Dia das Crianças: comerciantes apostam na diversidade dos produtos e preço para venderem mais

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
COMÉRCIO ESPERA UM AUMENTO DE ATÉ 3% NAS VENDAS DE BRINQUEDOS, MAS ECONOMISTAS ACHAM QUE DATA SERÁ MARCADA POR \'LEMBRANCINHAS\'
COMÉRCIO ESPERA UM AUMENTO DE ATÉ 3% NAS VENDAS DE BRINQUEDOS, MAS ECONOMISTAS ACHAM QUE DATA SERÁ MARCADA POR \'LEMBRANCINHAS\'

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 10/10/2018 às 09:59:00

 

Embora a previsão de vendas para o Dia das Crianças não seja das mais animadoras - dados da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Aracaju (CDL/SE) apontam pela manutenção de crescimento do ano anterior, que foi de 2,7% - lojistas se preparam para alavancar as vendas apostando nos seus pontos altos: diversidade de produtos e preço.
O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese), Marco Aurélio Pinheiro,  acredita que esses fatores fazem total diferença para as compras, especialmente no momento de crise em que o país se encontra. "o Dia das Crianças é uma data que não costuma passar em branco. É uma data de forte apelo e sensibilidade. Mesmo diante da crise, os pais, avós, familiares presenteiam as crianças. Eles pesquisam mais, procuram opções mais baratas e nisso eu vejo todo o potencial das lojas do centro porque investem num mix grande de produtos de todos os preços", comenta.
Há anos preço e diversidade de produtos são a estratégia de vendas do empresário e vice-presidente da Acese, Maurício Vasconcelos. "Trabalho fortemente as datas de oportunidade. Estamos no mercado há muitos anos e temos uma equipe já com expertise na arrumação da loja e atendimento para melhor acolher os nossos clientes, que vem aqui procurando diversidade e preço e nisso digo que tem coisas que só o centro oferece porque aqui você encontra um mix muito grande que vai de brinquedos mais simples, os educativos até os mais caros, como por exemplo, eletrônicos. Coisa que não acontece nas lojas dos shoppings.", explica.
Com brinquedos a partir de R$1,99 para contemplar àqueles que fazem doação neste período, a loja da empresária Jeane Araújo Brito Oliveira vai pela mesma linha da diversificação. 

Embora a previsão de vendas para o Dia das Crianças não seja das mais animadoras - dados da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Aracaju (CDL/SE) apontam pela manutenção de crescimento do ano anterior, que foi de 2,7% - lojistas se preparam para alavancar as vendas apostando nos seus pontos altos: diversidade de produtos e preço.
O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese), Marco Aurélio Pinheiro,  acredita que esses fatores fazem total diferença para as compras, especialmente no momento de crise em que o país se encontra. "o Dia das Crianças é uma data que não costuma passar em branco. É uma data de forte apelo e sensibilidade. Mesmo diante da crise, os pais, avós, familiares presenteiam as crianças. Eles pesquisam mais, procuram opções mais baratas e nisso eu vejo todo o potencial das lojas do centro porque investem num mix grande de produtos de todos os preços", comenta.
Há anos preço e diversidade de produtos são a estratégia de vendas do empresário e vice-presidente da Acese, Maurício Vasconcelos. "Trabalho fortemente as datas de oportunidade. Estamos no mercado há muitos anos e temos uma equipe já com expertise na arrumação da loja e atendimento para melhor acolher os nossos clientes, que vem aqui procurando diversidade e preço e nisso digo que tem coisas que só o centro oferece porque aqui você encontra um mix muito grande que vai de brinquedos mais simples, os educativos até os mais caros, como por exemplo, eletrônicos. Coisa que não acontece nas lojas dos shoppings.", explica.
Com brinquedos a partir de R$1,99 para contemplar àqueles que fazem doação neste período, a loja da empresária Jeane Araújo Brito Oliveira vai pela mesma linha da diversificação.