O cenário na reta final

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O candidato a reeleição de deputado federal Fábio Reis (MDB) realizou uma grande caminhada ontem em Lagarto, com as presenças do candidato a governador Belivaldo Chagas e do candidato a senador Jackson Barreto, além do ex-prefeito Jerônimo Reis e da deput
O candidato a reeleição de deputado federal Fábio Reis (MDB) realizou uma grande caminhada ontem em Lagarto, com as presenças do candidato a governador Belivaldo Chagas e do candidato a senador Jackson Barreto, além do ex-prefeito Jerônimo Reis e da deput

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 02/10/2018 às 06:51:00

 

A cinco dias das eleições deste ano já se 
pode assegurar que haverá 2º turno das 
eleições para presidente da República e Governo de Sergipe.
Para presidente, as pesquisas mostram um 2º turno entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). É quase zero a chance de uma reversão, com Geraldo Alckmin (PSDB), Ciro Gomes (PDT) ou Marina Silva (Rede) indo para o 2º turno.  Os três despencaram nas pesquisas.
Haddad começou a crescer desde o dia 11 de setembro, quando teve seu nome registrado como candidato a presidente em substituição a Lula. Hoje já está encostado em Bolsonaro, que lidera todas as pesquisas desde que Lula saiu do páreo da disputa eleitoral.
Para o governo, mesmo estagnado, Valadares Filho (PSB) segue liderando as pesquisas com Belivaldo Chagas (PSD) logo atrás. Belivado, que vinha sempre em terceiro lugar nas pesquisas de intenções de voto, foi o que mais cresceu e já está empatado tecnicamente com Valadares Filho. Eduardo Amorim (PSDB) agora é o terceiro colocado.
Nesta reta final de campanha Belivaldo subiu nas pesquisas embalado pelo crescimento de Haddad, uma vez que a sua campanha está vinculada ao candidato petista e ao ex-presidente Lula. Em sua chapa tem dois candidatos do PT: Eliane Aquino (vice) e Rogério Carvalho (senador).
O que também levou ao crescimento de Belivaldo foi a sua forma de governar o Estado, de vir pagando dentro do mês o salário de 70% dos servidores públicos e o restante até o dia 12 do mês subsequente. Assim como ter tomado medidas que beneficiam diretamente o consumidor, como a que permite que multas e IPVA sejam pagas no cartão de crédito em até 10 vezes sem juros e redução do ICMS do diesel e gás de cozinha.  
Valadares Filho se mantém na frente pela campanha que foca o novo e ser ficha limpa. Conseguiu montar uma chapa majoritária sem nenhum desgaste político e nada que a desabone. A única coisa que se fala é que pai e filho disputam mandato majoritário, com o genitor disputando o quarto mandato de senador.
Eduardo Amorim pode ficar de fora do 2º turno por fazer uma campanha que não empolga muito e o povo está acreditando que se ganhar quem mandará no Estado é o seu irmão Edivan Amorim.
Para o Senado, o quadro ainda está indefinido. Nesta última semana de campanha estão na disputa pelas duas vagas os candidatos Antônio Carlos Valadares (PSB), André Moura (PSC) e Jackson Barreto (MDB). Não estão distantes Rogério Carvalho (PT) e Heleno Silva (PRB).  O delegado Alessandro Vieira (Rede) também cresceu.
Jackson e Rogério, a exemplo de Belivaldo, cresceram muito embalados com Haddad. Os dois também são de chegada. Com os apoios que tem de 66 prefeitos e os recursos da União que conseguiu liberar para Sergipe, André Moura só não disparou ainda na frente pelo desgaste do governo Temer, do qual é líder no Congresso Nacional. Como é um trator pode chegar até em primeiro.
Valadares se mantém na liderança por não ter nenhum desgaste político, principalmente no que diz respeito à corrupção. Está sempre entre os 10 senadores cabeças do Congresso Nacional, mas teve uma queda. Alessandro Vieira vai ter uma boa votação dada pelo eleitor da capital que não quer mais votar nos mesmos candidatos. Já Heleno Silva tem o apoio da Universal e ainda é uma grande liderança no sertão.
Trocando em miúdos, só um acidente de percurso pode tirar Bolsonaro e Haddad do 2º turno, assim como Valadares Filho e Belivaldo. Quanto ao Senado, está tudo embolado...  

