Golpistas cobram por suposta recuperação de veículos roubados

Cidades

 

Criminosos baseados 
em outros estados 
estão aplicando um golpe em vítimas que tiveram seus veículos roubados ou furtados. Segundo a polícia, eles assediam os proprietários com mensagens e ligações, prometendo-lhes recuperar os bens ou dar-lhes informações sobre o paradeiro, mediante um pagamento em dinheiro com depósito em conta bancária. A informação já chegou ao conhecimento da Polícia Civil, que detalhou o caso ontem de manhã, através do delegado Kássio Viana, da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV).
Ele explicou que, por meio da internet, os estelionatários conseguem chegar até informações sobre veículos subtraídos, entram em contato com as vítimas, prometendo a devolução do bem, mediante pagamento de uma quantia em dinheiro. "Recebemos a informação de colegas policias que algumas vítimas de roubo e furto de veículos têm recebido ligação telefônica, na qual um suposto golpista oferece a possibilidade de recuperação do veículo, mas para isso pede um depósito em dinheiro'', disse o delegado.  
Segundo as investigações, as vítimas recebem telefonemas informando características do veículo roubado e prometendo que, a partir do pagamento de um valor, estipulado geralmente em R$ 1 mil, a pessoa terá de volta o bem roubado. A vítima efetua o pagamento, mas perde o contato com o autor da ligação e não obtém nenhuma informação sobre o carro. ''O crime não foi concretizado, mas durante a semana recebemos outras informações sobre o mesmo autor oferecendo esse mesmo tipo de serviço para vítima de roubos e furtos de veículos. A Secretaria de Segurança Pública, por meio da sua assessoria, realizando um trabalho preventivo, resolveu divulgar essa ação para evitar que a população sofra esse golpe e, além de sofrer a perda do veículo em uma ação criminosa, ainda perca dinheiro na tentativa de recuperar'', afirmou Kássio. 
As mensagens que chegaram ao conhecimento da polícia chegaram com o código de área 88, que se refere à região de Juazeiro do Norte (CE), e trazem dados de contas bancárias registradas em agências da cidade de Maranguape (CE). Ficou identificado ainda que o sotaque do interlocutor não é o característico de Sergipe. Ainda não tem informações se as ligações são de origens do presídio do estado do Ceará, mas isso é apontado como uma forte suspeita, como já acontece há mais de 12 anos, após o surgimento de uma onda de telefonemas do chamado "golpe do falso seqüestro",feito geralmente por detentos de presídios cearenses.  
Diante da execução dos golpes em diversas partes do país e de boletins de ocorrências recentes feitos em Sergipe, a Polícia Civil alerta para que sejam evitados os repasses de informações detalhadas sobre o roubo ou furto de um veículo de forma totalmente aberta pela internet, assim como não realize nenhum pagamento. "Boa parte desses veículos roubados e furtados não tem seguro e na hora do desespero a pessoa acaba topando qualquer coisa, inclusive pagar a pessoas que se colocam como responsável para fazer devolução do veículo, fazendo com que a vítima corra riscos: primeiro, de fazer o depósito e tomar o golpe; e segundo, se for feita pessoalmente a entrega do dinheiro, podendo ser novamente roubada. Então é importante para a população avisar o caso para polícia e jamais negociar a entrega de veículo", orienta o delegado. 
Viana esclareceu ainda que, caso as denúncias desse tipo de golpe se avolumem,  as investigações sobre os golpes ficarão a cargo da Delegacia de Defraudações e Combate à Pirataria, com o auxílio da DRFV. Até agora, não foi encontrada nenhuma situação concreta de concretização do golpe, mas é importante frisar para população que tem mais de 12 anos que ocorre o golpe do falso sequestro. "Caso a pessoa tenha sofrido esse tipo de golpe, deve procurar a delegacia mais próxima para realizar o boletim de ocorrência e, quando necessário, procurar a delegacia de defraudações, que tomará providências para chegar aos responsáveis, o que não é fácil, pois muitos autores são de outros estados", finaliza. 

