Oposição rachada no 1º e 2º turno

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Nas carreatas que faz o governador Belivaldo Chagas não se aperreia quando chega à fome. Come até bolachão, como ocorreu em carreata na região do agreste.
Nas carreatas que faz o governador Belivaldo Chagas não se aperreia quando chega à fome. Come até bolachão, como ocorreu em carreata na região do agreste.

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 19/10/2018 às 07:08:00

 

Quando teve o racha da oposição no pro-
cesso eleitoral deste ano mediante as 
candidaturas a governador de Valadares Filho (PSB) e Eduardo Amorim (PSDB) já se esperava que um dos dois passaria para o segundo turno com o candidato governista Belivaldo Chagas (PSD).
No princípio, acreditava-se que o candidato tucano é quem iria para o segundo turno com o governador, por ter um grande agrupamento político, um maior número de prefeitos e lideranças apoiando, diferente de Valadares Filho.
Esse entendimento começou a cair por terra quando, já nas primeiras pesquisas de intenções de voto, Valadares Filho estava liderando a preferência do eleitor com a proposta de renovação, de ser a verdadeira mudança para Sergipe.
A abertura das urnas confirmou o equívoco inicial de que Valadares Filho seria logo derrotado no primeiro turno por não ter grupo político. Deu ele e Belivaldo, mesmo tendo obtido uma votação abaixo do esperado. 
Ainda no primeiro turno os aliados do governador torciam que ele fosse para o segundo turno com Eduardo Amorim, por achar mais fácil de derrota-lo pelo desgaste político, pela "chapa pesada" e pelo irmão Edivan Amorim.
Acreditavam que Valadares Filho seria mais difícil de vencer pela chapa leve e proposta de renovação, assim como pelo fato dele vir a receber no segundo turno o apoio do agrupamento político de Eduardo Amorim e André Moura, e os outros partidos de oposição.  
Mais um engano, pois a oposição rachou mesmo não só no primeiro turno como no segundo.  A maioria dos aliados de Eduardo e André não está apoiando Valadares Filho como se esperava, pelos desentendimentos políticos com relação à formação da chapa majoritária entre o senador Valadares e André Moura.       
Neste segundo turno Belivaldo é quem está recebendo mais adesões de lideranças políticas da oposição. Algumas por achar que ele será melhor para Sergipe, por não ser perseguidor e já ter experiência de gestor, e outras simplesmente por estarem chateadas com o senador Valadares pelo racha da oposição, ao ter criado dificuldades para uma composição de Eduardo Amorim governador com Valadares Filho vice só porque não aceitava disputar o Senado tendo André Moura como companheiro de chapa.  É o caso do prefeito Valmir Monteiro (PSC-Lagarto), que declarou isso à coluna.
Trocando em miúdos, esse novo racha da oposição, mais uma vez, só favorece Belivaldo. E se confirmando sua vitória no dia 28 de outubro,  o senador Valadares será considerado o responsável pela oposição não chegar ao governo em 2019...

Quando teve o racha da oposição no pro- cesso eleitoral deste ano mediante as  candidaturas a governador de Valadares Filho (PSB) e Eduardo Amorim (PSDB) já se esperava que um dos dois passaria para o segundo turno com o candidato governista Belivaldo Chagas (PSD).
No princípio, acreditava-se que o candidato tucano é quem iria para o segundo turno com o governador, por ter um grande agrupamento político, um maior número de prefeitos e lideranças apoiando, diferente de Valadares Filho.
Esse entendimento começou a cair por terra quando, já nas primeiras pesquisas de intenções de voto, Valadares Filho estava liderando a preferência do eleitor com a proposta de renovação, de ser a verdadeira mudança para Sergipe.
A abertura das urnas confirmou o equívoco inicial de que Valadares Filho seria logo derrotado no primeiro turno por não ter grupo político. Deu ele e Belivaldo, mesmo tendo obtido uma votação abaixo do esperado. 
Ainda no primeiro turno os aliados do governador torciam que ele fosse para o segundo turno com Eduardo Amorim, por achar mais fácil de derrota-lo pelo desgaste político, pela "chapa pesada" e pelo irmão Edivan Amorim.
Acreditavam que Valadares Filho seria mais difícil de vencer pela chapa leve e proposta de renovação, assim como pelo fato dele vir a receber no segundo turno o apoio do agrupamento político de Eduardo Amorim e André Moura, e os outros partidos de oposição.  
Mais um engano, pois a oposição rachou mesmo não só no primeiro turno como no segundo.  A maioria dos aliados de Eduardo e André não está apoiando Valadares Filho como se esperava, pelos desentendimentos políticos com relação à formação da chapa majoritária entre o senador Valadares e André Moura.       
Neste segundo turno Belivaldo é quem está recebendo mais adesões de lideranças políticas da oposição. Algumas por achar que ele será melhor para Sergipe, por não ser perseguidor e já ter experiência de gestor, e outras simplesmente por estarem chateadas com o senador Valadares pelo racha da oposição, ao ter criado dificuldades para uma composição de Eduardo Amorim governador com Valadares Filho vice só porque não aceitava disputar o Senado tendo André Moura como companheiro de chapa.  É o caso do prefeito Valmir Monteiro (PSC-Lagarto), que declarou isso à coluna.
Trocando em miúdos, esse novo racha da oposição, mais uma vez, só favorece Belivaldo. E se confirmando sua vitória no dia 28 de outubro,  o senador Valadares será considerado o responsável pela oposição não chegar ao governo em 2019...

Ibope em Sergipe 1

A primeira pesquisa Ibope deste segundo turno em Sergipe divulgada ontem à noite pela TV Sergipe mostrou o candidato a governador Belivaldo Chagas (PSD) com 50% das intenções de votos e o candidato Valadares Filho (PSB) com 36%. Levando em consideração APENAS os votos válidos, Belivaldo aparece com 58% e Valadares Filho com 42%.

Ibope em Sergipe 2

A nove dias das eleições, o Ibope mostrou que 10% do eleitorado em Sergipe pretende votar branco ou anular o voto e 4% não sabe em quem votar ou não quis opinar.

Ibope em Sergipe 3

A pesquisa, que confirma uma tendência do primeiro turno, foi realizada entre os dias 15 e 17, quando foram ouvidos 812 eleitores no estado. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. Ela foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) com o nº SE - 04381-2018.

O primeiro 1

O TRE já começou a caça às bruxas. Ontem, por 4 x 3, cassou o mandato do deputado estadual eleito Talyson Costa (PR), filho do prefeito Valmir de Francisquinho (PR-Itabaiana), por conduta vedada e abuso de poder econômico nas eleições deste ano quando foi o campeão de votos para a Assembleia Legislativa ao ter conquistado nas urnas 42.046 votos. A decisão cabe recurso.

O primeiro 2

A denúncia foi feita ao TRE pela ex-aliada do prefeito, a deputada estadual reeleita Maria Mendonça (PSDB). A parlamentar denunciou que Valmir de Francisquinho usou bens e recursos públicos do município de Itabaiana em benefício da campanha do filho Talysson.

Tem mais

A coluna tem conhecimento que outros eleitos este ano para a Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados também correm o risco de ter o mandato cassado por denúncias de compra de votos feitas ao TRE. Os processos devem entrar na pauta do tribunal até novembro.

Indignação

Segundo um parlamentar que disputou a reeleição, a compra de votos correu solta nas eleições deste ano. Declarou que um voto estava sendo comprado por R$ 100,00 às vésperas do pleito pelos candidatos considerados "ricos". "Uma vergonha o derrame de dinheiro por parte desses candidatos ricos", lamentou.

Nem um nem outro 1

Ontem o prefeito Valmir de Francisquinho, que votou em Eduardo Amorim (PSDB) no primeiro turno, saiu com nota declarando que ficará neutro no segundo turno das eleições. "Num primeiro momento, silenciei. Mas é chegada a hora de esclarecer e informar a todos os amigos que irei ficar neutro, deixando todos os que acreditam em mim, e me acompanham eleitoralmente, livres para escolher o melhor para Sergipe neste segundo turno, assim como fiz no primeiro turno na sucessão presidencial", afirmou.

Nenhum nem outro 2

Disse ainda o prefeito "Destaco e deixo registrado que sou amigo de ambos os candidatos - Belivaldo Chagas e Valadares Filho -, divergindo politicamente em alguns momentos, e que estarei trabalhando com qualquer um que seja eleito quando os interesses do povo estiverem em discussão, acima das disputas políticas. Afinal, estou prefeito e tenho a missão de cuidar do meu povo até o último dia do meu mandato. Sem mais para o momento, deixo o meu abraço a todos os sergipanos!".

Nenhum nem outro 3

Quem também ficará neutro neste segundo turno é o prefeito Negão (PSC-Carira). O seu filho Gabriel Chagas, secretário municipal de Indústria e Comércio, disse ontem à coluna que o pai e ele estão seguindo a orientação do líder André Moura de só votar em Jair Bolsonaro no segundo turno. "Estamos neutros, não vamos pedir votos para Valadares Filho nem para Belivaldo Chagas", garantiu.  

Apoio a Valadares Filho 1

O deputado estadual reeleito Georgeo Passos (Rede) segue a mesma linha do senador eleito pelo seu partido, o delegado Alessandro Vieira, e vai votar em Valadares Filho neste segundo turno. Fez o anúncio ontem, durante o pequeno expediente da Assembleia Legislativa, enfatizando que essa sua posição segue a linha de opositor ao Governo de Jackson Barreto e Belivaldo Chagas. "Nunca escondi o que acho dessa gestão, que tanto mal fez para o nosso Estado. E neste momento eu não tenho como me omitir", declarou.

Apoio a Valadares Filho 2

O PPS, que no primeiro turno estava na coligação de Eduardo Amorim e conseguiu eleger dois deputados estaduais, decidiu apoiar Valadares Filho neste segundo turno. "Esse é o PPS em Sergipe. Nada de ficar em cima do muro. Vamos com Valadares Filho", disse o presidente Clóvis Silveira.

Danielle no governo

Durante sabatina de jornalistas realizada anteontem na sede do Sindijor, o candidato Valadares Filho declarou que sendo eleito governador convidará a delegada Danielle Garcia para fazer parte do seu governo. "Não tenham dúvidas que eleito governador convidarei a delegada Danielle e o delegado Alessandro Vieira para uma reunião onde pretendo oficializar um convite para fazer parte da gestão e ajudar no combate aos crimes envolvendo corrupção. Queremos Danielle Garcia coordenando com total liberdade o monitoramento sobre os desvios de verbas. Se aceitará o convite eu não sei, mas destaco que ela é peça primordial no nosso governo", afirmou.

Registro

A delegada Danielle foi afastada do Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap) pelo governo Jackson Barreto (MDB) e hoje é delegada na Barra dos Coqueiros. Neste segundo turno ela gravou um vídeo denunciando perseguição e declarando apoio a Valadares Filho.

Fake News

Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber, Luís Roberto Barroso e Edson Fachin, se reuniram  com representantes das candidaturas de Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL) para discutir a difusão massiva de notícias falsas e a onda de violência durante as eleições. Externou preocupações com a disseminação de conteúdos colocando em dúvida o sistema de votação e apuração nestas eleições.

Dados da FGV 1

 Levantamento da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostra que desde que o segundo turno começou, relatos nas redes sociais sobre agressão a gays e lésbicas e transexuais têm aumentado nas redes sociais, assim como demonstrações de intolerância política motivada pela escolha de candidatos por eleitores.

Dados da FGV 2

O estudo da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da FGV mostra que os comentários sobre agressões por motivação política geraram 2,7 milhões de postagens desde que o segundo turno começou, contra 1,1 milhão nos 30 dias anteriores à eleição. Essas postagens repercutem denúncias de agressões que circulam nas redes ou são notícias nos jornais.

Veja essa ...

Do candidato à reeleição Belivaldo Chagas sobre os boatos de que fez acordo político com o deputado federal André Moura neste segundo turno e que o ex-governador Jackson Barreto será secretário em seu governo: "Pra terminar logo com essas fake news eu digo que eu não tenho compromisso político nenhum com André Moura e Jackson Barreto não vai ser secretário em meu governo. Ponto. Essa é a verdade".

Curtas

O deputado estadual Luiz Mitidieri (PSD) é o grande articulador de prefeitos pró-Belivaldo Chagas neste segundo turno das eleições.

O deputado federal Adelson Barreto (PR) ainda está sem entender como perdeu a reeleição e obteve pouco mais de 23 mil votos, quando na eleição passada foi o campeão de votos com mais de 130 mil depositados nas urnas.  Continua abalado.

Na agenda de hoje do candidato a governador Belivaldo Chagas consta agenda administrativa pela manhã; mini carreata em Aracaju no início da noite, passando pelos bairros Novo paraíso e América; e Pisadinha em Neópolis à noite.  

Hoje tem divulgação de mais uma pesquisa para governador em Sergipe, a de um instituto chamado Real Time Big Data. A pesquisa, registrada no TRE no último dia 13, ouviu 1.500 eleitores no estado entre os dias 17 e 18.