Quer o executivo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Por conta da solenidade de posse do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), em 1º de janeiro, a visitação institucional ao Palácio do Congresso Nacional ficará fechada até 3 de janeiro. Desde o dia 23 vem ocorrendo ensaios para a posse e feito fiscalizaçã
Por conta da solenidade de posse do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), em 1º de janeiro, a visitação institucional ao Palácio do Congresso Nacional ficará fechada até 3 de janeiro. Desde o dia 23 vem ocorrendo ensaios para a posse e feito fiscalizaçã

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 27/12/2018 às 05:58:00

 

A novidade política no período natali-
no em Sergipe foi a declaração do 
deputado federal reeleito Laércio Oliveira (PP) de que agora só disputará mandato para o Executivo, que pode ser a Prefeitura de Aracaju em 2020 e o Governo do Estado em 2022.
"Sou pré-candidato a prefeito de Aracaju e a governador. Vou disputar as próximas eleições para o Poder Executivo, seja a eleição qual for daqui para frente. Quem tiver na minha frente que saia da frente que vai eu e companhia limitada para cima",  declarou Laércio em vídeo que circulou nas redes sociais nos últimos dias.
Laércio foi reeleito para a Câmara dos Deputados na coligação do governador reeleito Belivaldo Chagas (PSD). Foi o segundo deputado federal eleito mais votado com 68.014 votos (6,81%) em Sergipe, sendo 13.980 votos (5,53%) em Aracaju.
Com o deputado se lançando pré-candidato a prefeito de Aracaju em 2020, já são sete os nomes ventilados para disputar a sucessão de Edvaldo Nogueira (PCdoB) a pouco menos de dois anos da próxima eleição e há dois meses do 2º turno do pleito deste ano. 
Os seis que já tem seus nomes colocados à mesa são: o deputado estadual reeleito Gilmar Carvalho (PSC); a vereadora Emília Correa (Patriota); o presidente da OAB, Henri Clay; o vice-presidente nacional do PT, Márcio Macedo; o ex-candidato a governador Milton Andrade (PMN); e o próprio prefeito que deve ir para a reeleição. 
Todos esses nomes tiveram uma boa votação em Aracaju no pleito deste ano, fato que está motivando cada um a disputar a prefeitura. Gilmar foi o deputado estadual eleito mais votado na capital, com 14.128 votos (5,12%). Disputaram uma cadeira na Assembleia Legislativa 335 candidatos.
Emilia Correa e Márcio Macedo, não eleitos por questão de legenda, foram os dois mais votados para a Câmara dos Deputados na capital, entre os 124 que estiveram na disputa. Emília conseguiu 34.805 votos (13,76%) em Aracaju e Márcio 16.238 votos (6,42%).
Henry Clay, que disputou o Senado, foi o segundo mais votado em Aracaju com 52.303 votos (10,77%), entre os 14 que disputaram mandato de senador. Já Milton Andrade foi o quinto mais votado na capital para o governo, obtendo 20.156 votos (7,55%).
Ainda tem o deputado federal Valadares Filho (PSB), que já concorreu a Prefeitura de Aracaju em 2014 e ao governo em 2018. Ele sempre foi bem votado na capital, chegando em segundo lugar nas eleições deste ano, quando obteve 59.142 votos (22,16%) no 1º turno e 128.187 votos (46,57%) no 2º turno somente na capital.
Como estará sem mandato a partir de 1º de fevereiro de 2019, Valadares Filho pode novamente disputar a Prefeitura de Aracaju.
Pelo andar da carruagem, Edvaldo Nogueira vai ter de trabalhar muito para garantir a sua reeleição em 2020...

