Governo lança campanha para reduzir crise hídrica no Estado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/04/2019 às 10:07:00

 

A Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) começou a colocar em prática a determinação do Governo do Estado de Sergipe de combater as fraudes das ligações clandestinas de água, conhecidas popularmente como "gatos". A ordem partiu do governador Belivaldo Chagas, no último dia 14 de março, no programa exibido nas redes sociais do governo e pela TV Aperipê, "Papo Reto". 
A ação foi iniciada em alguns bairros da capital e cidades do interior com os técnicos da Deso fiscalizando as residências com suspeita de ligação clandestina. Segundo dados levantados pela Companhia, dos 384 milhões de litros de água disponibilizados diariamente, cerca de 48% são desviados clandestinamente, o que acarreta em prejuízos para a população, já que a ligação clandestina o consumo é indiscriminado, lesa a empresa e obriga a um aumento nos custos da prestação do serviço. 
Segundo o diretor de Operações da Deso, Carlos Anderson Pedreira, o alto índice de desvios clandestinos é uma das causas de problemas no abastecimento. "Se não houvesse a grande quantidade de desvios, o serviço seria ainda mais eficiente. Além disso, teríamos uma grande diminuição de custos empenhados em matéria-prima, produção, energia elétrica, etc. durante as ações de reparos. Se não desviassem a água, muito provavelmente iríamos retirar muito menos dos mananciais. A maioria das perdas de água em nosso estado tem relação com desvios ilegais", explica.

A Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) começou a colocar em prática a determinação do Governo do Estado de Sergipe de combater as fraudes das ligações clandestinas de água, conhecidas popularmente como "gatos". A ordem partiu do governador Belivaldo Chagas, no último dia 14 de março, no programa exibido nas redes sociais do governo e pela TV Aperipê, "Papo Reto". 
A ação foi iniciada em alguns bairros da capital e cidades do interior com os técnicos da Deso fiscalizando as residências com suspeita de ligação clandestina. Segundo dados levantados pela Companhia, dos 384 milhões de litros de água disponibilizados diariamente, cerca de 48% são desviados clandestinamente, o que acarreta em prejuízos para a população, já que a ligação clandestina o consumo é indiscriminado, lesa a empresa e obriga a um aumento nos custos da prestação do serviço. 
Segundo o diretor de Operações da Deso, Carlos Anderson Pedreira, o alto índice de desvios clandestinos é uma das causas de problemas no abastecimento. "Se não houvesse a grande quantidade de desvios, o serviço seria ainda mais eficiente. Além disso, teríamos uma grande diminuição de custos empenhados em matéria-prima, produção, energia elétrica, etc. durante as ações de reparos. Se não desviassem a água, muito provavelmente iríamos retirar muito menos dos mananciais. A maioria das perdas de água em nosso estado tem relação com desvios ilegais", explica.