Mulher é assassinada em provável assalto à casa

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 11/05/2019 às 15:17:00

 

Gabriel Damásio
A polícia investiga a mor
te de uma mulher que 
foi assassinada na madrugada deste sábado. Ana Paula Jesus dos Santos, 26 anos, foi agredida a golpes de martelo. Segundo as primeiras informações contadas à polícia, a casa dela, na Rua O, conjunto Dom Pedro I, teria sido invadida por desconhecidos que teriam rendido a vítima e o esposo dela, que também teria sido ferido com golpes de tijolo e acabou levado a um pronto-socorro. Ana Paula, por sua vez, foi achada morta no local, com profundas marcas de pancadas na cabeça. Ainda segundo testemunhas, os criminosos reviraram a casa em busca de objetos e teriam levado R$ 2 mil em dinheiro, que estavam guardados em uma gaveta. 
Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), o caso já começou a ser investigado e a principal tendência é de que o crime pode ter sido um latrocínio (roubo seguido de morte), pois os criminosos possivelmente sabiam da existência de dinheiro local. No entanto, todas as hipóteses possíveis para o caso estão sendo apuradas e nada foi descartado. A primeira versão, inclusive, já foi posta em dúvida por algumas fontes, pois os vizinhos da vítima, incluindo pessoas que moram no andar superior da casa, informaram não ter ouvido nenhum barulho estranho no térreo do imóvel, onde o casal morava.
Equipes da Polícia Militar e do Departamento de Homicídios da Polícia Civil (DHPP) estiveram no local para fazer os primeiros levantamentos, durante toda a manhã deste sábado. O corpo de Ana Paula foi levado ao Instituto Médico-Legal (IML) e em seguida para Itabaiana, onde aconteceram o velório e o enterro. 
Mais uma vítima - Embora a hipótese mais provável seja a de latrocínio, o caso registrado no Dom Pedro soma-se a outros casos de mortes de mulheres já ocorridas neste ano em Sergipe. Foram aproximadamente 10 casos registrados em todo o estado. Em sua maioria, os casos foram enquadrados como feminicídio (morte de mulheres por motivação machista ou pela condição do gênero). 
Um dos casos mais recentes foi o da professora Andréa Monte Santo Belizário, 37 anos, que foi morta a tiros em 2 de maio, quando chegava para trabalhar na Escola Municipal José Souza de Jesus, no bairro 17 de Março (zona de expansão). O autor do crime foi o subtenente Jefferson Mendonça de Santana, 47, que se matou em seguida. Quatro dias depois, em Simão Dias, a dona de casa Rosenil Anacleto do Nascimento, 48, foi assassinada dentro de casa, também a tiros. Segundo a polícia, crime foi executado pelo ex-genro e pelos irmãos dele, que foram presos. 
Um levantamento do Monitor da Violência, projeto realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) em parceria com o site de notícias G1, apontou que Aracaju é a 13ª capital com mortes de mulheres. Em relação a Sergipe, o número de casos vem caindo: foram 37 mortes violentas de mulheres em 2018, contra 64 casos de 2017 - representando uma queda de 42%. 

Gabriel Damásio

A polícia investiga a mor te de uma mulher que  foi assassinada na madrugada deste sábado. Ana Paula Jesus dos Santos, 26 anos, foi agredida a golpes de martelo. Segundo as primeiras informações contadas à polícia, a casa dela, na Rua O, conjunto Dom Pedro I, teria sido invadida por desconhecidos que teriam rendido a vítima e o esposo dela, que também teria sido ferido com golpes de tijolo e acabou levado a um pronto-socorro. Ana Paula, por sua vez, foi achada morta no local, com profundas marcas de pancadas na cabeça. Ainda segundo testemunhas, os criminosos reviraram a casa em busca de objetos e teriam levado R$ 2 mil em dinheiro, que estavam guardados em uma gaveta. 
Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), o caso já começou a ser investigado e a principal tendência é de que o crime pode ter sido um latrocínio (roubo seguido de morte), pois os criminosos possivelmente sabiam da existência de dinheiro local. No entanto, todas as hipóteses possíveis para o caso estão sendo apuradas e nada foi descartado. A primeira versão, inclusive, já foi posta em dúvida por algumas fontes, pois os vizinhos da vítima, incluindo pessoas que moram no andar superior da casa, informaram não ter ouvido nenhum barulho estranho no térreo do imóvel, onde o casal morava.
Equipes da Polícia Militar e do Departamento de Homicídios da Polícia Civil (DHPP) estiveram no local para fazer os primeiros levantamentos, durante toda a manhã deste sábado. O corpo de Ana Paula foi levado ao Instituto Médico-Legal (IML) e em seguida para Itabaiana, onde aconteceram o velório e o enterro. 

Mais uma vítima - Embora a hipótese mais provável seja a de latrocínio, o caso registrado no Dom Pedro soma-se a outros casos de mortes de mulheres já ocorridas neste ano em Sergipe. Foram aproximadamente 10 casos registrados em todo o estado. Em sua maioria, os casos foram enquadrados como feminicídio (morte de mulheres por motivação machista ou pela condição do gênero). 
Um dos casos mais recentes foi o da professora Andréa Monte Santo Belizário, 37 anos, que foi morta a tiros em 2 de maio, quando chegava para trabalhar na Escola Municipal José Souza de Jesus, no bairro 17 de Março (zona de expansão). O autor do crime foi o subtenente Jefferson Mendonça de Santana, 47, que se matou em seguida. Quatro dias depois, em Simão Dias, a dona de casa Rosenil Anacleto do Nascimento, 48, foi assassinada dentro de casa, também a tiros. Segundo a polícia, crime foi executado pelo ex-genro e pelos irmãos dele, que foram presos. 
Um levantamento do Monitor da Violência, projeto realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) em parceria com o site de notícias G1, apontou que Aracaju é a 13ª capital com mortes de mulheres. Em relação a Sergipe, o número de casos vem caindo: foram 37 mortes violentas de mulheres em 2018, contra 64 casos de 2017 - representando uma queda de 42%.