A novidade política no período natali- no em Sergipe foi a declaração do  deputado federal reeleito Laércio Oliveira (PP) de que agora só disputará mandato para o Executivo, que pode ser a Prefeitura de Aracaju em 2020 e o Governo do Estado em 2022.
"Sou pré-candidato a prefeito de Aracaju e a governador. Vou disputar as próximas eleições para o Poder Executivo, seja a eleição qual for daqui para frente. Quem tiver na minha frente que saia da frente que vai eu e companhia limitada para cima",  declarou Laércio em vídeo que circulou nas redes sociais nos últimos dias.
Laércio foi reeleito para a Câmara dos Deputados na coligação do governador reeleito Belivaldo Chagas (PSD). Foi o segundo deputado federal eleito mais votado com 68.014 votos (6,81%) em Sergipe, sendo 13.980 votos (5,53%) em Aracaju.
Com o deputado se lançando pré-candidato a prefeito de Aracaju em 2020, já são sete os nomes ventilados para disputar a sucessão de Edvaldo Nogueira (PCdoB) a pouco menos de dois anos da próxima eleição e há dois meses do 2º turno do pleito deste ano. 
Os seis que já tem seus nomes colocados à mesa são: o deputado estadual reeleito Gilmar Carvalho (PSC); a vereadora Emília Correa (Patriota); o presidente da OAB, Henri Clay; o vice-presidente nacional do PT, Márcio Macedo; o ex-candidato a governador Milton Andrade (PMN); e o próprio prefeito que deve ir para a reeleição. 
Todos esses nomes tiveram uma boa votação em Aracaju no pleito deste ano, fato que está motivando cada um a disputar a prefeitura. Gilmar foi o deputado estadual eleito mais votado na capital, com 14.128 votos (5,12%). Disputaram uma cadeira na Assembleia Legislativa 335 candidatos.
Emilia Correa e Márcio Macedo, não eleitos por questão de legenda, foram os dois mais votados para a Câmara dos Deputados na capital, entre os 124 que estiveram na disputa. Emília conseguiu 34.805 votos (13,76%) em Aracaju e Márcio 16.238 votos (6,42%).
Henry Clay, que disputou o Senado, foi o segundo mais votado em Aracaju com 52.303 votos (10,77%), entre os 14 que disputaram mandato de senador. Já Milton Andrade foi o quinto mais votado na capital para o governo, obtendo 20.156 votos (7,55%).
Ainda tem o deputado federal Valadares Filho (PSB), que já concorreu a Prefeitura de Aracaju em 2014 e ao governo em 2018. Ele sempre foi bem votado na capital, chegando em segundo lugar nas eleições deste ano, quando obteve 59.142 votos (22,16%) no 1º turno e 128.187 votos (46,57%) no 2º turno somente na capital.
Como estará sem mandato a partir de 1º de fevereiro de 2019, Valadares Filho pode novamente disputar a Prefeitura de Aracaju.
Pelo andar da carruagem, Edvaldo Nogueira vai ter de trabalhar muito para garantir a sua reeleição em 2020...

Ponto de vista

Do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) sobre as discussões com relação as próximas eleições: "Há uma tentativa de tentar continuar no palanque. Nosso grupo político foi vitorioso e mostrou sua força.  Belivaldo Chagas  nem começou o seu segundo mandato ainda e já querem discutir as eleições de 2020 e 2022. É hora de deixar os gestores trabalharem!".

Bolsonaro

De Edvaldo, que votou em Fernando Haddad (PT), sobre o futuro governo federal: "Desejo toda sorte para o presidente eleito Jair Bolsonaro e torço para que faça o melhor para o povo brasileiro. Desci do palanque e vou buscar de todas as maneiras recursos para Aracaju. Enquanto prefeito, vou buscar tudo que puder para melhorar a vida dos aracajuanos".

Desistiu do executivo

A coluna chegou a informação de que o senador Eduardo Amorim (PSDB) tem confidenciado a amigos que será candidato a deputado federal em 2022 e que não pensa em disputar mandato para o Executivo. No pleito deste ano o parlamentar concorreu ao Governo do Estado, chegando em terceiro lugar no primeiro turno com 202.349 votos (20,50%).

PGE

Ainda esta semana o governador reeleito Belivaldo Chagas deve confirmar o nome do procurador Vinícius Oliveira para o cargo de procurador-geral do Estado, em substituição a Aparecida Gama. Com Vinícius, já serão sete os nomes confirmados por Belivaldo para o seu novo governo. 

No governo

Já está sendo especulado o nome do presidente da Assembleia Legislativa, Luciano Bispo (MDB), para ocupar uma secretaria no governo Belivaldo caso não consiga reverter a decisão de cassação do seu próximo mandato pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

Fusão

O Podemos, dos deputados estaduais eleitos Zezinho Sobral e Diná Almeida, vai incorporar o PHS do deputado estadual Augusto Bezerra. O partido, que lançou o candidato Álvaro Dias à Presidência, passará de 11 deputados federais para 17, superando o Solidariedade (SD) do deputado federal eleito Gustinho Ribeiro.  No Senado, a sigla terá sete deputados, se tornando a terceira maior bancada, atrás apenas do MDB e PSDB.

Em Sergipe 1

Mesmo faltando cinco dias para terminar o governo Michel Temer, o deputado federal André Moura (PSC) traz hoje a Sergipe mais um ministro: Rossieli Soares da Silva (Educação), que vem inaugurar uma creche em Nossa Senhora do Socorro, visitar o Hospital Materno Infantil da UFS, anunciar curso de Medicina em Estância e assinar convênios. Entre os convênios a serem liberados R$ 6,3 milhões destinados a 19 municípios para aquisição de ônibus escolares, construção de creches, reforma s e compra de carteiras escolares.

