Adema notifica Petrobras sobre vazamento de óleo em Riachuelo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
PROBLEMA FOI PROVOCADO POR FALHAS NA TUBULAÇÃO DA PETROBRAS E ACABOU ATINGINDO O RIO SERGIPE
PROBLEMA FOI PROVOCADO POR FALHAS NA TUBULAÇÃO DA PETROBRAS E ACABOU ATINGINDO O RIO SERGIPE

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 23/04/2019 às 08:27:00

 

Nesta segunda-feira 
(22), a Administra-
ção Estadual do Meio Ambiente (Adema) notificou, oficialmente, a Petrobras sobre o vazamento de óleo ocorrido na última quinta-feira (18), próximo ao Povoado Central, no município de Riachuelo, região da Grande Aracaju. O órgão ambiental mobilizou a sua equipe de fiscalização no dia do vazamento e entrou em contato com a estatal de petróleo para sanar o problema no mesmo dia.
O diretor-presidente da Adema, Gilvan Dias, explicou que, devido à ação direta do órgão junto à Petrobras, o derrame de óleo no rio já foi contido. A empresa fez o reparo no canal e removeu o óleo no córrego. O laudo com a identificação da causa e dos danos ambientais provocados pelo incidente ficará pronto em até 30 dias.
"Estamos com equipes de sobreaviso, mas a contenção do vazamento foi feita já que informamos ao diretor técnico da Petrobras para a imediata correção. Hoje eles foram notificados do acidente e iremos determinar a substituição dos tubos de aço que apresentaram vazamento por tubos de fibra epóxi", relatou o gestor da Adema.
Gilvan Dias ressaltou que a Adema continua monitorando a região e que outras empresas na área também foram notificadas. "Estive com equipes de campo acompanhando e fazendo análises da água em alguns pontos do Rio Sergipe, onde ocorreu o vazamento, no emissário da Fafen. Fiscalizamos a White Martins com o mesmo intuito. Estivemos também em outro local com mais um vazamento em campo da Petrobras, entre Malhador e Riachuelo", disse o diretor-presidente.

Nesta segunda-feira  (22), a Administra- ção Estadual do Meio Ambiente (Adema) notificou, oficialmente, a Petrobras sobre o vazamento de óleo ocorrido na última quinta-feira (18), próximo ao Povoado Central, no município de Riachuelo, região da Grande Aracaju. O órgão ambiental mobilizou a sua equipe de fiscalização no dia do vazamento e entrou em contato com a estatal de petróleo para sanar o problema no mesmo dia.
O diretor-presidente da Adema, Gilvan Dias, explicou que, devido à ação direta do órgão junto à Petrobras, o derrame de óleo no rio já foi contido. A empresa fez o reparo no canal e removeu o óleo no córrego. O laudo com a identificação da causa e dos danos ambientais provocados pelo incidente ficará pronto em até 30 dias.
"Estamos com equipes de sobreaviso, mas a contenção do vazamento foi feita já que informamos ao diretor técnico da Petrobras para a imediata correção. Hoje eles foram notificados do acidente e iremos determinar a substituição dos tubos de aço que apresentaram vazamento por tubos de fibra epóxi", relatou o gestor da Adema.
Gilvan Dias ressaltou que a Adema continua monitorando a região e que outras empresas na área também foram notificadas. "Estive com equipes de campo acompanhando e fazendo análises da água em alguns pontos do Rio Sergipe, onde ocorreu o vazamento, no emissário da Fafen. Fiscalizamos a White Martins com o mesmo intuito. Estivemos também em outro local com mais um vazamento em campo da Petrobras, entre Malhador e Riachuelo", disse o diretor-presidente.