CUT promove lançamento do Comitê Estadual Lula Livre

Política

 

A Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE) convoca a sua base sindical para o lançamento do Comitê Estadual Lula Livre em Sergipe, que será na Sede Estadual do Partido dos Trabalhadores (PT), localizada na Avenida Barão de Maruim, nº 740, Centro de Aracaju, a partir das 9h da manhã deste domingo, dia 7 de abril. A data corresponde a um ano da prisão do ex-presidente Lula (PT), fundador da CUT, e será marcada por protestos em todo Brasil.
O professor Dudu, presidente da CUT/SE, explicou que Lula é reconhecido internacionalmente como preso político, em mais uma manobra do golpe contra a democracia brasileira que derrubou a presidenta Dilma (PT) em 2016. "Foi preciso prender Lula, mesmo sem provas, para dar continuidade ao golpe e retirada de direitos das trabalhadoras e trabalhadores brasileiros. Se Lula não estivesse preso, ele seria o atual presidente do Brasil. Por isso vamos ocupar as ruas para falar: Lula Livre, porque Lula é inocente; porque Lula foi preso sem provas para não disputar as eleições de 2018. Lula é um preso político e a nossa democracia é atacada a cada dia que este preso político é mantido na prisão".
Um manifesto assinado por mais de 400 juristas brasileiros pede a liberdade do ex-presidente. O documento destaca que Lula é vítima da injustiça e da violência praticada pelo Estado. "Nem é verdade que Lula foi condenado em segundo grau. Foi no sentido formal, mas não no sentido material. A Constituição não determina apenas regras formais para o processo, mas regras materiais, valores morais e direitos, que devem ser garantidos ao réu", disse Pedro Serrano, um dos juristas que assinou o texto.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE) convoca a sua base sindical para o lançamento do Comitê Estadual Lula Livre em Sergipe, que será na Sede Estadual do Partido dos Trabalhadores (PT), localizada na Avenida Barão de Maruim, nº 740, Centro de Aracaju, a partir das 9h da manhã deste domingo, dia 7 de abril. A data corresponde a um ano da prisão do ex-presidente Lula (PT), fundador da CUT, e será marcada por protestos em todo Brasil.
O professor Dudu, presidente da CUT/SE, explicou que Lula é reconhecido internacionalmente como preso político, em mais uma manobra do golpe contra a democracia brasileira que derrubou a presidenta Dilma (PT) em 2016. "Foi preciso prender Lula, mesmo sem provas, para dar continuidade ao golpe e retirada de direitos das trabalhadoras e trabalhadores brasileiros. Se Lula não estivesse preso, ele seria o atual presidente do Brasil. Por isso vamos ocupar as ruas para falar: Lula Livre, porque Lula é inocente; porque Lula foi preso sem provas para não disputar as eleições de 2018. Lula é um preso político e a nossa democracia é atacada a cada dia que este preso político é mantido na prisão".
Um manifesto assinado por mais de 400 juristas brasileiros pede a liberdade do ex-presidente. O documento destaca que Lula é vítima da injustiça e da violência praticada pelo Estado. "Nem é verdade que Lula foi condenado em segundo grau. Foi no sentido formal, mas não no sentido material. A Constituição não determina apenas regras formais para o processo, mas regras materiais, valores morais e direitos, que devem ser garantidos ao réu", disse Pedro Serrano, um dos juristas que assinou o texto.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS