Por que o ministro Onyx atacou a UFS?

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 04/05/2019 às 07:26:00

 

* Antonio Samarone
O governo Bolsonaro declarou guerras as universidades públicas. Quais as motivações? Eliminar o "marxismo cultural", como diz Olavo de Carvalho; combater as "balburdias", como afirmou o inditoso ministro da educação; combater a ineficiência, como insinuou o ministro Onyx? Nada disso!
Por que esses ataques permanentes as universidades públicas?
Se esse corte anunciado de 30% do orçamento for executado, as universidades públicas não sobreviverão. Para não fecharem as portas, vão procurar outras fontes de receita. Entre elas, o pagamento de mensalidade pelos alunos. Com o discurso que irão priorizar o ensino básico e o fundamental, o governo Bolsonaro botará uma pá de cal no ensino gratuito nas universidades.
Essa é a principal motivação!
E por que a UFS foi escolhida como bode expiatório? Por puro preconceito! Sergipe, um estado pequeno, sem expressão econômica, no nordeste, como pode ter uma universidade pública com 1500 doutores, pensou o desinformado ministro. E partiu para desacreditar a UFS!
Só que dessa vez o ministro Onyx se deu mal. Ele não avaliou que a UFS foi construída, a duras penas, pelos sergipanos. Inclusive, com gente da elite provinciana envolvida. O ministro não sabia que a UFS tem raízes na sociedade, tem a alma dos sergipanos. Não é uma simples repartição que o governo federal põe e dispõe.
Depois da agressão do ministro Onyx a UFS, ficou visível o constrangimento dos eleitores de Bolsonaro nas redes sociais. Ninguém saiu em defesa do ministro, nem os mais apaixonados. Alguns ranzinzas ficaram com indiretas, piadinhas, fazendo-se de mal-entendidos: não foi bem isso! Onde ele mentiu, cadê os dados? Todos sem muita convicção...
Quando a UFS emitiu uma nota oficial, repondo a verdade, o silencio dos governistas foi uma confissão.
Mas a resistência está apenas começando! A universidade pública e gratuita é uma conquista do povo, berço de cidadania e liberdade.
* Antônio Samarone, médico, é professor da UFS (https://blogdesamarone.blogspot.com)

* Antonio Samarone

O governo Bolsonaro declarou guerras as universidades públicas. Quais as motivações? Eliminar o "marxismo cultural", como diz Olavo de Carvalho; combater as "balburdias", como afirmou o inditoso ministro da educação; combater a ineficiência, como insinuou o ministro Onyx? Nada disso!
Por que esses ataques permanentes as universidades públicas?
Se esse corte anunciado de 30% do orçamento for executado, as universidades públicas não sobreviverão. Para não fecharem as portas, vão procurar outras fontes de receita. Entre elas, o pagamento de mensalidade pelos alunos. Com o discurso que irão priorizar o ensino básico e o fundamental, o governo Bolsonaro botará uma pá de cal no ensino gratuito nas universidades.
Essa é a principal motivação!
E por que a UFS foi escolhida como bode expiatório? Por puro preconceito! Sergipe, um estado pequeno, sem expressão econômica, no nordeste, como pode ter uma universidade pública com 1500 doutores, pensou o desinformado ministro. E partiu para desacreditar a UFS!
Só que dessa vez o ministro Onyx se deu mal. Ele não avaliou que a UFS foi construída, a duras penas, pelos sergipanos. Inclusive, com gente da elite provinciana envolvida. O ministro não sabia que a UFS tem raízes na sociedade, tem a alma dos sergipanos. Não é uma simples repartição que o governo federal põe e dispõe.
Depois da agressão do ministro Onyx a UFS, ficou visível o constrangimento dos eleitores de Bolsonaro nas redes sociais. Ninguém saiu em defesa do ministro, nem os mais apaixonados. Alguns ranzinzas ficaram com indiretas, piadinhas, fazendo-se de mal-entendidos: não foi bem isso! Onde ele mentiu, cadê os dados? Todos sem muita convicção...
Quando a UFS emitiu uma nota oficial, repondo a verdade, o silencio dos governistas foi uma confissão.
Mas a resistência está apenas começando! A universidade pública e gratuita é uma conquista do povo, berço de cidadania e liberdade.

* Antônio Samarone, médico, é professor da UFS (https://blogdesamarone.blogspot.com)