Último dia de mandato

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O prefeito Edvaldo Nogueira se encontrou ontem, em Brasília, com o ministro Luiz Mandetta (Saúde). Nas redes sociais, disse que foi mostrar a necessidade de uma maior participação da União no custeio da área. \"Estamos em um momento de crise muito ace
O prefeito Edvaldo Nogueira se encontrou ontem, em Brasília, com o ministro Luiz Mandetta (Saúde). Nas redes sociais, disse que foi mostrar a necessidade de uma maior participação da União no custeio da área. \"Estamos em um momento de crise muito ace

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 31/01/2019 às 06:28:00

 

A partir dessa sexta-feira, quando começa 
a nova legislatura, 12 dos 24 deputados 
estaduais não retornarão à Assembleia Legislativa, quatro dos oito deputados federais não permanecerão na Câmara dos Deputados e dois senadores não continuarão no Senado.
Com isso, hoje é o último dia de atividade parlamentar de 12 deputados que não continuarão na Assembleia: Antônio dos Santos (PSC), Silvia Fontes (PDT), Paulinho da Varzinhas (PSC), Luiz Mitidieri (PSD), Gustinho Ribeiro (SD), Ana Lúcia (PT), Augusto Bezerra (PHS), Adelson Barreto Filho (PR), Moritos Matos (PPS), Venâncio Fonseca (PSC), Robson Viana (PSD) e Jairo de Glória (PRB). 
Vale ressaltar que desses 12 deputados que não permanecerão na Assembleia, sete não disputaram a reeleição: Antônio dos Santos e Gustinho Ribeiro, porque concorreram a mandato de deputado federal e só Gustinho foi eleito; Silvia Fontes por ter disputado mandato de vice-governadora na chapa encabeçada por Valadares Filho (PSB); Paulinho da Varzinhas e Augusto Bezerra por estarem inelegíveis; Luiz Mitidieri e Ana Lúcia (PT) por terem feito a opção de não disputar nenhum mandato.
Não conseguiram a reeleição os deputados Adelson Barreto Filho, Moritos Matos, Venâncio Fonseca, Robson Viana e Jairo de Glória.
Dois oito deputados federais por Sergipe estarão sem mandato a partir de amanhã: André Moura (PSC), que concorreu ao Senado e não foi vitorioso; Valadares Filho (PSB), que disputou o governo e não ganhou; Adelson Barreto (PR) e Jony Marcos (PRB), que não conseguiram a reeleição.
Já para o Senado não voltarão Antônio Carlos Valadares (PSB), que não conseguiu a reeleição; e Eduardo Amorim (PSDB), que não disputou a reeleição, mas mandato de governador e perdeu. 
Continuarão como deputado estadual para mais uma legislatura: Georgeo Passos (PPS), Gilmar Carvalho (PSC), Zezinho Guimarães (MDB), Vanderbal Marinho (PSC), Maria Mendonça (PSDB), Luciano Pimentel (PSB), Jeferson Andrade (PSD), Goretti Reis (PSD), Capitão Samuel (PSC), Francisco Gualberto (PT) e Garibalde Mendonça (MDB). Já na Câmara, permanecerão como deputados Fábio Reis (MDB), Fábio Mitidieri (PSD), Laércio Oliveira (PP) e João Daniel (PT).
Dos parlamentares de Sergipe que ficarão sem mandato pelo menos um vai fazer grande falta ao estado: André Moura, pela sua capacidade de ter conseguido liberar um volume grande de recursos do governo federal para a capital sergipana e municípios do interior, beneficiando, e muito, ao povo sergipano. 

