Egbé homenageia Everlane Moraes

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Em plena atividade criativa
Em plena atividade criativa

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 02/04/2019 às 07:36:00

 

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br
Quando a edição 
inaugural do Cur-
ta-SE veio ao mundo, dezoito anos atrás, isto que pode ser chamado hoje de Cinema Serigy era só uma fantasia. Desde então, muita água passou embaixo da ponte. Os eventos dedicados à linguagem audiovisual se multiplicaram e o trabalho de jovens realizadores com raízes na terrinha começam a ganhar o mundo. Em sua quarta edição, a Mostra de Cinema Negro de Sergipe toma parte nessa história.
Não por acaso, a referida Mostra realiza merecida homenagem à cineasta Everlane Moraes - uma realizadora sergipana, na flor da idade, em plena atividade criativa, premiada em festivais internacionais. A moça assina uma produção tão regular quanto consistente. E, em certa medida, apesar de todos os pesares, é também uma cria da cultura audiovisual aqui fomentada recentemente.
Egbé - Dia 06 de abril, sábado, o Centro Cultural de Aracaju recebe a abertura da 4ª edição da Mostra de Cinema Negro de Sergipe - Egbé, com um objetivo declarado:  discutir o cinema negro e permitir o acesso às diversas produções de realizadores negros dentro e fora do estado.
O evento começa às 18h30, com homenagem à cineasta sergipana Everlane Moraes. Premiada em importantes festivais de cinema do mundo, como o Festival de Cinema de Roterdã, o maior e mais importante da Europa, Everlane estará na abertura da mostra para lançar 3 curtas-metragens inéditos no Brasil.  
A programação da mostra inclui também a Masterclass "Cinema Africano pela descolonização das telas", com a prof. dra Janaína Oliveira (IFRJ), que acontece no Centro Cultural, dia 06, a partir das 14h30; A Oficina "O cinema e o espelho, da colonização dos corpos à decolonização do olhar", com a cineasta Everlane Moraes, que acontece no Sesc Centro, dias 09, 10 e 11 de abril, das 14h ás 18h; e o Seminário "Políticas Públicas e ações afirmativas no audiovisual", dia 08 de abril, às 15h, na UFS (Auditório do DCOS).
A Mostra vai até o dia 12 de abril, com exibições diárias de filmes das 15h às 21h. Haverá ainda exposição de obras de artistas negros, feira do mangaio (feira de afroempreendedores) e apresentações musicais na abertura e encerramento. A entrada é gratuita para todas as sessões que acontecerão no Centro Cultural de Aracaju. 

Quando a edição  inaugural do Cur- ta-SE veio ao mundo, dezoito anos atrás, isto que pode ser chamado hoje de Cinema Serigy era só uma fantasia. Desde então, muita água passou embaixo da ponte. Os eventos dedicados à linguagem audiovisual se multiplicaram e o trabalho de jovens realizadores com raízes na terrinha começam a ganhar o mundo. Em sua quarta edição, a Mostra de Cinema Negro de Sergipe toma parte nessa história.
Não por acaso, a referida Mostra realiza merecida homenagem à cineasta Everlane Moraes - uma realizadora sergipana, na flor da idade, em plena atividade criativa, premiada em festivais internacionais. A moça assina uma produção tão regular quanto consistente. E, em certa medida, apesar de todos os pesares, é também uma cria da cultura audiovisual aqui fomentada recentemente.

Egbé - Dia 06 de abril, sábado, o Centro Cultural de Aracaju recebe a abertura da 4ª edição da Mostra de Cinema Negro de Sergipe - Egbé, com um objetivo declarado:  discutir o cinema negro e permitir o acesso às diversas produções de realizadores negros dentro e fora do estado.
O evento começa às 18h30, com homenagem à cineasta sergipana Everlane Moraes. Premiada em importantes festivais de cinema do mundo, como o Festival de Cinema de Roterdã, o maior e mais importante da Europa, Everlane estará na abertura da mostra para lançar 3 curtas-metragens inéditos no Brasil.  
A programação da mostra inclui também a Masterclass "Cinema Africano pela descolonização das telas", com a prof. dra Janaína Oliveira (IFRJ), que acontece no Centro Cultural, dia 06, a partir das 14h30; A Oficina "O cinema e o espelho, da colonização dos corpos à decolonização do olhar", com a cineasta Everlane Moraes, que acontece no Sesc Centro, dias 09, 10 e 11 de abril, das 14h ás 18h; e o Seminário "Políticas Públicas e ações afirmativas no audiovisual", dia 08 de abril, às 15h, na UFS (Auditório do DCOS).
A Mostra vai até o dia 12 de abril, com exibições diárias de filmes das 15h às 21h. Haverá ainda exposição de obras de artistas negros, feira do mangaio (feira de afroempreendedores) e apresentações musicais na abertura e encerramento. A entrada é gratuita para todas as sessões que acontecerão no Centro Cultural de Aracaju.