Estupro em Fortaleza pode ter ocorrido por intolerância política

Nacional

 

Edwirges Nogueira 
Agência Brasil  
 
Uma estudante de 33 anos foi vítima de estupro anteontem (25) próximo ao campus da Universidade de Fortaleza (Unifor), onde estuda. O crime gerou comoção e diversas entidades e estudantes protestaram na manhã de hoje em frente à instituição. A suspeita é que o crime tenha ocorrido por intolerância política.
Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS), o crime foi denunciado na noite de quinta-feira. A mulher se dirigiu à Casa da Mulher Brasileira e foi acolhida no Centro de Referência da Mulher por uma equipe de assistentes sociais e psicólogos. Ela foi encaminhada para a Perícia Forense para realização de exame de corpo de delito e, em seguida, a uma unidade de saúde para ser medicada.
A cópia de uma mensagem supostamente enviada para a estudante circula nas redes sociais. No texto, há a ameaça de estupro e a pessoa a chama de comunista.
Estudantes da Unifor e de outras universidades realizaram um protesto na manhã de hoje (26) contra a violência sofrida pela mulher e contra a intolerância política.
Nota da OAB - Em nota, a Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil - Secção Ceará (OAB/CE) disse que acompanha o caso "com consternação" e que o crime aparentemente ocorreu "por motivações políticas". Ainda segundo a nota, a estudante havia denunciado a autoridades de segurança que recebia ameaças há vários dias.
"É lamentável e repugnante o nível que se chega nessas eleições. É preocupante o empoderamento de grupos que repercutem o discurso de ódio", frisa a nota da comissão.

Uma estudante de 33 anos foi vítima de estupro anteontem (25) próximo ao campus da Universidade de Fortaleza (Unifor), onde estuda. O crime gerou comoção e diversas entidades e estudantes protestaram na manhã de hoje em frente à instituição. A suspeita é que o crime tenha ocorrido por intolerância política.
Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS), o crime foi denunciado na noite de quinta-feira. A mulher se dirigiu à Casa da Mulher Brasileira e foi acolhida no Centro de Referência da Mulher por uma equipe de assistentes sociais e psicólogos. Ela foi encaminhada para a Perícia Forense para realização de exame de corpo de delito e, em seguida, a uma unidade de saúde para ser medicada.
A cópia de uma mensagem supostamente enviada para a estudante circula nas redes sociais. No texto, há a ameaça de estupro e a pessoa a chama de comunista.
Estudantes da Unifor e de outras universidades realizaram um protesto na manhã de hoje (26) contra a violência sofrida pela mulher e contra a intolerância política.

Nota da OAB - Em nota, a Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil - Secção Ceará (OAB/CE) disse que acompanha o caso "com consternação" e que o crime aparentemente ocorreu "por motivações políticas". Ainda segundo a nota, a estudante havia denunciado a autoridades de segurança que recebia ameaças há vários dias.
"É lamentável e repugnante o nível que se chega nessas eleições. É preocupante o empoderamento de grupos que repercutem o discurso de ódio", frisa a nota da comissão.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS