Direita volta ao poder em Aracaju

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 08/10/2012 às 02:23:00

Desde a redemocratização do país, em 1984, que Aracaju é governada por partidos de esquerda. O governador em exercício Jackson Barreto (PMDB) foi o primeiro prefeito eleito da capital sergipana em 1985 com 78% dos votos válidos. Com a sua cassação por perseguição política em maio de 1988, assumiu a prefeitura Viana de Assis.

Nas eleições de 1988 Jackson Barreto elegeu Wellington Paixão prefeito de Aracaju. Em 1992, o próprio Jackson voltou à prefeitura. Com a sua renúncia em 1994 para disputar o governo do Estado assumiu a prefeitura o seu vice Almeida Lima.

Jackson ganhou de Albano Franco o primeiro turno da eleição para governador, mas perdeu no segundo turno. Em 1996, Jackson elegeu novamente o novo prefeito da cidade por um partido de esquerda: João Augusto Gama (PMDB), que disputou voto a voto a eleição com Israel Silva (PT).

Em 2000, com o apoio de Jackson e Gama o então deputado federal Marcelo Déda foi eleito prefeito da capital pelo PT e reeleito em 2004. Em 2006, Déda renuncia a prefeitura para disputar o governo com João Alves e ganha no primeiro turno.  Assume o seu vice Edvaldo Nogueira (PCdoB), que foi reeleito em 2008.
Agora, 26 anos depois que Aracaju é governada pela esquerda, o povo aracajuano coloca na prefeitura ainda no primeiro turno o ex-governador João Alves Filho (DEM). João Alves sempre foi da direita, tendo sido filiado ao PDS e ao PFL que virou DEM. Foi, inclusive, prefeito biônico de Aracaju na década de 70, nomeado pelo regime militar.

O eleitor aracajuano já vinha demonstrando que não estava gostando da administração da esquerda. Na eleição de 2010, inclusive, Déda foi reeleito governador, mas perdeu a eleição em Aracaju com aproximadamente 5.500 votos para João Alves. Foi um recado direto do eleitorado descontente, já que João Alves, que foi governador por três vezes, nunca tinha ganhado as eleições na capital.

Na entrevista que concedeu a imprensa como governador reeleito, Déda chegou a dizer que tinha entendido o recado das urnas. Atribuiu a derrota para João Alves na capital aos problemas na área de Saúde. Tanto é que disse que a Saúde teria dois secretários: o nomeado por ele e ele próprio.

Não conseguiu melhorar porque o problema da saúde não é só em Sergipe, mas em todo o país. Até aqueles que têm plano de saúde estão com dificuldades para agendar consultas e levam horas para um atendimento na urgência dos hospitais particulares.

Não foi só a saúde que dificultou para a esquerda perder o reinado em Aracaju, após 26 anos. Teve o desgaste do governo com o Sintese, por conta do piso nacional dos professores. Nas ruas tinha mais adesivo dizendo: "Déda pague o piso dos professores" que dos candidatos a prefeito.

Teve ainda o fato de o prefeito Edvaldo Nogueira ter centralizado a campanha de Valadares Filho (PSB) e, principalmente, o candidato Almeida Lima (PPS) não ter chegado a 15% das intenções de votos. O esperado era que Valadares chegasse a uma média de 35%, Almeida 15%, Vera Lúcia (PSTU) e Reynaldo Nunes (PV) somassem pouco mais de 6%.

Como é do conhecimento de todos, a candidatura de Almeida não deslanchou, chegando ele a 1% das intenções de voto conforme as últimas pesquisas. Para não se desmoralizar politicamente com uma votação pífia, que poderia ficar em último lugar, o candidato do PPS renunciou a candidatura 48 antes das eleições.
Com isso, os 113.932 dos votos de Valadares Filho mais os de Vera Lúcia (20.241) e Reynado (9.035) não foram suficientes para o segundo turno.

Assim, com 159.668 votos, correspondente a 52,72% dos votos válidos, João Alves quebra um paradigma e se elege prefeito de Aracaju, sendo o único do DEM a ser eleito prefeito de capital.  
Agora é torcer para que João Alves consiga fazer um bom governo e conclua o seu mandato em 2016 ...

Estatística
Dos 367.175 eleitores de Aracaju que foram ontem as urnas votar para prefeito de Aracaju, um total de 20.127 anulou o voto e 11.410 preferiu votar em branco. João Alves foi eleito com 52,72% dos votos válidos, Valadares Filho ficou em segundo com 37,62%, Vera Lúcia em terceiro com 6,68% dos votos e Reynaldo Nunes em último com 2,98%.

Reeleitos
Na eleição para vereador em Aracaju, apenas nove parlamentares foram reeleitos: Robson Viana/PMDB, Nitinho/DEM, Valdir Santos/PTdoB, Pastor Jony/PRB, Dr.Gonzaga/PMDB, Emanuel Nascimento/PT, Dr. Emerson/PT, Ivaldo José/PSD e Jailton Santana/PSC. Trocando em miúdos, apenas 40% da atual legislatura permanecerá na Casa a partir de janeiro de 2013.

De fora
Para surpresa de muitos, não conseguiram a reeleição Evando Franca/PTB, que está no quinto mandato de vereador, e Fábio Mitidieri (PSD), que esperava uma excelente votação. Também de fora: Juvêncio Oliveira (DEM), cotado para ser presidente da Câmara com a vitória de João Alves; Miriam Ribeiro (PSD), a candidata do ex-governador Albano Franco; Danilo Segundo (PSB), Professora Rosangela (PT), Simone Góes (PT), Morito Matos (PDT), Karla (PCdoB) e Bertulino Menezes (PSB).
Voltam a Câmara
Retornam ao Poder Legislativo Municipal os ex-vereadores: Iran Barbosa (PT), o campeão de votos com 7.808; Dr. Manuel Marcos (DEM), Renilson Felix (DEM) e Vinícius Porto (DEM).

Calouros
Vão estrear na Câmara de Aracaju a partir de 2013 um total de 11 vereadores. São eles: Dr. Agnaldo (PR), Adelson Barreto Filho (PSL), Daniela Fortes (PR), Lucas Aribé (PSB), Pastor Roberto Morais (PR), Max Prejuízo (PSB), Lucimara (PCdoB), Augusto do Japaozinho (PRTB), Anderson de Tuca (PRTB), Adriano (PSDB) e Agamenon Sobral (PP).

Prejudicados
Pela questão da proporcionalidade dos votos, apesar de bem votados Emília Correia, Evando Franca, Sargento Vieira, Moritos Matos e Fábio Mitidieri não foram eleitos vereador de Aracaju. Eles tiveram entre 3.952 votos e 3.518. Com menos votos que eles foram eleitos Augusto do Japaozinho, Anderson de Tuca, Jailton Santana, Adriano e Agamenon Sobral, que teve apenas 1.616 votos.

Maioria
O candidato eleito prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM) terá maioria na Câmara Municipal. A sua coligação elegeu 13 dos 24 vereadores a partir de janeiro de 2013.  O DEM também fez a maior bancada da Câmara ao eleger quatro vereadores.

Bancada
As duas segundas maiores bancadas na Câmara serão do PT e PR, cujos partidos elegeram três vereadores cada um. Elegeram dois vereadores o PSB, PMDB e PRTB. Conseguiram fazer apenas um vereador o PSDB, PP, PSC, PSD, PSL, PRB, PTdoB e o PCdoB, que tradicionalmente elege um vereador.

Não reeleitos
No interior, vários prefeitos não conseguiram a reeleição. Entre eles: Valmir Monteiro (PSC/Lagarto), Gilson dos Anjos (DEM/Barra dos Coqueiros), César Mandarino (PSC/Itaporanga D´ajuda), Luciano Bispo (PMDB/Itabaiana), Professor Anderson (PT/Umbaúba) e Telmo Guimarães (PSC/Japoatã), que é irmão da presidente da Assembleia Legislativa, Angélica Guimarães (PSC).

Campeã de votos
A prefeita Esmeralda (PT/Carmópolis) foi reeleita com a maior votação do Estado: 74,07% dos votos válidos. O seu adversário Volney Leite (PSC) ficou em segundo com 23,62% dos votos válidos.

