estar e qualidade de vida da população. "Estamos trabalhando intensamente na mobilização. Nos reunimos com parceiros, organização governamentais e não governamentais com a sociedade civil de maneira geral para criar esse vínculo que possibilidade, não somente um lugar no ranking, mas uma cultura de mudança de hábito para a melhoria da saúde e qualidade de vida", frisou.