Criminosos baseados  em outros estados  estão aplicando um golpe em vítimas que tiveram seus veículos roubados ou furtados. Segundo a polícia, eles assediam os proprietários com mensagens e ligações, prometendo-lhes recuperar os bens ou dar-lhes informações sobre o paradeiro, mediante um pagamento em dinheiro com depósito em conta bancária. A informação já chegou ao conhecimento da Polícia Civil, que detalhou o caso ontem de manhã, através do delegado Kássio Viana, da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV).
Ele explicou que, por meio da internet, os estelionatários conseguem chegar até informações sobre veículos subtraídos, entram em contato com as vítimas, prometendo a devolução do bem, mediante pagamento de uma quantia em dinheiro. "Recebemos a informação de colegas policias que algumas vítimas de roubo e furto de veículos têm recebido ligação telefônica, na qual um suposto golpista oferece a possibilidade de recuperação do veículo, mas para isso pede um depósito em dinheiro'', disse o delegado.  
Segundo as investigações, as vítimas recebem telefonemas informando características do veículo roubado e prometendo que, a partir do pagamento de um valor, estipulado geralmente em R$ 1 mil, a pessoa terá de volta o bem roubado. A vítima efetua o pagamento, mas perde o contato com o autor da ligação e não obtém nenhuma informação sobre o carro. ''O crime não foi concretizado, mas durante a semana recebemos outras informações sobre o mesmo autor oferecendo esse mesmo tipo de serviço para vítima de roubos e furtos de veículos. A Secretaria de Segurança Pública, por meio da sua assessoria, realizando um trabalho preventivo, resolveu divulgar essa ação para evitar que a população sofra esse golpe e, além de sofrer a perda do veículo em uma ação criminosa, ainda perca dinheiro na tentativa de recuperar'', afirmou Kássio. 
As mensagens que chegaram ao conhecimento da polícia chegaram com o código de área 88, que se refere à região de Juazeiro do Norte (CE), e trazem dados de contas bancárias registradas em agências da cidade de Maranguape (CE). Ficou identificado ainda que o sotaque do interlocutor não é o característico de Sergipe. Ainda não tem informações se as ligações são de origens do presídio do estado do Ceará, mas isso é apontado como uma forte suspeita, como já acontece há mais de 12 anos, após o surgimento de uma onda de telefonemas do chamado "golpe do falso seqüestro",feito geralmente por detentos de presídios cearenses.  
Diante da execução dos golpes em diversas partes do país e de boletins de ocorrências recentes feitos em Sergipe, a Polícia Civil alerta para que sejam evitados os repasses de informações detalhadas sobre o roubo ou furto de um veículo de forma totalmente aberta pela internet, assim como não realize nenhum pagamento. "Boa parte desses veículos roubados e furtados não tem seguro e na hora do desespero a pessoa acaba topando qualquer coisa, inclusive pagar a pessoas que se colocam como responsável para fazer devolução do veículo, fazendo com que a vítima corra riscos: primeiro, de fazer o depósito e tomar o golpe; e segundo, se for feita pessoalmente a entrega do dinheiro, podendo ser novamente roubada. Então é importante para a população avisar o caso para polícia e jamais negociar a entrega de veículo", orienta o delegado. 
Viana esclareceu ainda que, caso as denúncias desse tipo de golpe se avolumem,  as investigações sobre os golpes ficarão a cargo da Delegacia de Defraudações e Combate à Pirataria, com o auxílio da DRFV. Até agora, não foi encontrada nenhuma situação concreta de concretização do golpe, mas é importante frisar para população que tem mais de 12 anos que ocorre o golpe do falso sequestro. "Caso a pessoa tenha sofrido esse tipo de golpe, deve procurar a delegacia mais próxima para realizar o boletim de ocorrência e, quando necessário, procurar a delegacia de defraudações, que tomará providências para chegar aos responsáveis, o que não é fácil, pois muitos autores são de outros estados", finaliza. 

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS