Preso acusado por golpes com dados de cartões de crédito

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Os dois homens acusados pelos golpes com cartões
Os dois homens acusados pelos golpes com cartões

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 23/04/2019 às 08:36:00

 

Gabriel Damásio
Agentes da Polícia Civil identificaram dois homens acusados de dar golpes envolvendo dados de cartões de crédito que eram repassados por vítimas enganadas pelo telefone. Um dos suspeitos, Diego Alves Pereira, foi preso no último dia 12, quando tentava comprar um aparelho celular usando cartões de crédito de um idoso que tinha sido vítima de um golpe. Ele foi localizado em um shopping da zona sul da capital por policiais da 11ª Delegacia Metropolitana (11ª DM), os quais foram acionados a partir de um alerta emitido pela Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC).
De acordo com a delegada Rosana Freitas, da DRCC, o acusado tentava efetuar uma compra com cartões de créditos obtidos a partir de um golpe intitulado "Golpe do Motoboy". A vítima tinha sido alvo do golpe na tarde do mesmo dia em que Diego Alves foi preso pelos agentes da 11ª DM. Com o registro do flagrante na Central de Flagrantes, as investigações foram repassadas e retomadas pela DRCC. Após diligências, a equipe conseguiu identificar duas outras vítimas do estelionatário. Uma delas, também idosa, reconheceu o acusado como o homem que foi até a residência, buscar os cartões, após o recebimento de um telefonema que informava sobre uma suposta fraude no cartão de crédito. 
Segundo a polícia, o "Golpe do Motoboy" consiste no recebimento de uma ligação, pelo telefone fixo, no qual a vítima recebe a informação de que foi registrada uma compra. O estelionatário pergunta se foi o dono do cartão que realizou a compra e, ao receber a resposta negativa, o golpista pede para que a vítima entre em contato com a central de atendimento do cartão, utilizando a mesma linha telefônica. Nesse momento, a vítima desliga o telefone, porém o golpista continua na linha. Desse modo, as informações são fornecidas pela vítima para o estelionatário. 
Ele solicita que sejam digitados o número do cartão e a senha; e sugere que a vítima corte o cartão de crédito, mas em seguida diz que pode disponibilizar um funcionário, que chegará em uma motocicleta, para que o cartão seja levado até a empresa fornecedora. A partir desse momento, o golpista tenta efetuar compras com os cartões obtidos por meio do golpe. Um segundo envolvido, ainda não identificado, teve a imagem gravada pelo circuito de câmeras de segurança de um prédio. A Polícia Civil divulgou as imagens e solicita que informações e denúncias podem ser repassadas por meio do Disque-Denúncia, no telefone 181. 

Gabriel Damásio

Agentes da Polícia Civil identificaram dois homens acusados de dar golpes envolvendo dados de cartões de crédito que eram repassados por vítimas enganadas pelo telefone. Um dos suspeitos, Diego Alves Pereira, foi preso no último dia 12, quando tentava comprar um aparelho celular usando cartões de crédito de um idoso que tinha sido vítima de um golpe. Ele foi localizado em um shopping da zona sul da capital por policiais da 11ª Delegacia Metropolitana (11ª DM), os quais foram acionados a partir de um alerta emitido pela Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC).
De acordo com a delegada Rosana Freitas, da DRCC, o acusado tentava efetuar uma compra com cartões de créditos obtidos a partir de um golpe intitulado "Golpe do Motoboy". A vítima tinha sido alvo do golpe na tarde do mesmo dia em que Diego Alves foi preso pelos agentes da 11ª DM. Com o registro do flagrante na Central de Flagrantes, as investigações foram repassadas e retomadas pela DRCC. Após diligências, a equipe conseguiu identificar duas outras vítimas do estelionatário. Uma delas, também idosa, reconheceu o acusado como o homem que foi até a residência, buscar os cartões, após o recebimento de um telefonema que informava sobre uma suposta fraude no cartão de crédito. 
Segundo a polícia, o "Golpe do Motoboy" consiste no recebimento de uma ligação, pelo telefone fixo, no qual a vítima recebe a informação de que foi registrada uma compra. O estelionatário pergunta se foi o dono do cartão que realizou a compra e, ao receber a resposta negativa, o golpista pede para que a vítima entre em contato com a central de atendimento do cartão, utilizando a mesma linha telefônica. Nesse momento, a vítima desliga o telefone, porém o golpista continua na linha. Desse modo, as informações são fornecidas pela vítima para o estelionatário. 
Ele solicita que sejam digitados o número do cartão e a senha; e sugere que a vítima corte o cartão de crédito, mas em seguida diz que pode disponibilizar um funcionário, que chegará em uma motocicleta, para que o cartão seja levado até a empresa fornecedora. A partir desse momento, o golpista tenta efetuar compras com os cartões obtidos por meio do golpe. Um segundo envolvido, ainda não identificado, teve a imagem gravada pelo circuito de câmeras de segurança de um prédio. A Polícia Civil divulgou as imagens e solicita que informações e denúncias podem ser repassadas por meio do Disque-Denúncia, no telefone 181.