Em Sergipe 2

O ministro Rossieli chegará em Aracaju às 15h, onde concederá entrevista coletiva à imprensa no próprio aeroporto. De lá seguirá para cumprir agenda, retornando a Brasília às 21h.

Em Sergipe 3

Nessa sexta-feira quem estará em Sergipe é o ministro Alexandre Baldy (Cidades). Consta na agenda visita ao canteiro de obras onde estão sendo construídas mil casas populares em Nossa Senhora do Socorro, através do programa Minha Casa Minha Vida. Será às 11h30.

Queixa 1

Não foi só o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) que protestou nas redes sociais contra a Codevasf que só convidou o deputado André Moura para entrega de equipamentos agrícolas a mais de 60 prefeitos no último dia 22 de dezembro, já que os R$ 55 milhões para aquisição dos equipamentos foram de emendas de bancada. O senador Valadares (PSB) também protestou. 

Queixa 2

Declarou o senador: "Coisas de Sergipe d'El Rey: a Codevasf entregou mais de 200 máquinas e veículos a 60 prefeitos sergipanos e não se dignou a convidar para o ato todos os senadores e deputados que aprovaram a emenda impositiva (liberação obrigatória) de R$ 55 milhões. Parece que só um foi o autor".

Desabafo

O ex-deputado estadual e ex-conselheiro do TCE, Reinaldo Moura, pai de André, também fez um desabafo pelas redes sociais ironizando prefeitos que foram beneficiados pela liberação dos recursos conseguidos pelo filho neste final de ano, como líder do governo Temer no Congresso. Postou Reinaldo: "A quem interessar possa: Acompanhando na rede registros da solenidade de entrega de máquinas e equipamentos conseguidos pelo dep. André Moura e entregues hoje (22) em Pr opriá na presença de um monte de prefeitos. Sabe o mais engraçado? Lá agradeceram a André e nas redes quase todos nem tocaram no nome dele. Pedrinho Barreto que não é político foi o que mais reconheceu o trabalho de André. E viva a gratidão. Eu sou assim. Em tempo: Se agradecer depois dessa publicação já perdeu 99% do valor".

Reajuste de tarifa 1

Repercutiu muito nos últimos dias a postagem nas redes sociais do prefeito ACM Neto (DEM-Bahia) dizendo que está mantida a tarifa de ônibus de R$ 3,70 e que só vai discutir novo valor da tarifa quando os empresários iniciarem o processo de renovação da frota. O reajuste estava previsto para 2 de janeiro.

Reajuste da tarifa 2

Essa posição de ACM Neto foi ruim politicamente para o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), que autorizou aumento da tarifa de ônibus em Aracaju neste mês de dezembro em 14,2%, passando o valor de R$ 3,50 para R$ 4,00.  Na capital sergipana não teve renovação de frota e nenhum trabalhador obteve um reajuste nesse percentual, a não ser o pessoal do Judiciário (16%), que já ganha muito bem.   

Veja essa ...

A prefeita interina de Lagarto, Hilda Ribeiro (SD), exonerou o secretário Carlos da Brasília (Planejamento), que é considerado o "braço direito" do prefeito afastado Valmir Monteiro (PSC) e com nome especulado para ser seu sucessor em 2020. Em janeiro ela deve remanejar a irmã de Valmir, Alissandra Monteiro do Controle Interno para a Secretaria da Indústria, Comércio e Turismo.

Curtas

O prefeito Edvaldo Nogueira faz nesta quinta-feira um balanço da sua gestão em 2018. Será durante café da manhã com a imprensa, a partir das 7h, no Radisson Hotel.

Se Marcio Macedo não assumir mandato federal em Brasília, na condição de primeiro suplente da coligação de Belivaldo Chagas, pode assumir a presidência da Adema. Ele já foi secretário do Meio Ambiente no governo Marcelo Déda.

O eleitor que não votou no 2º turno das eleições deve justificar a ausência até hoje. A justificativa é necessária para quem por algum motivo não pôde comparecer. Não precisam justificar a ausência os eleitores analfabetos, os maiores de 70 anos e quem tem 16 ou 17 anos.

O cidadão pode procurar qualquer cartório eleitoral ou posto de atendimento para fazer a justificativa, momento em que fará o requerimento e apresentará os argumentos e documentação correspondente.