A cinco dias das eleições deste ano já se  pode assegurar que haverá 2º turno das  eleições para presidente da República e Governo de Sergipe.
Para presidente, as pesquisas mostram um 2º turno entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). É quase zero a chance de uma reversão, com Geraldo Alckmin (PSDB), Ciro Gomes (PDT) ou Marina Silva (Rede) indo para o 2º turno.  Os três despencaram nas pesquisas.
Haddad começou a crescer desde o dia 11 de setembro, quando teve seu nome registrado como candidato a presidente em substituição a Lula. Hoje já está encostado em Bolsonaro, que lidera todas as pesquisas desde que Lula saiu do páreo da disputa eleitoral.
Para o governo, mesmo estagnado, Valadares Filho (PSB) segue liderando as pesquisas com Belivaldo Chagas (PSD) logo atrás. Belivado, que vinha sempre em terceiro lugar nas pesquisas de intenções de voto, foi o que mais cresceu e já está empatado tecnicamente com Valadares Filho. Eduardo Amorim (PSDB) agora é o terceiro colocado.
Nesta reta final de campanha Belivaldo subiu nas pesquisas embalado pelo crescimento de Haddad, uma vez que a sua campanha está vinculada ao candidato petista e ao ex-presidente Lula. Em sua chapa tem dois candidatos do PT: Eliane Aquino (vice) e Rogério Carvalho (senador).
O que também levou ao crescimento de Belivaldo foi a sua forma de governar o Estado, de vir pagando dentro do mês o salário de 70% dos servidores públicos e o restante até o dia 12 do mês subsequente. Assim como ter tomado medidas que beneficiam diretamente o consumidor, como a que permite que multas e IPVA sejam pagas no cartão de crédito em até 10 vezes sem juros e redução do ICMS do diesel e gás de cozinha.  
Valadares Filho se mantém na frente pela campanha que foca o novo e ser ficha limpa. Conseguiu montar uma chapa majoritária sem nenhum desgaste político e nada que a desabone. A única coisa que se fala é que pai e filho disputam mandato majoritário, com o genitor disputando o quarto mandato de senador.
Eduardo Amorim pode ficar de fora do 2º turno por fazer uma campanha que não empolga muito e o povo está acreditando que se ganhar quem mandará no Estado é o seu irmão Edivan Amorim.
Para o Senado, o quadro ainda está indefinido. Nesta última semana de campanha estão na disputa pelas duas vagas os candidatos Antônio Carlos Valadares (PSB), André Moura (PSC) e Jackson Barreto (MDB). Não estão distantes Rogério Carvalho (PT) e Heleno Silva (PRB).  O delegado Alessandro Vieira (Rede) também cresceu.
Jackson e Rogério, a exemplo de Belivaldo, cresceram muito embalados com Haddad. Os dois também são de chegada. Com os apoios que tem de 66 prefeitos e os recursos da União que conseguiu liberar para Sergipe, André Moura só não disparou ainda na frente pelo desgaste do governo Temer, do qual é líder no Congresso Nacional. Como é um trator pode chegar até em primeiro.
Valadares se mantém na liderança por não ter nenhum desgaste político, principalmente no que diz respeito à corrupção. Está sempre entre os 10 senadores cabeças do Congresso Nacional, mas teve uma queda. Alessandro Vieira vai ter uma boa votação dada pelo eleitor da capital que não quer mais votar nos mesmos candidatos. Já Heleno Silva tem o apoio da Universal e ainda é uma grande liderança no sertão.
Trocando em miúdos, só um acidente de percurso pode tirar Bolsonaro e Haddad do 2º turno, assim como Valadares Filho e Belivaldo. Quanto ao Senado, está tudo embolado...  

Coligação de Belivaldo

Para a Câmara dos Deputados é tido como certo que pelo volume de campanha a coligação de Belivaldo Chagas (PSD) já tem três deputados federais eleitos: Fábio Reis (MDB), Fábio Mitidieri (PSD) e Laércio Oliveira (PP), que iriam para a reeleição. E disputando uma quarta vaga os petistas deputado federal João Daniel e ex-deputado federal Márcio Macedo.

Coligação de Eduardo

O quadro nessa reta final de campanha mostra que a coligação de Eduardo Amorim (PSDB) já tem dois deputados federais eleitos: o já deputado federal Adelson Barreto (PR) e o ex-deputado federal Bosco Costa (PR). E que disputam uma ou duas vagas na coligação: o deputado federal Jony Marcos (PRB), os deputados estaduais Gustinho Ribeiro (SD) e Antônio dos Santos (PSC), e o Valdevan 90 (PSC).

Coligação de Valadares Filho

Para a Câmara a coligação pode eleger um deputado federal, que seria o ex-prefeito Fábio Henrique (PDT). Para isso é necessário que a coligação tenha 120 mil votos.

É fato

Acredita-se que Adelson Barreto deverá ser o campeão de votos para a Câmara dos Deputados, pela política assistencialista que faz permanentemente durante o mandato.

Para Assembleia

É tido como certo que a chapinha para a Assembleia Legislativa Podemos/Avante/PMN/Patriota consiga fazer dois deputados estaduais. E que os eleitos venham a ser Diná Almeida (Podemos), esposa do prefeito Diógenes Almeida (MDB/Tobias Barreto), e o pastor Jonathan Medeiros (Avante).

Debate na TV 1

Hoje tem debate dos candidatos a governador promovido pela TV Sergipe, logo após a novela Segundo Sol. Participarão: Belivaldo Chagas (PSD), Eduardo Amorim (PSDB), Eduardo Cassini (PSL), Márcio Souza (PSOL), Mendonça Prado (DEM), Milton Andrade (PMN) e Valadares Filho (PSB).

