Setor de Serviços apresenta saldo positivo de empregos em fevereiro

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 29/03/2019 às 07:39:00

 

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Cadastro Geral de empregados e desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, revelou que houve saldo negativo de 2.162 vagas de emprego com carteira assinada no Estado, em fevereiro deste ano. O resultado é fruto da diferença entre admissões (7.267) e desligamentos (-9.429) no período.
Das oito atividades avaliadas pelo Boletim no mês analisado, quatro apresentaram saldo de contratações maior que o de demissões. Os setores de Serviços e Comércio criaram 709 e 188 novas vagas de trabalho, respectivamente. Em seguida os Serviços Industriais de Utilidade Pública e o setor da Construção Civil geraram 33 e 17 postos de emprego, nesta ordem.
Os demais setores registraram saldos negativos. Foi observado que na Agropecuária houve redução de 1.658 postos de trabalho. Na Indústria de Transformação o saldo de empregos também ficou negativo, com o fechamento de 1.422 postos de trabalho. Já a Extrativa Mineral, registrou redução de 21 empregos e a Administração Pública contabilizou saldo negativo de 8 postos de trabalho.
Dentre os treze municípios sergipanos com mais de 30 mil habitantes, cujos dados são disponibilizados para análise, a cidade de Aracaju assinalou a maior criação de empregos em fevereiro deste ano, com a abertura de 574 postos de trabalho.

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Cadastro Geral de empregados e desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, revelou que houve saldo negativo de 2.162 vagas de emprego com carteira assinada no Estado, em fevereiro deste ano. O resultado é fruto da diferença entre admissões (7.267) e desligamentos (-9.429) no período.
Das oito atividades avaliadas pelo Boletim no mês analisado, quatro apresentaram saldo de contratações maior que o de demissões. Os setores de Serviços e Comércio criaram 709 e 188 novas vagas de trabalho, respectivamente. Em seguida os Serviços Industriais de Utilidade Pública e o setor da Construção Civil geraram 33 e 17 postos de emprego, nesta ordem.
Os demais setores registraram saldos negativos. Foi observado que na Agropecuária houve redução de 1.658 postos de trabalho. Na Indústria de Transformação o saldo de empregos também ficou negativo, com o fechamento de 1.422 postos de trabalho. Já a Extrativa Mineral, registrou redução de 21 empregos e a Administração Pública contabilizou saldo negativo de 8 postos de trabalho.
Dentre os treze municípios sergipanos com mais de 30 mil habitantes, cujos dados são disponibilizados para análise, a cidade de Aracaju assinalou a maior criação de empregos em fevereiro deste ano, com a abertura de 574 postos de trabalho.