Cidadãos que recebem o BPC podem pedir redução no valor da taxa de energia

Cidades

 

Pessoas idosas, com 65 anos ou mais, e pessoas com deficiência, que recebem o Benefício de Prestação Continuada de Assistência Social (BPC), podem pedir redução na conta de luz. Em Aracaju, mais de 20 mil pessoas têm direito ao desconto. A redução no valor da fatura é garantida pela Tarifa Social de Energia Elétrica e, com o auxilio, o valor da conta pode diminuir em até 65%. Na capital sergipana, apenas 10% dos beneficiários solicitou a redução.
Segundo a coordenadora de Benefícios Assistenciais e Transferência de Renda, Yolanda Ferreira, a procura ainda é pouca porque, como o cadastramento é realizado no Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), muitas vezes há uma confusão entre o Benefício de Prestação Continuada e uma aposentadoria. "Muitas vezes a família tenta cadastrar, mas, não informa que o pedido é referência ao seu recebimento do BPC, que é um programa da Política de Assistência Social. Às vezes, muitos se confundem com uma aposentadoria normal, que não faz com que aquela pessoa tenha o direito da redução", destaca. 
Para solicitar o desconto o beneficiário ou o responsável deve procurar um posto de atendimento da companhia de energia elétrica da região com o cartão do BPC, um documento de identificação e a última conta de luz. A partir daí, a companhia elétrica irá verificar se o BPC está ativo e se o beneficiário é um cliente residencial. A redução na conta de luz varia de acordo com o consumo mensal de cada família, indo de 10% a 65%, com o limite de 220kWh.

Pessoas idosas, com 65 anos ou mais, e pessoas com deficiência, que recebem o Benefício de Prestação Continuada de Assistência Social (BPC), podem pedir redução na conta de luz. Em Aracaju, mais de 20 mil pessoas têm direito ao desconto. A redução no valor da fatura é garantida pela Tarifa Social de Energia Elétrica e, com o auxilio, o valor da conta pode diminuir em até 65%. Na capital sergipana, apenas 10% dos beneficiários solicitou a redução.
Segundo a coordenadora de Benefícios Assistenciais e Transferência de Renda, Yolanda Ferreira, a procura ainda é pouca porque, como o cadastramento é realizado no Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), muitas vezes há uma confusão entre o Benefício de Prestação Continuada e uma aposentadoria. "Muitas vezes a família tenta cadastrar, mas, não informa que o pedido é referência ao seu recebimento do BPC, que é um programa da Política de Assistência Social. Às vezes, muitos se confundem com uma aposentadoria normal, que não faz com que aquela pessoa tenha o direito da redução", destaca. 
Para solicitar o desconto o beneficiário ou o responsável deve procurar um posto de atendimento da companhia de energia elétrica da região com o cartão do BPC, um documento de identificação e a última conta de luz. A partir daí, a companhia elétrica irá verificar se o BPC está ativo e se o beneficiário é um cliente residencial. A redução na conta de luz varia de acordo com o consumo mensal de cada família, indo de 10% a 65%, com o limite de 220kWh.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS