Prefeitura de Aracaju reduz índices de reprovação e evasão escolar

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O diretor do DEB, Manuel Prado
O diretor do DEB, Manuel Prado

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 26/04/2019 às 23:22:00

 

Dados levantados 
pelo Ministério da 
Educação (MEC) sobre o fluxo, aprovação e evasão escolar da rede pública em todo o país indicam evoluções das escolas da rede municipal de ensino de Aracaju em 2018. O avanço nos indicadores em relação ao abandono, reprovação e aprovação escolar reafirmam, por mais um ano, o resultado positivo que vem sendo alcançado pelo projeto Qualidade do Ensino, iniciado em 2017. O projeto, que tem como objetivo a ascensão do ensino público, faz parte do Plano Municipal de Educação (PME) da Prefeitura de Aracaju.
Um dos principais objetivos do programa, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação da Aracaju (Semed), através do Departamento de Educação Básica (DEB), é diminuir o abandono escolar, visto que muitos estudantes que deixam de frequentar a escola acabam não voltando aos estudos. Por isso, de acordo com o diretor do DEB, Manuel Prado, dos três aspectos estudados pelo MEC, nos quais as escolas da rede municipal apresentaram melhorias em relação ao ano de 2017, a diminuição da evasão escolar é um aspecto muito importante a ser observado.
"Nosso objetivo é que a evasão chegue a 2%, e nós já chegamos a 2,4%, muito próximo do que está no planejamento estratégico do município. Em um ano, a gente diminuiu 0,8%. Parece pouco, mas é um número muito bom e é sempre importante destacar que combater a evasão escolar é um dos pilares do nosso projeto", destaca.
Mesmo com uma melhora do ano de 2017 para 2018, segundo Manuel Prado, comparando os dados atuais com os indicadores dos anos anteriores ao novo Plano Educacional, a progressão das escolas da rede municipal foi ainda mais significativa. "Considerando os últimos cinco anos, nós alcançamos o maior índice de aprovação na rede. Em 2013, por exemplo, a taxa de aprovação era de 78% e, em 2018, esse número foi de 83%. Esse crescimento de alunos aprovados acompanha a diminuição da evasão escolar em todos esses anos, isto representa um grande feito", comenta.
O diretor salienta, ainda, que o fato de mais alunos alcançarem a aprovação não significa que a qualidade do ensino esteja pior, ou  ainda, que haja uma facilitação para os estudantes serem aprovados. "Há uma ideia cristalizada no Brasil que reprovar significa um trabalho qualificado da instituição educadora, como se a reprovação do aluno fosse um testemunho do esforço da escola em qualificar os processos de aprendizagem, que naturalmente irão fazer reprovar aqueles que não estariam aptos a absorver o que estudaram, mas não é bem assim. Esse tipo de mito, infelizmente, ainda é responsável por um percentual significativo da retenção escolar. Estes dados mostram que há um ambiente escolar melhor e consequentemente o nível de ensino fica mais qualificado e mais alunos conseguem ser aprovados", analisa.

Dados levantados  pelo Ministério da  Educação (MEC) sobre o fluxo, aprovação e evasão escolar da rede pública em todo o país indicam evoluções das escolas da rede municipal de ensino de Aracaju em 2018. O avanço nos indicadores em relação ao abandono, reprovação e aprovação escolar reafirmam, por mais um ano, o resultado positivo que vem sendo alcançado pelo projeto Qualidade do Ensino, iniciado em 2017. O projeto, que tem como objetivo a ascensão do ensino público, faz parte do Plano Municipal de Educação (PME) da Prefeitura de Aracaju.
Um dos principais objetivos do programa, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação da Aracaju (Semed), através do Departamento de Educação Básica (DEB), é diminuir o abandono escolar, visto que muitos estudantes que deixam de frequentar a escola acabam não voltando aos estudos. Por isso, de acordo com o diretor do DEB, Manuel Prado, dos três aspectos estudados pelo MEC, nos quais as escolas da rede municipal apresentaram melhorias em relação ao ano de 2017, a diminuição da evasão escolar é um aspecto muito importante a ser observado.
"Nosso objetivo é que a evasão chegue a 2%, e nós já chegamos a 2,4%, muito próximo do que está no planejamento estratégico do município. Em um ano, a gente diminuiu 0,8%. Parece pouco, mas é um número muito bom e é sempre importante destacar que combater a evasão escolar é um dos pilares do nosso projeto", destaca.
Mesmo com uma melhora do ano de 2017 para 2018, segundo Manuel Prado, comparando os dados atuais com os indicadores dos anos anteriores ao novo Plano Educacional, a progressão das escolas da rede municipal foi ainda mais significativa. "Considerando os últimos cinco anos, nós alcançamos o maior índice de aprovação na rede. Em 2013, por exemplo, a taxa de aprovação era de 78% e, em 2018, esse número foi de 83%. Esse crescimento de alunos aprovados acompanha a diminuição da evasão escolar em todos esses anos, isto representa um grande feito", comenta.
O diretor salienta, ainda, que o fato de mais alunos alcançarem a aprovação não significa que a qualidade do ensino esteja pior, ou  ainda, que haja uma facilitação para os estudantes serem aprovados. "Há uma ideia cristalizada no Brasil que reprovar significa um trabalho qualificado da instituição educadora, como se a reprovação do aluno fosse um testemunho do esforço da escola em qualificar os processos de aprendizagem, que naturalmente irão fazer reprovar aqueles que não estariam aptos a absorver o que estudaram, mas não é bem assim. Esse tipo de mito, infelizmente, ainda é responsável por um percentual significativo da retenção escolar. Estes dados mostram que há um ambiente escolar melhor e consequentemente o nível de ensino fica mais qualificado e mais alunos conseguem ser aprovados", analisa.