A partir dessa sexta-feira, quando começa  a nova legislatura, 12 dos 24 deputados  estaduais não retornarão à Assembleia Legislativa, quatro dos oito deputados federais não permanecerão na Câmara dos Deputados e dois senadores não continuarão no Senado.
Com isso, hoje é o último dia de atividade parlamentar de 12 deputados que não continuarão na Assembleia: Antônio dos Santos (PSC), Silvia Fontes (PDT), Paulinho da Varzinhas (PSC), Luiz Mitidieri (PSD), Gustinho Ribeiro (SD), Ana Lúcia (PT), Augusto Bezerra (PHS), Adelson Barreto Filho (PR), Moritos Matos (PPS), Venâncio Fonseca (PSC), Robson Viana (PSD) e Jairo de Glória (PRB). 
Vale ressaltar que desses 12 deputados que não permanecerão na Assembleia, sete não disputaram a reeleição: Antônio dos Santos e Gustinho Ribeiro, porque concorreram a mandato de deputado federal e só Gustinho foi eleito; Silvia Fontes por ter disputado mandato de vice-governadora na chapa encabeçada por Valadares Filho (PSB); Paulinho da Varzinhas e Augusto Bezerra por estarem inelegíveis; Luiz Mitidieri e Ana Lúcia (PT) por terem feito a opção de não disputar nenhum mandato.
Não conseguiram a reeleição os deputados Adelson Barreto Filho, Moritos Matos, Venâncio Fonseca, Robson Viana e Jairo de Glória.
Dois oito deputados federais por Sergipe estarão sem mandato a partir de amanhã: André Moura (PSC), que concorreu ao Senado e não foi vitorioso; Valadares Filho (PSB), que disputou o governo e não ganhou; Adelson Barreto (PR) e Jony Marcos (PRB), que não conseguiram a reeleição.
Já para o Senado não voltarão Antônio Carlos Valadares (PSB), que não conseguiu a reeleição; e Eduardo Amorim (PSDB), que não disputou a reeleição, mas mandato de governador e perdeu. 
Continuarão como deputado estadual para mais uma legislatura: Georgeo Passos (PPS), Gilmar Carvalho (PSC), Zezinho Guimarães (MDB), Vanderbal Marinho (PSC), Maria Mendonça (PSDB), Luciano Pimentel (PSB), Jeferson Andrade (PSD), Goretti Reis (PSD), Capitão Samuel (PSC), Francisco Gualberto (PT) e Garibalde Mendonça (MDB). Já na Câmara, permanecerão como deputados Fábio Reis (MDB), Fábio Mitidieri (PSD), Laércio Oliveira (PP) e João Daniel (PT).
Dos parlamentares de Sergipe que ficarão sem mandato pelo menos um vai fazer grande falta ao estado: André Moura, pela sua capacidade de ter conseguido liberar um volume grande de recursos do governo federal para a capital sergipana e municípios do interior, beneficiando, e muito, ao povo sergipano. 

Eleição na Alese 1

A pouco mais de 24 horas da eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa para o biênio 2019/2020 não foi estabelecido um consenso para chapa única. O presidente da Alese, Luciano Bispo (MDB), que deseja permanecer presidindo a Casa por mais dois anos, continua conversando com os deputados para fechamento da chapa e consolidação de apoios, assim como o deputado Zezinho Guimarães (MDB) permanece se articulando para lançar outra chapa com apoio da oposição. 

Eleição na Alese 2

Luciano continua com apenas três nomes definido na chapa: o dele como presidente, o de Francisco Gualberto (PT) como vice e de Jeferson Andrade (PSD) com 1º secretário. Ofereceu a 2ª secretaria a Garibalde Mendonça (MDB) e a 4º secretaria ao G4 (grupo dos quatro), deixando em aberto para novos entendimentos a 3ª secretaria.

Eleição na Alese 3

Luciano conversou com os integrantes do G4 - que são o deputado reeleito George Passos (PPS) e os deputados eleitos Kitty Lima (PPS), Samuel Carvalho (PPS) e Rodrigo Valadares (PTB) - oportunidade em que ofereceu a 4ª secretaria ao grupo para que indicasse um nome entre eles.  Georgeo disse que se for chapa única votaria sem problema em Luciano, mas se tiver outra chapa votará nela por ser oposição.

Eleição na Alese 4

Garibalde Mendonça, como a coluna divulgou ontem, recursou o convite para ser o 2º secretário por entender que como está havendo uma permanência de nomes no cargo ele também esperava permanecer como vice-presidente pela lealdade a Luciano. Bispo vai manter o convite da 2ª secretaria a Garibalde e espera que ele reavalie sua posição até hoje.

Eleição na Alese 5

Já na chapa que está sendo articulada por Zezinho Guimarães com a justificativa de que não aceita "chapa pronta", ainda não se tinha uma definição de qualquer nome em algum cargo até o fechamento ontem da coluna. Ele espera o apoio de alguns aliados do governador Belivaldo Chagas (PSD), como Garibalde, e dos deputados da oposição e independentes.

Eleição na Alese 6

Um aliado de Luciano Bispo garante que ele não impôs nenhuma "chapa pronta". Revela que o presidente vem conversando com os deputados reeleitos e eleitos, seja da situação ou oposição, na presença de Gualberto e Jeferson Andrade; está mostrando o seu trabalho de quatro anos como presidente, a relação com os colegas parlamentar e pedindo apoio. "Ele nunca se impôs como presidente da Assembleia. Imagine como candidato!", afirmou.

Alfinetada 1

"O que Zezinho Guimarães quer, com as suas atitudes, é usar a oposição para conseguir a vaga de 1º secretário na chapa encabeçada por Luciano Bispo. Tanto é que ainda não se tem uma definição, sequer, de quem pode ser o candidato a presidente na chapa que articula lançar", avalia um deputado aliado.

Alfinetada 2

Segundo um outro deputado aliado de Luciano Bispo, a chapa que está sendo articulada por Zezinho Guimarães não terá mais de sete votos. "Ele pode contar com os votos de Georgeo Passos, Kitty Lima, Dr. Samuel, Rodrigo Valadares e Goretti Reis, além do dele. O voto de Garibalde ainda é uma incógnita", avalia.