Debate na TV 2

Ficaram de fora os candidatos Dr. Emerson (Rede) e Gilvani Santos (PSTU), mediante legislação eleitoral que considera apto a participar de debates os candidatos filiados a partido político com representação no Congresso Nacional, de, no mínimo, cinco parlamentares e que tenham requerido o registro de candidatura na Justiça Eleitoral.  A Rede e o PSTU não preenchem esse pré-requisito.

Vidraça

O debate, a ser mediado pela jornalista e apresentadora do SE2, Susane Vidal, terá cinco blocos. Por ser governo e está bem nas pesquisas, Belivaldo deve ser o candidato mais "atacado" pelos adversários.

Desafio

O dirigente do PSDC, Cincinato Jr, quer saber os nomes dos vereadores que o ex-prefeito de Nossa Senhora do Socorro, José Franco (PSDB), levou para apoiar Belivaldo Chagas no município. Acha que ele desagregou.

Polêmica 1

Pesquisa divulgada ontem nas redes sociais pela coligação de Valadares Filho, em que aparece com uma boa vantagem (7%) na liderança, gerou grande polêmica. Tudo porque a pesquisa foi atribuída ao Datafolha e não tinha o número de registro no TRE, levando a Justiça Eleitoral a determinar a retirada imediata das postagens nas redes sociais. A pesquisa chegou a ser divulgada com a publicação de um link de uma matéria da Folha de São Paulo e do portal UOL.

Polêmica 2

O ex-deputado federal João Fontes revela que o Datafolha utilizou uma pesquisa feita pelo Dataform há cerca de dois meses, uma vez que não existe nenhum registro de candidatura do Datafolha no TRE.  

Polêmica 3

Já no início da noite, a assessoria de Valadares Filho saiu com nota sobre a polêmica pesquisa. Diz a nota: "É nítido que o desespero toma conta dos candidatos da coligação ´Pra Sergipe Avançar´, do candidato Belivaldo Chagas, que agora espalham a informação de que Valadares Filho inventou uma pesquisa. A coligação de Belivaldo usa de decisão judicial para espalhar uma mentira nas redes sociais. A pesquisa que divulgamos no Instagram, na manhã desta segunda-feira, está publicada em site nacional e renomado: Folha de São Paulo, e pode ser acessada através do link:https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/09/psdb-e-mdb- tem-chances-de-emplacar-mais-governadores-nesta-eleicao.shtml".

Polêmica 4

Prossegue a nota: "A decisão judicial alertou para um erro na produção do card produzido pelo setor de criação que esqueceu de colocar o número do registro. Com isso, já solicitamos que o card fosse corrigido; diferente da coligação de Belivaldo, Valadares Filho tem feito uma campanha limpa e transparente, apresentando propostas e mostrando fatos reais com dados nos péssimos índices do nosso Estado. É difícil para a velha política aceitar a mudança e renovação, por isso, nesta última semana, eles farão de tudo para tentar enganar os eleitores e impedir que a verdadeira mudança chegue ao Governo de Sergipe, mas nós confiamos no povo e sabemos que farão a melhor escolha no dia 7 de outubro".

Não pode ser preso

A partir de hoje nenhum eleitor poderá ser preso ou detido exceto em casos de flagrante delito ou de sentença criminal condenatória por crime inafiançável por desrespeito a salvo-conduto. A orientação está na legislação e prevista no calendário eleitoral.

Distribuição de urnas

O Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE) iniciou ontem o carregamento e transporte das urnas que serão utilizadas nas eleições 2018. O setor de urnas encontra-se com dezenas de profissionais envolvidos na separação, conferência e carga dos caminhões, que farão a distribuição dos equipamentos para as 29 zonas eleitorais do Estado de Sergipe.

Veja essa ...

A coluna tem informações que um candidato a deputado federal da coligação de Eduardo Amorim corre o risco de não ser eleito porque não está cumprindo acordos de campanha e um outro candidato da sua coligação, que está comprando voto na região, está indo atrás e fechando com o pessoal.

Curtas

Os candidatos a governador terão uma agenda light hoje. Vão se preparar para o debate da TV Sergipe.

Belivaldo só tem despacho administrativo nesta terça-feira pela manhã. Ontem, no período da manhã, trabalhou no palácio; pela tarde gravou para o programa eleitoral e teve reunião com assessores; e à noite participou de carreata no 18 do Forte.  

Hoje Eduardo Amorim grava para o programa eleitoral e participa de reunião com entidade de classe pela manhã; e à tarde reunião com equipe de campanha. Já ontem, o candidato concedeu entrevista pela manhã na Rádio Educadora de Frei Paulo e visitou a feira de Carira. À tarde participou de reunião com Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe e de reunião com lideranças.

Na manhã desta terça-feira Mendonça Prado grava para o programa eleitoral e à tarde se reúne com equipe de coordenação.

O final de semana foi de muita agitação na capital, com carreatas promovidas pelos candidatos nas eleições de 7 de outubro e que acabaram na Orla da Atalaia.