Tagua Tagua na terrinha

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Sem um pingo de melancolia.
Sem um pingo de melancolia.

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 18/04/2019 às 21:00:00

 

Depois de passar por 
diversas cidades 
do Brasil e por Portugal, Felipe Puperi volta ao Nordeste para apresentar as canções do Tagua Tagua, seu projeto paralelo ao Wannabe Jalva, grupo liderado pelo produtor e compositor gaúcho. O primeiro show será dia 25 de abril, no Club Bahnhof, em Salvador, depois ele segue para Aracaju, para apresentação  no Capitão Cook.
Excursionando com Felipe , em ritmo intenso, estará também a banda paraibana Glue Trip, que lançou em setembro o disco Sea At Night (2018).
Logo no lançamento do EP Pedaço Vivo (2018), sucessor de Tombamento Inevitável (2017), Felipe esteve no Nordeste, onde se apresentou nos festivais Fervura Feira Noise, em Feira de Santana, e Suíça Bahiana, em Vitória da Conquista. Sobre voltar a região, logo após regressar de Portugal, onde fez shows no Porto e em Lisboa, ele diz: "Fazer shows no Nordeste é sempre especial, tenho muitas lembranças boas".
Pedaço Vivo traz à tona uma reflexão sobre momentos que, a princípio, são dolorosos e angustiantes, mas, que também podem ser como pontes para uma fase otimista, uma vez que, mesmo com essa temática, as músicas não são sombrias, pelo contrário, trazem uma certa irreverência no arranjo, que faz com que a leitura sobre o tema seja em alguns momentos sonhadora e/ou esperançosa, sem um pingo de melancolia. 
Já a Glue Trip, que estará recebendo Tagua Tagua em sua região natal, com o lançamento de Sea At Night, propôs um mergulho no mar a noite, com direito a muito synths e dark pop, bem diferente do álbum de estreia, homônimo, no qual o violão dava o tom das canções com a típica brisa diurna praieira.
A banda surgiu como um projeto de fuga dos excessos e libertação em 2012. Sendo considerada uma das mais criativas e inusitadas apostas do cenário musical nacional, fez o primeiro show do disco no projeto Prata da Casa do Sesc Pompéia, para logo após se apresentar nos festivais Quebramar (AP), Picnik (DF), Mada e DoSol (RN), CineOnda (CE), Fora da Casinha (SP).
Sobre a expectativa de excursionar com eles, Felipe diz: "Há uns meses surgiu a ideia de fazermos essa turnê conjunta, pois acreditamos que podia ser interessante unir as diferentes ideias musicais de cada projeto e transformar isso numa experiência mais rica pro público".
Tagua Tagua + Glue Trip em Aracaju:
Local: Capitão Cook.
Data: 26 de abril.
Horário: 22h.

Depois de passar por  diversas cidades  do Brasil e por Portugal, Felipe Puperi volta ao Nordeste para apresentar as canções do Tagua Tagua, seu projeto paralelo ao Wannabe Jalva, grupo liderado pelo produtor e compositor gaúcho. O primeiro show será dia 25 de abril, no Club Bahnhof, em Salvador, depois ele segue para Aracaju, para apresentação  no Capitão Cook.
Excursionando com Felipe , em ritmo intenso, estará também a banda paraibana Glue Trip, que lançou em setembro o disco Sea At Night (2018).
Logo no lançamento do EP Pedaço Vivo (2018), sucessor de Tombamento Inevitável (2017), Felipe esteve no Nordeste, onde se apresentou nos festivais Fervura Feira Noise, em Feira de Santana, e Suíça Bahiana, em Vitória da Conquista. Sobre voltar a região, logo após regressar de Portugal, onde fez shows no Porto e em Lisboa, ele diz: "Fazer shows no Nordeste é sempre especial, tenho muitas lembranças boas".
Pedaço Vivo traz à tona uma reflexão sobre momentos que, a princípio, são dolorosos e angustiantes, mas, que também podem ser como pontes para uma fase otimista, uma vez que, mesmo com essa temática, as músicas não são sombrias, pelo contrário, trazem uma certa irreverência no arranjo, que faz com que a leitura sobre o tema seja em alguns momentos sonhadora e/ou esperançosa, sem um pingo de melancolia. 
Já a Glue Trip, que estará recebendo Tagua Tagua em sua região natal, com o lançamento de Sea At Night, propôs um mergulho no mar a noite, com direito a muito synths e dark pop, bem diferente do álbum de estreia, homônimo, no qual o violão dava o tom das canções com a típica brisa diurna praieira.
A banda surgiu como um projeto de fuga dos excessos e libertação em 2012. Sendo considerada uma das mais criativas e inusitadas apostas do cenário musical nacional, fez o primeiro show do disco no projeto Prata da Casa do Sesc Pompéia, para logo após se apresentar nos festivais Quebramar (AP), Picnik (DF), Mada e DoSol (RN), CineOnda (CE), Fora da Casinha (SP).
Sobre a expectativa de excursionar com eles, Felipe diz: "Há uns meses surgiu a ideia de fazermos essa turnê conjunta, pois acreditamos que podia ser interessante unir as diferentes ideias musicais de cada projeto e transformar isso numa experiência mais rica pro público".

Tagua Tagua + Glue Trip em Aracaju:
Local: Capitão Cook.
Data: 26 de abril.
Horário: 22h.