PARE, PENSE E TIRE SUA CONCLUSÃO.

Opinião

 

* Rômulo Rodrigues
Quem estiver acompanhando a cobertura político-ideológica do Grupo Globo sobre a tentativa de invasão da Venezuela, por parte dos EUA, na fronteira com a Colômbia, é recomendável fazer um comparativo com as coberturas feitas dos atos convocados no Brasil, a partir de 2015, para derrubar Dilma e fazer essa coisa que está aí, Presidente da República, e consumar a subordinação aos EUA.
A toda hora eles fazem questão de dizer que Maduro é um ditador e que o patrão Trump está certo em querer derruba-lo mas omitem que o patrão foi ao encontro do ditador da Coréia do Norte, na tentativa de sair do isolamento em que se meteu.
Por isso, escondem as diferenças entre as duas ditaduras; a da Venezuela (onde um golpista circula livremente e faz atos contra a Constituição) tem a maior reserva de Petróleo do mundo; está prestes a assumir a Presidência da OPEP e tirar o Petrodólar como regulador do preço do Petróleo; tem a segunda maior reserva de Ouro; tem Lítio, Gás e Prata.
Já a Coréia do Norte não tem nada disso e, portanto, não desperta o interesse americano de implantar uma Democracia por lá, ao molde das que foram implantadas no Afeganistão, Iraque, Líbia e Síria, todos com muito Petróleo, e que deixaram um rastro de 5 milhões de mortes.
Quem não prestar a devida atenção vai cair, novamente, nas mentiras globais e acreditar, de forma distorcida, nas narrativas de agora.
Nas narrativas existem coincidências; o narrador é o filho de Miriam Leitão, autor de um livro para alavancar a popularidade de Moro; livro este, que ninguém comprou e que, assim como o filme feito com dinheiro, bens patrimoniais e agentes públicos, ao custo de R$ 22 milhões, até hoje ninguém viu e nem a Globo exibiu na sessão da tarde.
Só para refrescar as memórias dos descerebrados; na invasão do Iraque a justificativa foi que Saddam Hussein tinha armas de destruição em massa. Depois da barbárie consumada o mundo ficou sabendo que as armas não existiam e o resultado da crueldade foi de 500 mil mortos nos ataque e mais de 2 milhões que morreram por causa do bloqueio econômico. Só quem ganhou foram as grandes corporações petrolíferas americanas.
Os narradores não dizem mas, cada dia que passa, fica mais claro que o stablishment, a quem Trump serve, está obrigando o imbecil de plantão do Brasil a jogar o País numa aventura que só eles saem ganhando e nós perdendo.
Os EUA se quisessem poderiam colocar governos democráticos em Países como o Haiti e Serra Leoa onde a fome e a miséria atingem quase todas as populações, mas, lá não tem Petróleo.
A Venezuela com 300 bilhões de barris de Petróleo e mais Ouro, Lítio, Gás e Prata e o Brasil com 200 bilhões de barris de Petróleo mais o Nióbio podem como vizinhos e aliados o curso da História da América Latina e é essa ameaça ao império, que faz com que EX-Generais que estão dominando o Governo do EX-Capitão, talvez, sintam as mesmas coceiras que afetaram o General Amaury Kruel quando viu a mala cheia com U$ 1,2 milhão dada pelo Presidente da FISP, para trair a Democracia e aderir ao golpe contra Jango, em 1964, Quando vamos saber quanto estão recebendo agora?
A História está aí para não deixar ninguém se enganar por falta de conhecimento; se por um lado o maniqueísmo religioso restringe a luta entre o bem e o mal; por outro lado, Buda ensinou que ela é mais entr o conhecimento e a ignorância.
Na campanha eleitoral os candidatos Haddad e Manu foram fazer um comício na porta da Fábrica da Ford, em SBC, e ouviram gritos de Mito, Mito, Mito.
Mal o ano começou e a Ford anuncia o fechamento da Fábrica com demissões de 30 mil pessoas na cadeia produtiva.
A GM vai no mesmo embalo e ameaça deixar o País, mesmo depois da farra da Reforma Trabalhista, com a precarização do Trabalho e da proposta de volta à escravidão, contida na Reforma da Previdenciária do miliciano, onde o trabalhador nunca vai se aposentar.
Para quem não estudou História do Brasil: em 1885 foi proclamada a Lei do Sexagenário, onde o escravizado que completasse 65 anos estaria livre. Como nenhum escravizado conseguia atingir aquela idade virou, na irreverência popular, a Lei da Gargalhada.
O pobre de direita e a classe média que pensam que um dia ainda vão ser rico, precisam entender que os ricos que eles apoiaram por ódio ao PT, foi quem rebaixou o Salário Mínimo de R$ 1.198,00 para R$ 998,00, tirando R$ 13 bilhões mensais da economia popular e seus repasses par a Previdência, para dar aos Bancos, que são deles, porque não precisam do Salário Mínimo.
Os ricos que vocês apoiam e que querem que vocês nunca se aposentem, não estão nem aí para esse negócio de aposentadoria do INSS; eles vivem de renda.
Os ricos não estão nem aí se vocês se ferraram na Reforma Trabalhista e se vão morre pobres; eles são patrões e já são muito ricos.
Os ricos não gostam de vocês, só os querem para serem seus escravos e votarem nos candidatos deles.
Parece que nem tudo está perdido. Prestem atenção na Pesquisa da CNTMDA do fim de semana; O Presidente que vocês elegeram está com aprovação de 38,9% de ótimo e bom; o mesmo índice da votação do segundo turno e o pior índice dos primeiros meses de Governo desde FHC.
* Rômulo Rodrigues é militante político

* Rômulo Rodrigues

Quem estiver acompanhando a cobertura político-ideológica do Grupo Globo sobre a tentativa de invasão da Venezuela, por parte dos EUA, na fronteira com a Colômbia, é recomendável fazer um comparativo com as coberturas feitas dos atos convocados no Brasil, a partir de 2015, para derrubar Dilma e fazer essa coisa que está aí, Presidente da República, e consumar a subordinação aos EUA.
A toda hora eles fazem questão de dizer que Maduro é um ditador e que o patrão Trump está certo em querer derruba-lo mas omitem que o patrão foi ao encontro do ditador da Coréia do Norte, na tentativa de sair do isolamento em que se meteu.
Por isso, escondem as diferenças entre as duas ditaduras; a da Venezuela (onde um golpista circula livremente e faz atos contra a Constituição) tem a maior reserva de Petróleo do mundo; está prestes a assumir a Presidência da OPEP e tirar o Petrodólar como regulador do preço do Petróleo; tem a segunda maior reserva de Ouro; tem Lítio, Gás e Prata.
Já a Coréia do Norte não tem nada disso e, portanto, não desperta o interesse americano de implantar uma Democracia por lá, ao molde das que foram implantadas no Afeganistão, Iraque, Líbia e Síria, todos com muito Petróleo, e que deixaram um rastro de 5 milhões de mortes.
Quem não prestar a devida atenção vai cair, novamente, nas mentiras globais e acreditar, de forma distorcida, nas narrativas de agora.
Nas narrativas existem coincidências; o narrador é o filho de Miriam Leitão, autor de um livro para alavancar a popularidade de Moro; livro este, que ninguém comprou e que, assim como o filme feito com dinheiro, bens patrimoniais e agentes públicos, ao custo de R$ 22 milhões, até hoje ninguém viu e nem a Globo exibiu na sessão da tarde.
Só para refrescar as memórias dos descerebrados; na invasão do Iraque a justificativa foi que Saddam Hussein tinha armas de destruição em massa. Depois da barbárie consumada o mundo ficou sabendo que as armas não existiam e o resultado da crueldade foi de 500 mil mortos nos ataque e mais de 2 milhões que morreram por causa do bloqueio econômico. Só quem ganhou foram as grandes corporações petrolíferas americanas.
Os narradores não dizem mas, cada dia que passa, fica mais claro que o stablishment, a quem Trump serve, está obrigando o imbecil de plantão do Brasil a jogar o País numa aventura que só eles saem ganhando e nós perdendo.
Os EUA se quisessem poderiam colocar governos democráticos em Países como o Haiti e Serra Leoa onde a fome e a miséria atingem quase todas as populações, mas, lá não tem Petróleo.
A Venezuela com 300 bilhões de barris de Petróleo e mais Ouro, Lítio, Gás e Prata e o Brasil com 200 bilhões de barris de Petróleo mais o Nióbio podem como vizinhos e aliados o curso da História da América Latina e é essa ameaça ao império, que faz com que EX-Generais que estão dominando o Governo do EX-Capitão, talvez, sintam as mesmas coceiras que afetaram o General Amaury Kruel quando viu a mala cheia com U$ 1,2 milhão dada pelo Presidente da FISP, para trair a Democracia e aderir ao golpe contra Jango, em 1964, Quando vamos saber quanto estão recebendo agora?
A História está aí para não deixar ninguém se enganar por falta de conhecimento; se por um lado o maniqueísmo religioso restringe a luta entre o bem e o mal; por outro lado, Buda ensinou que ela é mais entr o conhecimento e a ignorância.
Na campanha eleitoral os candidatos Haddad e Manu foram fazer um comício na porta da Fábrica da Ford, em SBC, e ouviram gritos de Mito, Mito, Mito.
Mal o ano começou e a Ford anuncia o fechamento da Fábrica com demissões de 30 mil pessoas na cadeia produtiva.
A GM vai no mesmo embalo e ameaça deixar o País, mesmo depois da farra da Reforma Trabalhista, com a precarização do Trabalho e da proposta de volta à escravidão, contida na Reforma da Previdenciária do miliciano, onde o trabalhador nunca vai se aposentar.
Para quem não estudou História do Brasil: em 1885 foi proclamada a Lei do Sexagenário, onde o escravizado que completasse 65 anos estaria livre. Como nenhum escravizado conseguia atingir aquela idade virou, na irreverência popular, a Lei da Gargalhada.
O pobre de direita e a classe média que pensam que um dia ainda vão ser rico, precisam entender que os ricos que eles apoiaram por ódio ao PT, foi quem rebaixou o Salário Mínimo de R$ 1.198,00 para R$ 998,00, tirando R$ 13 bilhões mensais da economia popular e seus repasses par a Previdência, para dar aos Bancos, que são deles, porque não precisam do Salário Mínimo.
Os ricos que vocês apoiam e que querem que vocês nunca se aposentem, não estão nem aí para esse negócio de aposentadoria do INSS; eles vivem de renda.
Os ricos não estão nem aí se vocês se ferraram na Reforma Trabalhista e se vão morre pobres; eles são patrões e já são muito ricos.
Os ricos não gostam de vocês, só os querem para serem seus escravos e votarem nos candidatos deles.
Parece que nem tudo está perdido. Prestem atenção na Pesquisa da CNTMDA do fim de semana; O Presidente que vocês elegeram está com aprovação de 38,9% de ótimo e bom; o mesmo índice da votação do segundo turno e o pior índice dos primeiros meses de Governo desde FHC.

* Rômulo Rodrigues é militante político


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS