Disputa na Alese

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O deputado estadual Georgeo Passos (Rede), líder da oposição, não apenas votou a favor da antecipação dos royalties de petróleo para pagamento de aposentados e pensionistas, como fez um discurso defendendo a posição do governador Belivaldo Chagas.
O deputado estadual Georgeo Passos (Rede), líder da oposição, não apenas votou a favor da antecipação dos royalties de petróleo para pagamento de aposentados e pensionistas, como fez um discurso defendendo a posição do governador Belivaldo Chagas.

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 04/01/2019 às 05:51:00

 

Após as eleições de outubro do ano passa-
do três deputados estaduais reeleitos da 
base aliada do governador reeleito Belivaldo Chagas (PSD) demonstraram interesse em ser o presidente da Assembleia Legislativa no biênio 2019/2020: Luciano Bispo (MDB), atual presidente; Garibalde Mendonça (MDB), atual vice; e Jeferson Andrade (PSD), atual 1º secretário da Mesa Diretora.
Visando um consenso entre os aliados, Belivaldo conversou com os três e chegou-se a um entendimento que Luciano disputaria novamente a presidência da Assembleia, tendo Garibalde como vice e Jeferson como 1º secretário.
Esse acordo deve ruir com a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de cassar o próximo mandato de Luciano Bispo por improbidade administrativa quando prefeito de Itabaiana. Se ele não conseguir judicialmente reverter a decisão até 31 de janeiro, ficará sem mandato a partir de 1º de fevereiro, quando ocorrerá eleição da Mesa Diretora da Assembleia para o próximo biênio.
Como é grande a possibilidade de Bispo não conseguir reverter até o final do mês a cassação do seu mandato, Garibalde e Jeferson já trabalham para consolidar seus nomes como candidato a presidente. Um não quer abrir para o outro, tornando a disputa acirrada.
A coluna tem informações que o governador teria dito que lavaria as mãos, como Pilatos, se Luciano não puder ser candidato. Fala-se que Jeferson já conta com nove votos e Garibalde com quatro, e que existe uma "briga" aberta entre os dois. 
Com esse impasse e Belivaldo não se envolvendo na eleição o também deputado estadual reeleito da base governista Zezinho Guimarães (MDB) decidiu cair em campo. Está trabalhando seu nome para presidente e tem dito que já tem 10 votos, só faltando um com o dele para ser eleito o próximo presidente da Alese.
É que em uma disputa com Garibalde ou Jeferson, Zezinho só precisa de 12 votos e não 13, que é a maioria na Assembleia, por ser o mais velho dos dois. O regimento interno prevê que em caso de empate na disputa para presidente da Casa ganha o candidato mais velho na idade.
Zezinho está confiante que sem Luciano no páreo ele pode ser eleito presidente da Alese com o apoio de aliados do governo e da oposição. Deve ter como certo os votos da maioria dos quatro deputados do PSC, dos dois eleitos pela Rede e os dois eleitos pelo PPS. Pode contar ainda com os votos do PSDB e PSB, que elegeram um parlamentar.
Trocando em miúdos, se a eleição da nova Mesa Diretora da Assembleia fosse hoje, com o atual cenário político, Zezinho seria eleito presidente... 
E se não tiver nenhum acidente de percurso ele pode ser eleito presidente em 1º de fevereiro...

Após as eleições de outubro do ano passa- do três deputados estaduais reeleitos da  base aliada do governador reeleito Belivaldo Chagas (PSD) demonstraram interesse em ser o presidente da Assembleia Legislativa no biênio 2019/2020: Luciano Bispo (MDB), atual presidente; Garibalde Mendonça (MDB), atual vice; e Jeferson Andrade (PSD), atual 1º secretário da Mesa Diretora.
Visando um consenso entre os aliados, Belivaldo conversou com os três e chegou-se a um entendimento que Luciano disputaria novamente a presidência da Assembleia, tendo Garibalde como vice e Jeferson como 1º secretário.
Esse acordo deve ruir com a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de cassar o próximo mandato de Luciano Bispo por improbidade administrativa quando prefeito de Itabaiana. Se ele não conseguir judicialmente reverter a decisão até 31 de janeiro, ficará sem mandato a partir de 1º de fevereiro, quando ocorrerá eleição da Mesa Diretora da Assembleia para o próximo biênio.
Como é grande a possibilidade de Bispo não conseguir reverter até o final do mês a cassação do seu mandato, Garibalde e Jeferson já trabalham para consolidar seus nomes como candidato a presidente. Um não quer abrir para o outro, tornando a disputa acirrada.
A coluna tem informações que o governador teria dito que lavaria as mãos, como Pilatos, se Luciano não puder ser candidato. Fala-se que Jeferson já conta com nove votos e Garibalde com quatro, e que existe uma "briga" aberta entre os dois. 
Com esse impasse e Belivaldo não se envolvendo na eleição o também deputado estadual reeleito da base governista Zezinho Guimarães (MDB) decidiu cair em campo. Está trabalhando seu nome para presidente e tem dito que já tem 10 votos, só faltando um com o dele para ser eleito o próximo presidente da Alese.
É que em uma disputa com Garibalde ou Jeferson, Zezinho só precisa de 12 votos e não 13, que é a maioria na Assembleia, por ser o mais velho dos dois. O regimento interno prevê que em caso de empate na disputa para presidente da Casa ganha o candidato mais velho na idade.
Zezinho está confiante que sem Luciano no páreo ele pode ser eleito presidente da Alese com o apoio de aliados do governo e da oposição. Deve ter como certo os votos da maioria dos quatro deputados do PSC, dos dois eleitos pela Rede e os dois eleitos pelo PPS. Pode contar ainda com os votos do PSDB e PSB, que elegeram um parlamentar.
Trocando em miúdos, se a eleição da nova Mesa Diretora da Assembleia fosse hoje, com o atual cenário político, Zezinho seria eleito presidente... 
E se não tiver nenhum acidente de percurso ele pode ser eleito presidente em 1º de fevereiro...

1º escalão 1

O ex-candidato a deputado federal Alexandre Figueiredo (MDB) comandará a nova Secretaria da Transparência e Controle (SETC). Ele é filho do ex-secretário de Governo, Benedito Figueiredo, que nesse governo de Belivaldo Chagas (PSD) vai para casa junto com o também emedebista João Augusto Gama, ex-secretário da extinta Secretaria de Cultura.

1º escalão 2

Com a definição de Alexandre para a SETC, o governador só falta bater o martelo no primeiro escalão com o nome de quem vai comandar as secretarias da Inclusão, Assistência Social e do Trabalho (SEIT); do Turismo (SETUR); Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (SEDETEC); Justiça e Defesa do Consumidor (SEJUC); Agricultura, Desenvolvimento Agrário e Pesca (SEAGRI); e Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (SEDURBS).

1º escalão 3

Praticamente já está acordado que as Secretarias da Inclusão Social e da Justiça serão indicação do PSD do deputado federal reeleito Fábio Mitidieri; as da Agricultura e Turismo indicação do PT do senador eleito Rogério Carvalho; a de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade do MDB do ex-governador Jackson Barreto; e Desenvolvimento Econômico do deputado federal reeleito Laércio Oliveira (PP).

2º escalão 1

O governador Belivaldo Chagas já definiu que Carlos Melo, atual diretor presidente da Cohidro, voltará a comandar a Deso. A indicação de Melo, que é funcionário de carreira da Deso, é da sua cota pessoal.

2º escalão 2

Belivaldo também já bateu o martelo para a ida da ex-deputada estadual Conceição Vieira (PT) para a presidência da Fundação Aperipê de Arte e Cultura (Fundac), fruto da fusão da Secretaria da Cultura com Fundação Aperipê, que está vinculada a Secretaria da Educação, do Esporte e Cultura (SEDUC). Conceição, que chegou a ocupar a Casa Civil antes de José Carlos Felizola, também é da cota pessoal do governador. O atual presidente da Aperipê, Chiquinho Ferreira, pode ocupar uma diretoria operacional.

Especulação

A coluna tem informações que o ex-secretário da extinta Secretaria de Esporte, Antônio Hora, pode ser superintendente de Esporte vinculado a Secretaria da Educação ou secretário da Inclusão Social. É na cota do PSD de Fábio Mitidieri.

Unanimidade     

Os deputados estaduais aprovaram ontem, em sessão extraordinária, projeto de lei que permite ao Poder Executivo pegar empréstimo de antecipação de royalties na ordem de até R$ 400 milhões, mas só devendo antecipar R$ 250 milhões visando garantir pagamento de salários de aposentados e pensionistas. Para Francisco Gualberto (PT), os deputados votaram de forma unânime com a consciência de que o projeto não significa uma solução definitiva para o problema do déficit da previdência.

Decisão tomada

Na tribuna da Assembleia, Gualberto afirmou ontem que a defesa do projeto era o seu último pronunciamento como líder do governo na Casa, posto que ocupa desde 2007, ainda no governo de Marcelo Déda.  Ressaltou o deputado que já comunicou ao governador essa sua posição, mediante "algumas dificuldades pessoais para continuar na função", e agradeceu aos colegas pela "tolerância". 

Novo foco

Gualberto, que tem o interesse de participar da composição da nova Mesa Diretora da Assembleia para o biênio 2019/2020, afirmou que continuará defendendo o projeto governista e participando dos debates. Explicou que para que possa fazer isso a sua indicação na Mesa tem que ser como vice-presidente, uma vez que pelo regimento interno da Casa só nesse cargo pode participar das comissões, defender o projeto, os companheiros e a Assembleia.

Insatisfação 1

O deputado estadual Gilmar Carvalho (PSC) foi alfinetado indiretamente ontem por alguns colegas parlamentares por não ter comparecido à convocação extraordinária da Alese e ter criticado os colegas que votariam a favor do projeto de lei do Poder Executivo propondo o empréstimo de antecipação de royalties. Alfinetaram o parlamentar Zezinho Guimarães (MDB), Francisco Gualberto (PT) e Maria Mendonça (PSDB).

Insatisfação 2

Declarou Zezinho: "Mais uma vez essa Casa demonstra responsabilidade tanto com quem votará a favor quanto os que votarão contra. Nós deputados estamos demonstrando responsabilidade com o que abraçamos. Não é fugindo dos problemas e se abstendo de estar presente nas sessões quando convêm (para não ter desgastes perante a sociedade) que nós vamos resolver os problemas da previdência. Fico chocado quando vejo alguém se esconder dos problemas e depois querer dizer que a culpa é dos outros, pois estamos saindo do nosso recesso para mostrar responsabilidade ao contribuir com os aposentados, sabendo que não é definitivo".

Insatisfação 3

Prosseguiu Zezinho: "Lá atrás houve erros que não serão corrigidos. O que corrige são atitudes corretas, parcerias que deverão ser buscadas sejam com a Petrobras, com o Governo Federal, com o Canal de Xingó visando conseguir receitas para cobrir um problema que vem se desenhando ao longo dos anos".

Rompimento? 1

Não é das melhores hoje a relação política entre os aliados, o prefeito Valmir Monteiro (PSC-Lagarto) e o deputado federal eleito Gustinho Ribeiro (SD). Tanto é que no programa da Fan FM, apresentado por Narcizo Machado, o prefeito afirmou que recebeu informações de que Gustinho teria agido juridicamente nos bastidores para tirá-lo da prefeitura, uma vez que foi afastado do cargo no final de novembro pela acusação de irregularidades na administração do matadouro, tendo assumido a vice Hilda Ribeiro (SD), que vem a ser a esposa do deputado.

Rompimento? 2

De Gustinho Ribeiro respondendo a Valmir Monteiro: "Uma grande fantasia. Eu sou parlamentar, não sou promotor nem juiz. Quem o afastou do cargo foi a Justiça por prováveis desvios de recursos públicos do matadouro de Lagarto, não eu. E não acredito que ele tenha desviado recursos. Esperamos todos que ele consiga provar sua inocência nos tribunais".

Rompimento? 3

Declarou ainda: "Valmir tem o costume de acreditar em fofocas. Se eu quisesse derrubá-lo, não o teria ajudado em suas eleições e já o teria feito há muito tempo, tendo em vista a fragilidade jurídica dele desde o início da campanha". 

Veja essa ...

De Francisco Gualberto alfinetando indiretamente ontem o deputado Gilmar Carvalho com relação ao projeto de empréstimo do governo: "Tenho respeito e reconhecimento pela responsabilidade que os deputados têm demonstrado durante a legislatura. Independente de ser oposição ou situação. Mas rechaço a posição de alguém que compõe essa Casa e fica na rede social cuspindo regra oportunista, quando deveria estar aqui hoje e em outros dias cumprindo seu papel de parlamentar".

...e essa... 

Prosseguiu Gualberto: "Ao invés disso, prefere qualificar todos aqui como incompetentes diante dos problemas que o Brasil enfrenta, e não apenas Sergipe e o nosso governo. Não aceito essa posição calado. Não é justo que o oportunismo e a falta de responsabilidade se sobreponham diante de quem vem aqui se expor, defender posição e assumir responsabilidade".

Curtas

Seis dos 24 deputados estaduais não compareceram ontem à convocação extraordinária da Assembleia Legislativa: Gustinho Ribeiro (SD), Robson Viana (PSD), Gilmar Carvalho (PSC), Silvia Fontes (PDT), Paulinho da Varzinhas (PSC) e Vanderbal Marinho (PSC). 

O prefeito Valmir Monteiro, que por decisão judicial reassumiu o comando da Prefeitura de Lagarto, já disse que vai renomear todos os secretários exonerados pela prefeita interina Hilda Ribeiro.

Da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, no dia da cerimônia de transmissão de cargos aos pulos e riso largo: "É uma nova era no Brasil: menino veste azul e menina veste rosa". Só Jesus na causa com preconceito até com a cor de roupa.

O vídeo amador da ministra prestando essas declarações viralizou nas redes sociais, com a grande maioria criticando sua postura, foco e preconceito.