Votação secreta

A eleição da Mesa Diretora da Assembleia ocorrerá amanhã, às 15h, no plenário da Casa logo após a solenidade de posse dos 24 deputados estaduais eleitos em outubro passado. A votação será secreta. 

Reunião PT e PSOL 1

Dirigentes do PT e do PSOL em Estância se reuniram anteontem à noite, na casa do presidente municipal do PT, Dominguinhos Machado. Analisaram a conjuntura municipal, estadual e nacional e defenderam a necessidade da manutenção de um bloco que solidifique a classe trabalhadora, os movimentos sociais e os partidos de esquerda para continuarem na defesa da democracia, do estado democrático de direito e das liberdades individuais, bem como na defesa do ex-presidente Lula, que consideram  um preso político que precisa ser libertado para que possam restabelecer a imparcialidade jurídica no país.

Reunião PT e PSOL 2

Outro assunto debatido pelas duas siglas foi o processo de construção das eleições de 2020, quando o PT espera construir um nome para disputar a prefeitura municipal e formar uma chapa competitiva de vereador.  Os dirigentes dos dois partidos defenderam a necessidade de ampliar o diálogo com as forças do campo democrático e popular da cidade para as eleições municipais. Ficou acordado ainda que o PT promoverá nos próximos meses seminários para debater e defender o legado dos governos petistas de Lula e Dilma.

Ponto de vista

Para Dominguinhos, a reunião foi bastante produtiva. "A abertura do diálogo entre o PT e o PSOL consolida uma nova fase de amadurecimento político para uma geração que sempre teve como alicerce os movimentos sociais, as pautas das minorias e o fortalecimento da classe trabalhadora", finaliza.

Reforma da previdência 1

Como integrante da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) participou ontem de encontro com o ministro Paulo Guedes (Economia), que discutiu o apoio dos municípios para a reforma da previdência. A FNP apoia o projeto que estabelece a idade mínima de aposentadoria em 62 anos para homens e 57 anos para mulheres.

Ajustes fiscais

Segundo o prefeito de Campinas e presidente da FNP, Jonas Donizette (PSB), o texto da proposta está passando pelos ajustes finais antes de ser encaminhado ao Congresso Nacional. Ele disse que o ministro Paulo Guedes informou que o principal ponto a ser definido é a velocidade da transição para as novas regras. "Os municípios querem uma transição que seja rápida o bastante para não jogar para o futuro uma reforma que é necessária para agora", declarou.

Que valha para todos

Os prefeitos pediram a Guedes que a proposta de reforma da Previdência valha automaticamente para estados e municípios. Segundo ele, muitas prefeituras, principalmente de grandes capitais, estão com dificuldades financeiras e usam quase toda ou toda a arrecadação do IPTU para cobrir o déficit da Previdência dos servidores locais. "Uma reforma previdenciária é muito importante para sustentar as aposentadorias futuras", disse o presidente da FNP.

Veja essa ...

Do ex-deputado estadual Reinaldo Moura alfinetando indiretamente o deputado estadual eleito Rodrigo Valadares (PTB), sobrinho do senador Valadares (PSB), sobre a eleição da Assembleia: "A quem interessar possa o ingratinho declarou hoje [ontem] na imprensa que está havendo influências externas no processo eleitoral da Assembleia Legislativa. Como estou em lua de mel com Vavazão vou deixar de contar a história da eleição do paletó, prá que esse mimadinho ingrato aprenda o que é uma eleição na AL".

...e essa...

Prossegue Reinaldo, que é pai do deputado federal André Moura: "Como diz Bareta: a cana é dura. Chegou agora e já quer chupar roletinho mole.

Primeiro tem que aprender a descascar a cana. Peguei leve não foi Vavá?

Em tempo: Jegue e sertão já estão acostumados com o calor da guerra.

Janelinha no ônibus só daqui a uns 4 anos e olhe lá".

Curtas

Será no próximo dia 5 de fevereiro a reunião do governador Belivaldo Chagas (PSD) com os secretários para tratar da crise econômica do estado. Ela ocorrerá pela manhã, no Palácio de Despachos.

Em Lagarto é forte os comentários de que o prefeito Valmir Monteiro (PSC) estaria negociando à venda da folha de pagamento dos servidores do município para o desconhecido banco Sicredi, com sede em Porto Alegre (RS).  O gerenciamento da folha de pessoal hoje é da Caixa Econômica Federal. 

A vereadora Emília Corrêa (Patriota) afirma que começa a receber alguns "ataques" devido ao seu posicionamento firme e o seu nome ser especulado para prefeita de Aracaju em 2020. "O desejo dos aracajuanos por mudança tem incomodado os caciques da política", avalia. 

Ressalta Emília que se encontra feliz por estar ligada ao grupo a 'Liga da Renovação'. "São nomes fortes e preparados como a delegada Danielle Garcia e o empresário Milton Andrade que vem demonstrando compromisso com a mudança afim de proporcionar uma vida melhor para as pessoas", afirma.