Sindicatos discutem construção da Greve Geral

Política

 

Rumo à Greve Geral, a Reunião das Centrais Sindicais e Frentes aconteceu na segunda-feira, na sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE).
"Esta luta vai ser longa e precisamos de muita unidade até a vitória", a afirmação do professor Dudu, presidente da CUT/SE, encerrou a reunião que avaliou a vitória da Greve Geral da Educação e aprovou uma nova agenda de luta. Nesta sexta-feira, dia 24/5, haverá uma plenária com estudantes, professores e dirigentes sindicais às 15h no Hall da UFS para construir o protesto do dia 30 de maio.
A professora Ângela Melo, da Diretoria Executiva da CUT Nacional, ressaltou a importância deste movimento que cresce em apoio popular na luta em defesa da educação pública e do direito à aposentadoria.
"Esta foi uma reunião muito produtiva e nos prepara para dois momentos importantes: o dia 30 de maio e a Greve Geral do dia 14 de junho. Nos manteremos num estado de mobilização para o dia 14 de junho. Agora vamos construir o protesto do dia 30. Depois do sucesso da Greve Geral da Educação, a própria população aderiu à defesa de uma educação e uma universidade pública para todos, o que vinha sendo construído por uma politica de cotas. O Brasil precisa pagar esta dívida com os despossuídos, com a população indígena e afrodescendente, é um dos projetos que não aceita retroceder", avaliou a professora, ex-presidente do SINTESE.
Participaram da reunião, dirigentes da ADUFS, SINTUFS, SINDIPETRO, Mandato do deputado federal João Daniel (PT), Mandato do deputado estadual Iran Barbosa (PT), Oposição Petroleira (FUP), CNB, Psol, AssIBGE, SINTESE, Levante Popular da Juventude, Sindifisco, CTB, CSP-Conlutas, Sinditic, UGT, PCB/UJC, Coletivo Quilombo/UNE e Executiva Nacional da CUT.

Rumo à Greve Geral, a Reunião das Centrais Sindicais e Frentes aconteceu na segunda-feira, na sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE).
"Esta luta vai ser longa e precisamos de muita unidade até a vitória", a afirmação do professor Dudu, presidente da CUT/SE, encerrou a reunião que avaliou a vitória da Greve Geral da Educação e aprovou uma nova agenda de luta. Nesta sexta-feira, dia 24/5, haverá uma plenária com estudantes, professores e dirigentes sindicais às 15h no Hall da UFS para construir o protesto do dia 30 de maio.
A professora Ângela Melo, da Diretoria Executiva da CUT Nacional, ressaltou a importância deste movimento que cresce em apoio popular na luta em defesa da educação pública e do direito à aposentadoria.
"Esta foi uma reunião muito produtiva e nos prepara para dois momentos importantes: o dia 30 de maio e a Greve Geral do dia 14 de junho. Nos manteremos num estado de mobilização para o dia 14 de junho. Agora vamos construir o protesto do dia 30. Depois do sucesso da Greve Geral da Educação, a própria população aderiu à defesa de uma educação e uma universidade pública para todos, o que vinha sendo construído por uma politica de cotas. O Brasil precisa pagar esta dívida com os despossuídos, com a população indígena e afrodescendente, é um dos projetos que não aceita retroceder", avaliou a professora, ex-presidente do SINTESE.
Participaram da reunião, dirigentes da ADUFS, SINTUFS, SINDIPETRO, Mandato do deputado federal João Daniel (PT), Mandato do deputado estadual Iran Barbosa (PT), Oposição Petroleira (FUP), CNB, Psol, AssIBGE, SINTESE, Levante Popular da Juventude, Sindifisco, CTB, CSP-Conlutas, Sinditic, UGT, PCB/UJC, Coletivo Quilombo/UNE e Executiva Nacional da CUT.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS