Sergipano é preso em ação contra venda de drogas pela internet

Geral


  • Drogas que eram negociadas por sergipano através da internet

 

Um sergipano de 24 anos foi preso ontem, em uma segunda operação deflagrada pela Polícia Federal. Foi a chamada 'Operação Dealer', que investiga uma quadrilha atuante na venda de drogas sintéticas pela internet. O rapaz foi detido no bairro Índio Palentim, zona sul de Aracaju, e teve a prisão temporária decretada pela 4ª Vara Criminal Federal de São Paulo (SP). Segundo a assessoria da PF, ele já respondeu a processo por furto de veículos e tráfico de drogas. Não foi confirmado se houve apreensão de drogas ou objetos com o acusado. 
Além dele, outros nove mandados de prisão temporária e 10 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Divinópolis (MG) e nas cidades paulistas de Indaiatuba, Casa Branca, Osvaldo Cruz, Bauru e Birigui. Os investigados serão indiciados pela prática de crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas, com penas de 3 a 15 anos de prisão e multa. A operação foi comandada pela Superintendência da Polícia Federal em São Paulo, onde tramita o inquérito policial. 
De acordo com as investigações, o grupo utilizava as redes sociais da internet e de celular, a exemplo do WhatsApp, para fazer um mural de classificados virtual do tráfico de drogas, aproximando vendedores e compradores e efetivamente intermediando as transações de maconha, MDMA e LSD. As investigações apontam que o grupo responsável pelo mural atuava de forma organizada, com membros agindo com funções distintas, sujeitas a um comando centralizado. O inquérito policial teve início em abril de 2018, depois que o mural virtual foi descoberta em uma atividade de inteligência da própria PF. A polícia apurou que o suspeito preso em Aracaju era um dos responsáveis pela revenda virtual. 

Um sergipano de 24 anos foi preso ontem, em uma segunda operação deflagrada pela Polícia Federal. Foi a chamada 'Operação Dealer', que investiga uma quadrilha atuante na venda de drogas sintéticas pela internet. O rapaz foi detido no bairro Índio Palentim, zona sul de Aracaju, e teve a prisão temporária decretada pela 4ª Vara Criminal Federal de São Paulo (SP). Segundo a assessoria da PF, ele já respondeu a processo por furto de veículos e tráfico de drogas. Não foi confirmado se houve apreensão de drogas ou objetos com o acusado. 
Além dele, outros nove mandados de prisão temporária e 10 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Divinópolis (MG) e nas cidades paulistas de Indaiatuba, Casa Branca, Osvaldo Cruz, Bauru e Birigui. Os investigados serão indiciados pela prática de crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas, com penas de 3 a 15 anos de prisão e multa. A operação foi comandada pela Superintendência da Polícia Federal em São Paulo, onde tramita o inquérito policial. 
De acordo com as investigações, o grupo utilizava as redes sociais da internet e de celular, a exemplo do WhatsApp, para fazer um mural de classificados virtual do tráfico de drogas, aproximando vendedores e compradores e efetivamente intermediando as transações de maconha, MDMA e LSD. As investigações apontam que o grupo responsável pelo mural atuava de forma organizada, com membros agindo com funções distintas, sujeitas a um comando centralizado. O inquérito policial teve início em abril de 2018, depois que o mural virtual foi descoberta em uma atividade de inteligência da própria PF. A polícia apurou que o suspeito preso em Aracaju era um dos responsáveis pela revenda virtual. 

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS