Sem renovação

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Na reta final do segundo turno, o candidato Valadares Filho (PSB/PDT) decidiu colar sua campanha ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), seguindo a mesma postura do deputado federal André Moura (PSC), derrotado para o Senado, que só apoia o candidato do P
Na reta final do segundo turno, o candidato Valadares Filho (PSB/PDT) decidiu colar sua campanha ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), seguindo a mesma postura do deputado federal André Moura (PSC), derrotado para o Senado, que só apoia o candidato do P

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 24/10/2018 às 11:11:00

 

No início do processo eleitoral o ainda pré-
candidato a governador Valadares Filho 
(PSB) queria formar uma chapa com a cara de ficha limpa e renovação política. Conseguiu fazer uma chapa ficha limpa, mas não totalmente de renovação pela presença do seu pai, o senador Antônio Carlos Valadares (PSB), que está na política há mais de 50 anos e finalizando 24 anos de mandato de senador.
Valadares Filho, mesmo sem um grande grupo político, conseguiu chegar ao segundo turno das eleições não com a vantagem esperada. Ficou atrás de Belivaldo Chagas (PSD) com cerca de 200 mil votos, uma vez que conquistou nas urnas  212.169 votos (21,49%), enquanto o governador teve 403.252 votos (40,84%).
Já o senador Valadares acabou não sendo reeleito senador para o seu quarto mandato. E com uma diferença significativa, Valadares Filho teve que correr atrás do prejuízo para tentar conseguir virar e ganhar as eleições no segundo turno.
Mudou o marketing de campanha. Agora é o pessoal que fez a campanha do candidato presidenciável Henrique Meireles (MDB), que acabou tendo uma votação pífia, com 1.288.948 votos (1,20%), o que lhe rendeu um sétimo lugar. O poderoso ministro ex-ministro da Fazenda ficou atrás, inclusive, do Cabo Daciolo (Patriota), que conseguiu 1.348.323 votos (1,26%).
A campanha de Valadares Filho no segundo turno se tornou mais agressiva, inclusive, com ataques pessoais ao governador Belivaldo Chagas sobre sua idoneidade, quando todos sabem que nunca esteve envolvido em qualquer esquema de corrupção, assim como os Valadares. Sem falar na mentira de que o candidato a senador também derrotado nas urnas, André Moura (PSC), está apoiando Belivaldo no segundo turno.
O resultado disso foram vários direitos de resposta concedidos pela justiça eleitoral ao adversário Belivaldo e até pagamento de multa por divulgação de pesquisa inexistente.
Ainda para vencer as eleições neste segundo turno, Valadares Filho está fazendo sua campanha em cima dos apoios do senador eleito Alessandro Vieira (Rede) e da delegada Danielle Garcia, que foi exonerada do Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária e Administração Pública (DEOTAP) no governo Jackson Barreto.
Esse é o lado positivo da campanha, pois os dois delegados gozam do prestigio e da simpatia da sociedade sergipana. Alessandro foi o campeão de votos nestas eleições, não somente por ser um nome novo na política e que passa seriedade, mais por ter sido o segundo voto a senador de muitos sergipanos que deram o primeiro voto a Jackson Barreto (MDB), Valadares (PSB), André Moura (PSC) ou a Rogério Carvalho (PT).
 Já a delegada Danielle tem a simpatia dos sergipanos pela sua boa atuação à frente do DEOTAP, a sua forma competente de conduzir as investigações, assim como a solidariedade quando foi exonerada do cargo.
 Agora é esperar o próximo domingo, com o fechamento das urnas, se Valadares Filho vai conseguir virar sobre a grande diferença de votos do primeiro turno...

No início do processo eleitoral o ainda pré- candidato a governador Valadares Filho  (PSB) queria formar uma chapa com a cara de ficha limpa e renovação política. Conseguiu fazer uma chapa ficha limpa, mas não totalmente de renovação pela presença do seu pai, o senador Antônio Carlos Valadares (PSB), que está na política há mais de 50 anos e finalizando 24 anos de mandato de senador.
Valadares Filho, mesmo sem um grande grupo político, conseguiu chegar ao segundo turno das eleições não com a vantagem esperada. Ficou atrás de Belivaldo Chagas (PSD) com cerca de 200 mil votos, uma vez que conquistou nas urnas  212.169 votos (21,49%), enquanto o governador teve 403.252 votos (40,84%).
Já o senador Valadares acabou não sendo reeleito senador para o seu quarto mandato. E com uma diferença significativa, Valadares Filho teve que correr atrás do prejuízo para tentar conseguir virar e ganhar as eleições no segundo turno.
Mudou o marketing de campanha. Agora é o pessoal que fez a campanha do candidato presidenciável Henrique Meireles (MDB), que acabou tendo uma votação pífia, com 1.288.948 votos (1,20%), o que lhe rendeu um sétimo lugar. O poderoso ministro ex-ministro da Fazenda ficou atrás, inclusive, do Cabo Daciolo (Patriota), que conseguiu 1.348.323 votos (1,26%).
A campanha de Valadares Filho no segundo turno se tornou mais agressiva, inclusive, com ataques pessoais ao governador Belivaldo Chagas sobre sua idoneidade, quando todos sabem que nunca esteve envolvido em qualquer esquema de corrupção, assim como os Valadares. Sem falar na mentira de que o candidato a senador também derrotado nas urnas, André Moura (PSC), está apoiando Belivaldo no segundo turno.
O resultado disso foram vários direitos de resposta concedidos pela justiça eleitoral ao adversário Belivaldo e até pagamento de multa por divulgação de pesquisa inexistente.
Ainda para vencer as eleições neste segundo turno, Valadares Filho está fazendo sua campanha em cima dos apoios do senador eleito Alessandro Vieira (Rede) e da delegada Danielle Garcia, que foi exonerada do Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária e Administração Pública (DEOTAP) no governo Jackson Barreto.
Esse é o lado positivo da campanha, pois os dois delegados gozam do prestigio e da simpatia da sociedade sergipana. Alessandro foi o campeão de votos nestas eleições, não somente por ser um nome novo na política e que passa seriedade, mais por ter sido o segundo voto a senador de muitos sergipanos que deram o primeiro voto a Jackson Barreto (MDB), Valadares (PSB), André Moura (PSC) ou a Rogério Carvalho (PT).
 Já a delegada Danielle tem a simpatia dos sergipanos pela sua boa atuação à frente do DEOTAP, a sua forma competente de conduzir as investigações, assim como a solidariedade quando foi exonerada do cargo.
 Agora é esperar o próximo domingo, com o fechamento das urnas, se Valadares Filho vai conseguir virar sobre a grande diferença de votos do primeiro turno...

Debate na TV Atalaia 1

No debate da TV Atalaia realizado ontem à noite entre os candidatos a governador Belivaldo Chagas (PSD) e Valadares Filho (PSB) o que se viu foi VF partindo para cima tentando mostrar a incompetência do governo Jackson Barreto/Belivaldo, principalmente nas áreas de saúde e segurança pública; e insistindo na tese de que o deputado federal André Moura (PSC) o apoia e fará parte do seu governo junto com Jackson.

Debate na TV Atalaia 2

Valadares Filho falou que vai reestruturar a saúde e despolitizá-la, por ter virado balcão de negócios com secretários sendo candidatos a cargos eletivos; que vai acabar com a corrupção, a quantidade de cargos comissionados e secretarias. Ressaltava sempre que iria combater implacavelmente a corrupção, fazer auditoria nos contratos do governo e uma ampla reforma administrativa.

Debate na TV Atalaia 3

O candidato do PSB acusou ainda o governo Jackson/Belivaldo de perseguir delegados que trabalharam no combate a corrupção na gestão pública, enfatizando que no seu governo não haverá perseguição, pois vai atuar com independência e transparência. Falou sempre que Belivaldo era "Fake News", por mostrar Sergipe como melhor lugar para se viver.

Debate na TV Atalaia 4

Belivaldo rebateu dizendo que Valadares Filho devia, ao invés de destilar ódio e falar tanto em Jackson e André Moura, apresentar propostas de governo. Disse que ele não devia falar tanto de JB, que foi o coordenador da sua campanha a prefeito de Aracaju em 2012; por ter participado de três dos cinco anos do governo JB, com vários cargos nas secretarias que indicou os gestores; por ter "chorado" querendo o seu apoio para prefeito em 2016 e como não teve deixou o governo e saiu cuspindo no prato que comeu. Pediu que esquecesse Jackson que perdeu as eleições e vai para casa como o seu pai, o senador Valadares.

Debate na TV Atalaia 5

O governador alfinetou ainda Valadares Filho ao questionar quais projetos fez na área de saúde e segurança pública para o país e Sergipe nos 12 anos de mandato parlamentar. Perguntou o que fez pelo Hospital de Simão Dias, que é sua terra natal e ironizou que sabe que destinou muitos recursos de emendas de bancada para realizações de festas em Sergipe. O acusou de ser  um deputado ausente em Brasília, por só viver viajando para o exterior como membro de comissões da Câmara.      

Debate na TV Atalaia 6

Com relação a André Moura, o governador Belivaldo disse que era Valadares Filho quem escondia apoiadores, como fez em 2016 [se referiu a João Alves Filho e Maria do Carmo Alves], e que não estava escondendo apoio de André, que declarou que não votava nele nem em Valadares Filho.

Debate na TV Atalaia 7

Em relação a acusação de corrupção Belivaldo perguntou qual ala de corrupção que tanto fala no governo ele participou, uma vez que fez parte da administração, com cargos nos três dos cinco anos do governo Jackson Barreto. Sobre os cargos comissionados que tanto falou, Belivaldo afirmou que estranhava Valadares Filho falar sempre isso por gostar de uma "boquinha", com cargos no governo estadual, tendo ido ao palácio devolvê-los, e cargos no governo Temer.

Debate na TV Atalaia 8

No debate, Valadares Filho se expressou melhor, mas Belivaldo ganhou nos argumentos e nas melhores respostas de forma tranquila e moderada, sem demonstrar qualquer ódio.

Novas pesquisas 1

No último dia 21 de outubro quatro institutos registraram pesquisa de intenções de votos para governador de Sergipe, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), para serem divulgadas no próximo sábado, véspera das eleições. São eles: Ibope, Dataform, França e Dataplan.

Novas pesquisas 2

 O Ibope, que faz a segunda pesquisa no segundo turno em Sergipe, divulgará o resultado no jornal da noite da TV Sergipe. O instituto está ouvindo 812 eleitores entre os dias 21 e 27.

Novas pesquisas 3

O Dataform vai ouvir 1.200 eleitores entre os dias 24 e 26, o França ouvirá entre os dias 24 e 27 um total de 1.500 eleitores, e o Dataplan  entrevistará 1.200 eleitores entre os dias 23 e 25.

Novas pesquisas 4

Outros dois institutos registraram pesquisa para divulgação nessa quinta e sexta-feira. No dia 19 de outubro o Alô Sergipe registrou pesquisa no TRE para divulgação amanhã, após entrevistar 1.200 eleitores entre os dias 21 e 25. Já o Real Time Big Data registrou pesquisa dia 20 para divulgação dia 26 mediante ouvir 1.500 eleitores no dia 25.

Em destaque

Após o resultado das eleições de 7 de outubro em Sergipe, dois candidatos se destacaram pela boa votação sem a interferência de grupos políticos. São eles: o senador eleito Alessandro Vieira (Rede), que obteve 474.449 votos; e a vereadora Emília Correa (Patriota), que não foi eleita deputada federal por falta de quociente eleitoral, uma vez que conseguiu 52.921 votos, sendo a sétima candidata mais votada para a Câmara dos Deputados.

De olho na PMA 1

A votação expressiva de Emília Correa para a Câmara Federal já está fazendo ela pensar em ser candidata a prefeita de Aracaju em 2020. Todavia, ela diz que não é o momento de anunciar ou descartar uma candidatura ao Executivo Municipal por achar que é muita responsabilidade. "Não tenho medo de nada e sei que iria fazer tudo diferente para mostrar que é possível melhorar", garante. 

De olho na PMA 2

 "A renovação começou verdadeiramente a acontecer com uma faxina tirando aqueles que se acham os donos das vagas no poder público, mas ainda existe muito trabalho pela frente e que tudo não irá ser resolvido de uma hora para outra. Caminhei com Milton Andrade (PMN), uma excelente revelação, alguém que tem um futuro brilhante na política. Quero uma eleição que me dê liberdade de olhar para as pessoas e manter a coerência. O voto de cabresto está para acabar e espero que um dia não muito longe, finalmente acabe", afirma a vereadora.

Ponto de vista

Do senador eleito e presidente estadual do PT, Rogério Carvalho, sobre declarações do filho do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), Eduardo Bolsonaro, dizendo que bastaria apenas "um soldado e um cabo" para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF): "O desrespeito do filho do Bolsonaro é fruto de uma educação alienada e com pitadas de psicopatia. O coiso ainda quer ser presidente do nosso Brasil? Com a palavra, senhores ministros".

Veja essa ...

O deputado federal reeleito Capitão Augusto (PR-SP), que integra a bancada da bala na Câmara dos Deputados, declarou ao Congresso em Foco a intenção de a bancada da bala comandar a presidência da Casa e  ao menos três das principais comissões: a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a Comissão de Direitos Humanos (CDH) e a Comissão de Segurança Pública (CSP). "A Comissão de Relações Exteriores, normalmente, cai com a gente mesmo. Mas essas três [CCJ, a mais importante, CDH e CSP] a gente precisa pegar", disse ao Congresso em Foco, enfatizando que ele mesmo é pré-candidato à presidência da Câmara.

Curtas

Na agenda de hoje do candidato a governador Belivaldo Chagas consta entrevista a Fan FM, a partir das 7h30, depois agenda administrativa e no final da tarde carreata no Conjunto Bugio e Jardim Centenário.

O senador Valadares anda recolhido após o resultado das eleições do primeiro turno. Não tem postado mais nada nas redes sociais, que sempre usou bem para mandar seus recados e emitir opiniões.

O deputado federal André Moura (PSC) conseguiu liberar esta semana cerca de R$ 1 milhão de recursos na área de educação para 11 municípios de Sergipe.

Na quinta-feira, (18), André solicitou do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) recursos para reformas de creches e quadras poliesportivas, escolas municipais e mobiliário escolar de diversos municípios sergipanos. Em menos de uma semana o dinheiro foi pago.