Governo e BID trabalham na avaliação do desempenho fiscal do estado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Técnicos do BID estão em Sergipe analisando a situação fiscal do Estado
Técnicos do BID estão em Sergipe analisando a situação fiscal do Estado

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 15/05/2019 às 01:10:00

 

Até a próxima sexta 
(17), o Governo do 
Estado promove um ciclo de discussão com vistas à avaliação do desempenho fiscal e elaboração de ferramentas estratégicas em busca da eficiência da gestão financeira em Sergipe. Na agenda de trabalho, técnicos das secretarias de Fazenda (Sefaz); Administração (Sead); Secretaria Geral de Governo (SEGG), Transparência e Controle (SETC) e de Governo (Segov), além da Procuradoria Geral do Estado (PGE) trabalham o "Diagnóstico BID MD-GEFIS - Avaliação da Maturidade e Desempenho da Gestão Fiscal do Estado".
O trabalho está sendo desenvolvido em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). De acordo com os técnicos do Banco, o desempenho fiscal de um governo é resultado de três elementos: o arcabouço normativo que impacta a arrecadação e os gastos públicos; as decisões políticas que dão o direcionamento estratégico; e a eficiência da gestão fiscal. Os técnicos destacam ainda que a realização de um trabalho como esse é importante no sentido de encontrar formas mais eficientes na atuação do Estado, pois a avaliação da maturidade fiscal permite identificar oportunidades de melhorias e subsidiar a priorização de iniciativas de modernização fiscal.
Entre os debates que estão sendo realizados constam discussões sobre as áreas de governança pública - gestão para resultados; gestão de pessoas; fiscalização e inteligência fiscal; planejamento e execução orçamentária; gestão de custos e gastos públicos; gestão da tecnologia da informação; políticas e gasto tributário; gestão de aquisições e materiais; e políticas, programação e execução financeira.
O secretário de Estado da Fazenda, Marcos Venícius Nascimento, afirma que há um empenho do Governo em trazer a missão técnica do BID, com intuito de auxiliar na continuidade dos investimentos realizados nos últimos anos na modernidade da gestão fiscal. "O Estado se preocupa em buscar novas práticas de gestão fiscal para aumentar a sua eficiência. É necessário incorporar práticas austeras de controle e monitoramento, investir na modernização da gestão pública para que o governo possa oferecer a prestação de um serviço de melhor qualidade ao cidadão".

Até a próxima sexta  (17), o Governo do  Estado promove um ciclo de discussão com vistas à avaliação do desempenho fiscal e elaboração de ferramentas estratégicas em busca da eficiência da gestão financeira em Sergipe. Na agenda de trabalho, técnicos das secretarias de Fazenda (Sefaz); Administração (Sead); Secretaria Geral de Governo (SEGG), Transparência e Controle (SETC) e de Governo (Segov), além da Procuradoria Geral do Estado (PGE) trabalham o "Diagnóstico BID MD-GEFIS - Avaliação da Maturidade e Desempenho da Gestão Fiscal do Estado".
O trabalho está sendo desenvolvido em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). De acordo com os técnicos do Banco, o desempenho fiscal de um governo é resultado de três elementos: o arcabouço normativo que impacta a arrecadação e os gastos públicos; as decisões políticas que dão o direcionamento estratégico; e a eficiência da gestão fiscal. Os técnicos destacam ainda que a realização de um trabalho como esse é importante no sentido de encontrar formas mais eficientes na atuação do Estado, pois a avaliação da maturidade fiscal permite identificar oportunidades de melhorias e subsidiar a priorização de iniciativas de modernização fiscal.
Entre os debates que estão sendo realizados constam discussões sobre as áreas de governança pública - gestão para resultados; gestão de pessoas; fiscalização e inteligência fiscal; planejamento e execução orçamentária; gestão de custos e gastos públicos; gestão da tecnologia da informação; políticas e gasto tributário; gestão de aquisições e materiais; e políticas, programação e execução financeira.
O secretário de Estado da Fazenda, Marcos Venícius Nascimento, afirma que há um empenho do Governo em trazer a missão técnica do BID, com intuito de auxiliar na continuidade dos investimentos realizados nos últimos anos na modernidade da gestão fiscal. "O Estado se preocupa em buscar novas práticas de gestão fiscal para aumentar a sua eficiência. É necessário incorporar práticas austeras de controle e monitoramento, investir na modernização da gestão pública para que o governo possa oferecer a prestação de um serviço de melhor qualidade ao cidadão".