Segundo escalão

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
De volta das férias o deputado federal reeleito Fábio Mitidieri (PSD) recebeu ontem a visita de várias lideranças políticas. Entre os que lhe visitaram o ex-deputado federal Heleno Silva e o deputado federal Jony Marcos, do PRB.  \"Hoje recebi a visit
De volta das férias o deputado federal reeleito Fábio Mitidieri (PSD) recebeu ontem a visita de várias lideranças políticas. Entre os que lhe visitaram o ex-deputado federal Heleno Silva e o deputado federal Jony Marcos, do PRB. \"Hoje recebi a visit

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 23/01/2019 às 06:36:00

 

Com o fechamento dos nomes do 
primeiro escalão do governo na úl-
tima segunda-feira, com o anúncio de Ubirajara Barreto para a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (SEDURBS), o governador Belivaldo Chagas (PSD) iniciará a reforma administrativa do segundo escalão e, consequentemente, a definição dos nomes.
Fazem parte do segundo escalão os seguintes órgãos: Agrese e Segrase, vinculados a Secretaria Geral de Governo; Sergipeprevidência, Ipesaúde e Emgetis, vinculados a Secretaria de Administração; o Banese, ligado a Secretaria da Fazenda; Renascer a Inclusão Social; Fundação Aperipê a Secretaria da Educação; o FHS, PSPH e Funesa, ligados a Saúde; Emsetur ligada a Secretaria de Turismo; o Detran a Segurança Pública; Jucese, ITPS, Fapitec, Codise e Sergás ligadao a Desenvolvimento Econômico; Emdagro e Cohidro vinculadas a Agricultura; e DER, Adema, Deso e Cehop ligados a nova Secretaria de Desenvolvimento Urbano.
A coluna tem informações que o governador estuda a possibilidade de acabar com a Cohidro e a Emgetis. Também pensa em acabar com a Emsetur ou Secretaria de Turismo, já externado pelo próprio Belivaldo quando anunciou o projeto de reforma administrativa do primeiro escalão. É também um pensamento transformar a Cehop (Companhia Estadual de Habitação e Obras Públicas) em Dehop (Departamento Estadual de Habitação e Obras Públicas).
Ao transformar a Cehop em Dehop, a empresa voltará à função de realizar as obras públicas do estado como era há muitos anos.
No segundo escalão, Belivaldo só definiu e nomeou, até o momento, os gestores da Fundação Aperipê  de Arte e Cultura (Fundac), que é a ex-deputada estadual Conceição Vieira, e o da Junta Comercial de Sergipe (Jucese), que é o administrador Marco Freitas.
Como a coluna já vem informando, é tido como certo o retorno de Carlos Melo para o comando da Deso. Hoje ele é o diretor presidente da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro), que pode ser extinta.
É muito provável que ocorram mudanças no comando do Detran e do DER, entre outros órgãos do segundo escalão.
Agora é aguardar a definição dos nomes daqueles que vão comandar os órgãos do segundo escalão do governo e que, com certeza, passará por conversas com os aliados.  Muitos podem ser mantidos e alguns substituídos.