Em Brasília
Com a vitória do deputado federal Heleno Silva (PRB) a prefeito de Canindé do São Francisco o suplente de deputado federal Fábio Reis (PMDB) assumirá seu mandato na Câmara dos Deputados, a partir de 2013, com a renúncia de Heleno ao mandato para assumir a prefeitura.

Derrota
O prefeito Sukita (PSB/Capela) perdeu a disputa para os irmãos Amorim em seu município, uma vez que a sua candidata Josefa Paixão (PSB) conquistou apenas 44% dos votos válidos e o candidato dos Amorim, Ezequiel (PR), 56%. Ezequiel ganhou com mais de 2 mil votos de diferença.

Vitória
O cunhado do deputado federal André Moura (PSC), Elinho (PR), foi eleito prefeito de Pirambu. A mulher Lara Moura (PR) deve ser reeleita prefeita de Japaratuba, uma vez que o seu adversário Padre Gerard (PT) concorreu à eleição com a candidatura sub-judice e, consequentemente, os seus votos não apareceram. Se o TSE mantiver o indeferimento da candidatura de Gerard ou a sua candidatura vir a ser deferida e ele tiver menos votos que Lara, ela será empossada tranquilamente em 1º de janeiro.  

Surpresa
A ex-vereadora de Aracaju Rivanda Farias (PSB) foi eleita ontem prefeita de São Cristovão aos 48 minutos do segundo tempo. É que diante do processo do marido que tramita no TSE, o ex-prefeito Armando Batalha (PSB), ele retirou sua candidatura no sábado, véspera da eleição, e registrou o nome da mulher como candidata em seu lugar.  Rivanda foi eleita com 41,84% dos votos, ganhando com uma diferença de mais de 6 mil votos para o segundo colocado: o professor Wanderlê, que conquistou 26% dos votos.

Boatos maldosos
Ontem pela manhã Sergipe foi surpreendido com boatos surgidos no interior do Estado dando conta que o governador Déda havia falecido. Assessores do governador tiveram que conceder entrevistas desfazendo os boatos maldosos.

Desmentindo
Ao tomar conhecimento dos boatos Déda, de São Paulo, postou no twitter:  "Que Deus abençoe Sergipe e proteja todos os sergipanos no dia de hoje. Não se preocupem com boatos, estou BEM!!!".

Informes
No sábado à noite, Déda postou no twitter: "Concluí na quinta o 1º ciclo de quimioterapia, já saí do hospital e estou em hotel com Eliane, acompanhado por Pedro Lopes e Dr. Fernando. Disse ainda: "Armei aqui no Hotel uma central de apuração com notebook, IPad, celular... Com Sergipe no coração acompanharei a eleição em cada município".

Mensagem
Postou ainda o governador, que retorna a Sergipe nessa terça ou quarta-feira: 'Como governador de todos os sergipanos, desejo uma eleição de paz e tranqüilidade para todos, candidatos e eleitores, sem exceção de sigla. Que Deus proteja Sergipe e abençoe o Brasil. Viva a Democracia, obra da luta e dos sonhos do povo brasileiro!".

Curtas
João Alves votou ontem de manhã, por volta das 9h30, no Colégio Atheneu, acompanhado da senadora Maria do Carmo e do deputado federal Mendonça Prado. À noite, já por volta das 19h, comemorou a vitória com aliados.

Valadares Filho votou no CCPA ao lado do governador em exercício Jackson Barreto, do prefeito Edvaldo Nogueira e do ex-presidente do PT, Sílvio Santos.

O governador em Exercício, Jackson Barreto de Lima (PMDB), voltou a criticar ontem o empresário Edvan Amorim. Para ele, o empresário estaria "por trás" da violência que ocorreu no interior do estado. Lamentou que policiais militares aposentados também tenham contribuído para a violência.

Jackson Barreto comemorou muito a vitória de Lila Fraga em Lagarto. Lila ganhou para o prefeito Valmir Monteiro (PSC) com 53,88% dos votos válidos.

Urnas deram problema ontem na capital e interior. Em São Cristovão mesmo, em um dos povoados, duas urnas deram problema, começando a votação por volta das 10h30, com grandes filas até depois das 17h.