Protesto contra racionamento de água em perímetros irrigados

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Produtores dos perímetros irrigados de Canindé protestam por falta de água
Produtores dos perímetros irrigados de Canindé protestam por falta de água

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 10/10/2018 às 09:53:00

 

Milton Alves Júnior
O fornecimento de 
água racionado 
destinado ao projeto de irrigação Jacaré-Curituba, e aos produtores do assentamento Valmir Mota, gerou conflito na manhã de ontem no município de Canindé do São Francisco, no Sertão sergipano. Diante dos problemas operacionais e administrativos gerados pela divisão do sistema de irrigação contra os produtores do Jacaré-Curituba, um grupo de aproximadamente 30 pessoas acabou invadindo a estação EB100, e interrompendo por mais de duas horas o fornecimento de água para ambos os projetos. Reconhecendo o problema, a Companhia de Desenvolvimento do Vale São Francisco (Codevasf), informou que a divisão do fornecimento ocorre em virtude da danificação de uma das bombas responsáveis pela distribuição da água.
De acordo com a companhia, recentemente representantes dos dois assentamentos em questão entraram em entendimento para uso racional da água a fim de evitar maiores prejuízos à irrigação na região, mas, ainda segundo a assessoria da Codevasf, este acordo foi descumprido e acabou gerando a insatisfação dos produtores. Conforme avaliação da empresa a conciliação entre as partes se fez necessária já que a bomba segue danificada, e isso resulta na redução da vazão de água que atende as duas comunidades. Por fim, a assessoria alegou que a Codevasf considera indispensável uma atuação mais efetiva do Governo Federal na aplicação de recursos orçamentários em favor daqueles perímetros irrigados.
 "Esperamos que essa pressão para que o sistema seja regularizado possa surtir o efeito imediato que desejamos porque desse jeito os problemas permanecerão atingindo todos os produtores. Compreendemos a necessidade de dividir o sistema, até porque podemos enfrentar a mesma situação, mas o que gera revolta é que ninguém consegue enxergar engajamento na luta pelo reparo da peça danificada", afirmou o produtor Josias dos Santos. Sobre essa demanda a assessoria de imprensa da Companhia de Desenvolvimento do Vale São Francisco (Codevasf), informou que a bomba está sendo recuperada na cidade baiana de Lauro de Freitas, e que o reparo deve ser concluído nos próximos 20 dias.

O fornecimento de  água racionado  destinado ao projeto de irrigação Jacaré-Curituba, e aos produtores do assentamento Valmir Mota, gerou conflito na manhã de ontem no município de Canindé do São Francisco, no Sertão sergipano. Diante dos problemas operacionais e administrativos gerados pela divisão do sistema de irrigação contra os produtores do Jacaré-Curituba, um grupo de aproximadamente 30 pessoas acabou invadindo a estação EB100, e interrompendo por mais de duas horas o fornecimento de água para ambos os projetos. Reconhecendo o problema, a Companhia de Desenvolvimento do Vale São Francisco (Codevasf), informou que a divisão do fornecimento ocorre em virtude da danificação de uma das bombas responsáveis pela distribuição da água.
De acordo com a companhia, recentemente representantes dos dois assentamentos em questão entraram em entendimento para uso racional da água a fim de evitar maiores prejuízos à irrigação na região, mas, ainda segundo a assessoria da Codevasf, este acordo foi descumprido e acabou gerando a insatisfação dos produtores. Conforme avaliação da empresa a conciliação entre as partes se fez necessária já que a bomba segue danificada, e isso resulta na redução da vazão de água que atende as duas comunidades. Por fim, a assessoria alegou que a Codevasf considera indispensável uma atuação mais efetiva do Governo Federal na aplicação de recursos orçamentários em favor daqueles perímetros irrigados.
 "Esperamos que essa pressão para que o sistema seja regularizado possa surtir o efeito imediato que desejamos porque desse jeito os problemas permanecerão atingindo todos os produtores. Compreendemos a necessidade de dividir o sistema, até porque podemos enfrentar a mesma situação, mas o que gera revolta é que ninguém consegue enxergar engajamento na luta pelo reparo da peça danificada", afirmou o produtor Josias dos Santos. Sobre essa demanda a assessoria de imprensa da Companhia de Desenvolvimento do Vale São Francisco (Codevasf), informou que a bomba está sendo recuperada na cidade baiana de Lauro de Freitas, e que o reparo deve ser concluído nos próximos 20 dias.