Com o fechamento dos nomes do  primeiro escalão do governo na úl- tima segunda-feira, com o anúncio de Ubirajara Barreto para a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (SEDURBS), o governador Belivaldo Chagas (PSD) iniciará a reforma administrativa do segundo escalão e, consequentemente, a definição dos nomes.
Fazem parte do segundo escalão os seguintes órgãos: Agrese e Segrase, vinculados a Secretaria Geral de Governo; Sergipeprevidência, Ipesaúde e Emgetis, vinculados a Secretaria de Administração; o Banese, ligado a Secretaria da Fazenda; Renascer a Inclusão Social; Fundação Aperipê a Secretaria da Educação; o FHS, PSPH e Funesa, ligados a Saúde; Emsetur ligada a Secretaria de Turismo; o Detran a Segurança Pública; Jucese, ITPS, Fapitec, Codise e Sergás ligadao a Desenvolvimento Econômico; Emdagro e Cohidro vinculadas a Agricultura; e DER, Adema, Deso e Cehop ligados a nova Secretaria de Desenvolvimento Urbano.
A coluna tem informações que o governador estuda a possibilidade de acabar com a Cohidro e a Emgetis. Também pensa em acabar com a Emsetur ou Secretaria de Turismo, já externado pelo próprio Belivaldo quando anunciou o projeto de reforma administrativa do primeiro escalão. É também um pensamento transformar a Cehop (Companhia Estadual de Habitação e Obras Públicas) em Dehop (Departamento Estadual de Habitação e Obras Públicas).
Ao transformar a Cehop em Dehop, a empresa voltará à função de realizar as obras públicas do estado como era há muitos anos.
No segundo escalão, Belivaldo só definiu e nomeou, até o momento, os gestores da Fundação Aperipê  de Arte e Cultura (Fundac), que é a ex-deputada estadual Conceição Vieira, e o da Junta Comercial de Sergipe (Jucese), que é o administrador Marco Freitas.
Como a coluna já vem informando, é tido como certo o retorno de Carlos Melo para o comando da Deso. Hoje ele é o diretor presidente da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro), que pode ser extinta.
É muito provável que ocorram mudanças no comando do Detran e do DER, entre outros órgãos do segundo escalão.
Agora é aguardar a definição dos nomes daqueles que vão comandar os órgãos do segundo escalão do governo e que, com certeza, passará por conversas com os aliados.  Muitos podem ser mantidos e alguns substituídos.

Justa causa 1

O deputado estadual reeleito Capitão Samuel (PSC) está convicto de que pode deixar o seu partido sem correr risco de perder o mandato por infidelidade partidária. Cita a lei 13.165, artigo 22, que trata da saída de partido sem perda do mandato nas seguintes circunstâncias: Mudança substancial ou desvio reiterado do programa partidário; grave discriminação pessoal; ou janela partidária.

Justa causa 2

Para o deputado, a distribuição dos recursos durante a campanha eleitoral feita pelo PSC nacional foi "grave discriminação pessoal".  Se refere ao fato do partido não ter destinado nenhum recurso do fundo partidário para os deputados estaduais de Sergipe que disputaram a reeleição.

Nem ai

Com isso capitão Samuel vai de encontro ao alerta dado pelo presidente estadual do PSC, deputado federal André Moura, de que pode perder o mandato automaticamente o parlamentar eleito que deixar o partido antes do prazo estabelecido pela legislação eleitoral. E que não é a legenda que reivindicará o mandato, mas os suplentes.

Seguidores

O deputado Samuel pensa em deixar o PSC para se filiar ao PSL e, segundo ele, com mais dois deputados estaduais e um deputado federal. O deputado estadual Gilmar Carvalho, já pré-candidato a prefeito de Aracaju, também pensa em deixar o PSC assim como o deputado federal eleito Valdevan 90. Todos contrariados com a não ajuda financeira do partido a nível nacional na campanha eleitoral.     

Nos bastidores da Alese 1

O presidente da Assembleia Legislativa, Luciano Bispo (MDB), continua confiante que vai conseguir ser diplomado deputado no dia 1º de fevereiro e, consequentemente, permanece trabalhando para ser o nome de consenso para continuar presidente da Casa no biênio 2019/2020. "Luciano ainda não jogou a toalha", afirmou uma fonte.  

Nos bastidores da Alese 2

Segundo ainda a fonte, o deputado estadual não releito Venâncio Fonseca (PSC) está sendo o grande articulador da eleição da nova Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, participando de reuniões com deputados. "Venâncio, inclusive, já está exercendo a função de articulador entre o governo e os parlamentares", disse.  

Nos bastidores da Alese 3

Ressalta ainda a fonte que a permanência da indefinição da situação de Luciano Bispo a nove dias da posse dos deputados eleitos e da eleição da Mesa Diretora levou os deputados estaduais Jeferson Andrade (PSD), Zezinho Guimarães (MDB) e Garibalde Mendonça (MDB) a já caírem em campo para conseguir consolidar seus nomes para a presidência. E que a deputada estadual reeleita Goretti Reis (PSD) colocou seu nome como candidata a presidente da Assembleia e oferecendo a vice ao ainda líder do governo na Alese, Francisco Gualberto (PT).  

