Em clima de paz

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O governador Belivaldo Chagas, o ex-governador Jackson Barreto e o prefeito Edvaldo Nogueira em clima de harmonia ontem, durante  solenidade de assinatura da Ordem de Serviço para reforma da Orla Pôr do Sol Jornalista Cleomar Brandi, no Moqueiro.
O governador Belivaldo Chagas, o ex-governador Jackson Barreto e o prefeito Edvaldo Nogueira em clima de harmonia ontem, durante solenidade de assinatura da Ordem de Serviço para reforma da Orla Pôr do Sol Jornalista Cleomar Brandi, no Moqueiro.

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 11/05/2018 às 05:11:00

 

Diferente do que muitos pensa
vam o ex-governador Jackson 
Barreto (MDB), que retornou a Sergipe na última terça-feira após um período de férias, reagiu com tranquilidade à saída do primo Almeida Lima do comando da Secretaria da Saúde.
Comunicado pelo próprio governador Belivaldo Chagas (PSD) de que exoneraria Almeida na tarde da quarta-feira, por não ter mais nenhuma condição de convivência, JB disse a seu sucessor que ficasse à vontade, que não criaria problema algum e agradeceu a consideração pelo aviso.
"Não quero que digam amanhã que não deu certo porque atrapalhei, porque criei dificuldades. Gosto de estar em paz", afirmou o ex-governador à coluna, enfatizando que cargo comissionado não se briga para ficar.
Para Jackson, Almeida deu sua contribuição a saúde, mas o seu estilo não bate com o de Belivaldo. "Isso é normal. Até marido e mulher, quando não existe compatibilidade, se separam", argumentou.
Ressalta que não quis se aprofundar com Belivaldo sobre a tão esperada exoneração de Almeida Lima da Saúde. "Não tenho mágoa nem ressentimento. Cada um trabalha da forma e estilo diferente. Não vou criar problemas com cargos, não vou impor nada para o governador do Estado. Participei do governo Marcelo Déda e não impus nada", frisou.
Trocando em miúdos, quem apostou em um desentendimento político entre Jackson Barreto e Belivaldo Chagas por conta de Almeida Lima caiu do cavalo.
Ontem mesmo pela manhã ele participou, ao lado de Belivaldo Chagas e do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), da inauguração da primeira Escola Municipal de Ensino Fundamental do bairro 17 de Março, a Escola José Souza de Jesus.  
Já à tarde, também ao lado de Belivaldo e Edvaldo, JB participou da solenidade de assinatura da Ordem de Serviço para reforma da Orla Pôr do Sol, que tem o nome do jornalista Cleomar Brandi.
Fora do governo e sem qualquer preocupação com uma gestão polêmica de Almeida Lima, JB vai focar agora no seu projeto político de disputar o Senado nas eleições deste ano.
Hoje mesmo vai a Estância participar do 'Governo em Ação - Governo Itinerante por uma Cultura de Paz' e 'Minha Comunidade Segura'.

Diferente do que muitos pensa vam o ex-governador Jackson  Barreto (MDB), que retornou a Sergipe na última terça-feira após um período de férias, reagiu com tranquilidade à saída do primo Almeida Lima do comando da Secretaria da Saúde.
Comunicado pelo próprio governador Belivaldo Chagas (PSD) de que exoneraria Almeida na tarde da quarta-feira, por não ter mais nenhuma condição de convivência, JB disse a seu sucessor que ficasse à vontade, que não criaria problema algum e agradeceu a consideração pelo aviso.
"Não quero que digam amanhã que não deu certo porque atrapalhei, porque criei dificuldades. Gosto de estar em paz", afirmou o ex-governador à coluna, enfatizando que cargo comissionado não se briga para ficar.
Para Jackson, Almeida deu sua contribuição a saúde, mas o seu estilo não bate com o de Belivaldo. "Isso é normal. Até marido e mulher, quando não existe compatibilidade, se separam", argumentou.
Ressalta que não quis se aprofundar com Belivaldo sobre a tão esperada exoneração de Almeida Lima da Saúde. "Não tenho mágoa nem ressentimento. Cada um trabalha da forma e estilo diferente. Não vou criar problemas com cargos, não vou impor nada para o governador do Estado. Participei do governo Marcelo Déda e não impus nada", frisou.
Trocando em miúdos, quem apostou em um desentendimento político entre Jackson Barreto e Belivaldo Chagas por conta de Almeida Lima caiu do cavalo.
Ontem mesmo pela manhã ele participou, ao lado de Belivaldo Chagas e do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), da inauguração da primeira Escola Municipal de Ensino Fundamental do bairro 17 de Março, a Escola José Souza de Jesus.  
Já à tarde, também ao lado de Belivaldo e Edvaldo, JB participou da solenidade de assinatura da Ordem de Serviço para reforma da Orla Pôr do Sol, que tem o nome do jornalista Cleomar Brandi.
Fora do governo e sem qualquer preocupação com uma gestão polêmica de Almeida Lima, JB vai focar agora no seu projeto político de disputar o Senado nas eleições deste ano.
Hoje mesmo vai a Estância participar do 'Governo em Ação - Governo Itinerante por uma Cultura de Paz' e 'Minha Comunidade Segura'.

