Bombeiros controlam incêndio em igreja

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A fumaça despertou a atenção de vizinhos, que acionaram o Corpo de Bombeiros
A fumaça despertou a atenção de vizinhos, que acionaram o Corpo de Bombeiros

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 22/05/2019 às 23:43:00

 

Um curto circuito no quadro de energia da Igreja Evangélica Independente pode ter sido a principal causa do princípio de incêndio registrado na manhã de ontem. Localizada no conjunto Bugio, zona Oeste de Aracaju, a casa sagrada começou a apresentar sinais de fumaça ainda no início da manhã, por volta das 8h30, quando moradores vizinhos acionaram o Corpo de Bombeiros Militar (CBM), e optaram por deixar as respectivas residências por temer abrangência das chamas. Ao chegar no local indicado a corporação militar solicitou que a Companhia de Energia Elétrica fizesse o desligamento da rede a fim de minimizar riscos de explosões.
Apesar do susto, a Assessoria de Comunicação do Corpo de Bombeiros oficializou já no final da manhã que a ocorrência tratou-se de um sinistro considerado pelos técnicos de pequeno porte, bem como foi rapidamente controlado após a chegada da equipe da concessionária de energia - Energisa. Ainda de acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública, o êxito operacional se deu em virtude da atuação rápida dos moradores ao comunicarem o fato por meio do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) 190. Não houve registro de feridos. O CBM informou ainda que as chamas não atingiram imóveis vizinhos.
Mesmo sem demonstrar prejuízos à estrutura civil da igreja, um relatório técnico deve ser apresentado em até 30 dias úteis. Sem demonstrar possíveis riscos de colapso parcial ou total, a igreja não foi interditada e permanece liberada para a realização de atividades. "O susto maior realmente foi por causa da fumaça que era muita. Teve um momento que a rua teve que ser fechada por que a visão ficou ruim e poderia causar um acidente. Moro aqui perto e corri para cá quando vi a fumaceira. Pelos relatos que ouvimos um curto circuito realmente deve ter sido a causa desse susto", declarou ao JORNAL DO DIA, José Marcos Torres.
Recuperação - O princípio de incêndio na igreja foi a segunda ocorrência emergencial demandada à Energisa em menos de 24 horas. Na tarde da última terça-feira, 21, Paulo de Jesus Soares, funcionário de uma empresa de telefonia, recebeu uma descarga elétrica enquanto realizava reparos da rede em um poste na Rua Apulcro Mota, região central de Aracaju. Imediatamente atendido por profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a vítima foi conduzida à Unidade de Tratamento de Queimados do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), onde em caráter emergencial foi submetido a uma cirurgia plástica para retirada dos tecidos mortos.
Antes da chegada da equipe de resgate, a vítima ficou por volta de cinco minutos preso aos fios e em chamas. Apesar da cena forte, um boletim médico divulgado na manhã de ontem pela direção hospitalar indicou que Paulo de Jesus teve 30% do corpo queimado, mas está consciente, conversando com a equipe médica que o acompanha, e se recupera bem, dentro do previsto pelos profissionais. Mesmo com os avanços clínicos já contabilizados, o hospital informou que ainda é cedo para falar sobre alta médica. Um novo relatório clínico deve ser divulgado na manhã de hoje.

Um curto circuito no quadro de energia da Igreja Evangélica Independente pode ter sido a principal causa do princípio de incêndio registrado na manhã de ontem. Localizada no conjunto Bugio, zona Oeste de Aracaju, a casa sagrada começou a apresentar sinais de fumaça ainda no início da manhã, por volta das 8h30, quando moradores vizinhos acionaram o Corpo de Bombeiros Militar (CBM), e optaram por deixar as respectivas residências por temer abrangência das chamas. Ao chegar no local indicado a corporação militar solicitou que a Companhia de Energia Elétrica fizesse o desligamento da rede a fim de minimizar riscos de explosões.
Apesar do susto, a Assessoria de Comunicação do Corpo de Bombeiros oficializou já no final da manhã que a ocorrência tratou-se de um sinistro considerado pelos técnicos de pequeno porte, bem como foi rapidamente controlado após a chegada da equipe da concessionária de energia - Energisa. Ainda de acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública, o êxito operacional se deu em virtude da atuação rápida dos moradores ao comunicarem o fato por meio do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) 190. Não houve registro de feridos. O CBM informou ainda que as chamas não atingiram imóveis vizinhos.
Mesmo sem demonstrar prejuízos à estrutura civil da igreja, um relatório técnico deve ser apresentado em até 30 dias úteis. Sem demonstrar possíveis riscos de colapso parcial ou total, a igreja não foi interditada e permanece liberada para a realização de atividades. "O susto maior realmente foi por causa da fumaça que era muita. Teve um momento que a rua teve que ser fechada por que a visão ficou ruim e poderia causar um acidente. Moro aqui perto e corri para cá quando vi a fumaceira. Pelos relatos que ouvimos um curto circuito realmente deve ter sido a causa desse susto", declarou ao JORNAL DO DIA, José Marcos Torres.

Recuperação - O princípio de incêndio na igreja foi a segunda ocorrência emergencial demandada à Energisa em menos de 24 horas. Na tarde da última terça-feira, 21, Paulo de Jesus Soares, funcionário de uma empresa de telefonia, recebeu uma descarga elétrica enquanto realizava reparos da rede em um poste na Rua Apulcro Mota, região central de Aracaju. Imediatamente atendido por profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a vítima foi conduzida à Unidade de Tratamento de Queimados do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), onde em caráter emergencial foi submetido a uma cirurgia plástica para retirada dos tecidos mortos.
Antes da chegada da equipe de resgate, a vítima ficou por volta de cinco minutos preso aos fios e em chamas. Apesar da cena forte, um boletim médico divulgado na manhã de ontem pela direção hospitalar indicou que Paulo de Jesus teve 30% do corpo queimado, mas está consciente, conversando com a equipe médica que o acompanha, e se recupera bem, dentro do previsto pelos profissionais. Mesmo com os avanços clínicos já contabilizados, o hospital informou que ainda é cedo para falar sobre alta médica. Um novo relatório clínico deve ser divulgado na manhã de hoje.