Um vice

Desde que o deputado federal reeleito Fábio Mitidieri (PSD) declarou apoio a reeleição do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) em 2020 que começou a se especular que o partido vai querer indicar o vice de Edvaldo. Agora, o que está sendo ventilado é o nome do secretário municipal da Juventude e do Esporte, Jorginho Araújo (PSD), como o vice. Jorginho é filho do ex-deputado estadual Jorge Araújo (PSD). 

Arregaçando as mangas

Simone Andrade (PCdoB) está trabalhando para ser candidata a prefeita de Riachão do Dantas em eleição suplementar a ser marcada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), em razão da cassação do mandato da prefeita Gerana Costa (Avante) e do seu vice por abuso de poder econômico, nas modalidades dos meios de comunicação, e fraude ao processo eleitoral referente ao pleito de 2016.

Turismo 1

Na manhã de ontem os prefeitos Gilson Andrade (sem partido-Estância), Adinaldo Nascimento (MDB-Indiaroba), Edson Cruz (MDB-Santa Luzia do Itanhy) e Marcos Santana (MDB-São Cristóvão) estiveram reunidos na Prefeitura de Estância visando fomentar o turismo na região costeira do Estado. A proposta é que os municípios trabalhem unidos para a formação de um consórcio intermunicipal para auxiliar na busca de recursos e em ações conjuntas para o fortalecimento do turismo e geração de emprego e renda em toda a cadeia que envolve o Trade Turístico.

Turismo 2

Para Gilson Andrade, esta pauta é importantíssima para estes municípios. "É uma região com potencial turístico muito forte. Então, surgiu a ideia da criação deste consórcio. Foi a primeira reunião e vamos criar uma agenda de reuniões com os secretários de Estado do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente e o de Turismo e com o governador do Estado, Belivaldo Chagas. Vamos criar um plano de ação e desenvolvimento para o Turismo da região", afirmou.

Indiciado

Após conclusão de inquérito a polícia civil indiciou o ex-vereador de Nossa Senhora do Socorro, Zé Hilton, pelos crimes de lavagem de dinheiro, tráfico de drogas e associação ao tráfico. O pedido já foi encaminhado ao Ministério Público para ajuizar a ação contra o ex-vereador que foi preso no dia 27 de novembro do ano passado, com mais duas pessoas, pela suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas e homicídios. 

Veja essa ...

O gabinete do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) empregou a mãe e a mulher do ex-capitão da Polícia Militar Adriano Magalhães da Nóbrega, homem-forte de uma organização criminosa. O policial é alvo de um mandado de prisão expedido nessa terça-feira em operação da Polícia Civil que prendeu acusados de integrar o Escritório do Crime. O ex-capitão é considerado foragido. Ele ainda não foi encontrado pelos policiais. Mais um ato político escuso do filho primogênito do presidente Bolsonaro. 

Curtas

Durante live entre amigos do ex-vereador de Estância, Dominguinhos do PT, o diretor do Hospital Regional Amparo de Maria, Joaldo Santos, informou que o hospital irá inaugurar nesse final de mês o Portal da Transparência. 

Segundo Joaldo, que o Amparo de Maria será o primeiro hospital filantrópico de Sergipe a fazer isso. "É preciso informar aos usuários do SUS como está sendo usado o recurso que entra no hospital", ressaltou. 

O PT, o PSB e o Psol anunciaram ontem que formarão um bloco de partidos de esquerda para se opor na Câmara dos Deputados ao governo de Jair Bolsonaro. Os três partidos contam com 96 deputados no total.

A intenção é tentar juntar todas as siglas de esquerda, incluindo o PCdoB, PDT e Rede no bloco de oposição a Bolsonaro. Em Sergipe são aliados, por enquanto, apenas o PCdoB e o PT.