 

Saiu atirando 1

Como não poderia ser diferente, o ex-secretário Almeida Lima (Saúde) deixou a pasta criticando o governador Belivaldo Chagas (PSD).  Disse que muita coisa de ruim no Estado decorreu daquele que sentou na cadeira de Secretário da Casa Civil, ou seja, do próprio BC que antes de assumir o comando do Estado respondia pela pasta.

 

Saiu atirando 2

De acordo com Almeida, quando Belivaldo estava na Casa Civil travou as coisas na saúde com medo de que fosse candidato ao governo nas eleições deste ano, quando ele [Belivaldo] já tinha a pretensão de ser o candidato governista.

 

Saiu atirando 3

Enfatizou que nos cerca de 12 anos que Belivaldo passou no Poder a primeira vez que esteve no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) foi quando foi ver a questão do Centro de Nefrologia. Para ele, o governador ao ter se espantado com a demora de pacientes para fazer algum procedimento cirúrgico é uma demonstração de desconhecimento da máquina pública que está gerindo e administrando.

 

Saiu atirando 4

Declarou ainda Almeida que se ele errou no comando da Saúde foi por não ter tido tempo suficiente para implantar tudo o que tinha planejado. Ressaltou que tudo que foi executado decorreu de uma ação planejada e previamente estudada e que não teve nenhum procedimento atabalhoado por parte dele, dos diretores e assessores.

 

Alfinetada

O pré-candidato a governador Valadares Filho (PSB) cobra de Belivaldo Chagas a realização de uma auditoria urgente sobre a gestão de Almeida, mediante as próprias suspeitas dele em relação aos pagamentos de fornecedores por ofício e os gastos no Taj Mahal, como ficou conhecida a nova sede da Secretaria de Estado da Saúde pela SES. "Se não fizer isso dando uma resposta imediata à sociedade sobre as investigações, demonstrará a mesma omissão que teve como vice-governador e chefe da Casa Civil, se comportando como um verdadeiro governador adjunto", alfinetou VF.

 

Acordo velho 1

Do ex-governador Jackson Barreto ao ser questionado pela coluna sobre a saída do PRB do governo e ida para a oposição: "Desde quando Jony [Marcos] foi escolhido coordenador da bancada federal em um entendimento com a oposição que o acordo estava feito. O acordo nasceu dali. Me fiz de desentendido, mas entendi tudo. O bom cabrito não berra".

 

Acordo velho 2

Disse ainda Jackson: "O acordo de Jony e Heleno [Silva] com a oposição o povo é quem vai julgar. O povo vai julgar o comportamento de quem esteve no governo até hoje e faltando menos de cinco meses para as eleições deixa o governo e vai para o outro lado".

 

Acordo velho 3

Questionou JB: "Que julgamento o povo pode fazer desses políticos que participam do governo, ocupam cargos comissionados e de chefia, tem a convivência diária com o governo através do escritório em Brasília e depois toma essa atitude? O que o povo pode esperar desses políticos que ainda têm formação religiosa? Não vou dizer nada. Quero que o povo julgue os políticos que agem dessa forma. Tem ou não tem razão o povo está decepcionado com a classe política?".

 

Interferência nacional

À coluna chegou a informação de que o vice-presidente nacional do PT, Márcio Macedo, teria interferido junto a Executiva Nacional do Partido para que conversasse com a vice-prefeita Eliane Aquino (PT) para que recuasse de uma pretensão inicial de disputar mandato de deputado federal nas eleições deste ano. Com isso, o nome de Eliane deverá está à disposição para o Senado, no caso de algum impedimento do presidente estadual Rogério Carvalho, ou para vice-governadora.

 

Em Gramado

A sessão plenária de ontem da Assembleia Legislativa estava esvaziada ontem. É que o presidente Luciano Bispo (MDB) particia, juntamente com os colegas também deputados Zezinho Guimarães (MDB), Sílvia Fontes (PDT) e Venâncio Fonseca (PSC), da 22° Conferência Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (CNLE/UNALE), em Gramado (RS). O tema desta edição deste ano do evento, que encerra hoje, é: "Os Desafios de Um Novo Brasil".

 

Algo novo na CNC

Com o título acima o jornalista Cláudio Humberto publicou ontem a seguinte nota em sua coluna publicada em vários jornais do país: "A eleição à presidência da Confederação Nacional do Comércio (CNC) confronta um candidato ficha limpa, deputado Laércio Oliveira (PR-SE), com José Tadros (Fecomércio/AM), citado 68 vezes em denúncias ao TCU. Laércio fez discurso na Câmara, ontem [anteontem], avisando que vai vencer".

 

Protesto de alunos 1

Estudantes de Riachão do Dantas têm usado as redes sociais para pedir pressa no julgamento da prefeita Gerana Costa, pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), por abuso de poder econômico nas eleições de 2016.  Eles prometem um movimento ativo e constante para garantir celeridade do julgamento e ameaçam fazer vigília na frente do TRE em Aracaju, continuar denunciando o atraso no julgamento e ir até a Brasília denunciar a demora do tribunal para colocá-lo na pauta.

 

Protesto de alunos 2

O descontentamento dos estudantes com a prefeita tem a ver com o fato dela querer tirar do prédio os alunos do ensino médio do Colégio Estadual Osmar Hora Fontes, cujo estabelecimento funciona no mesmo prédio da Escola Municipal Luiz Antonio Barreto, que é de ensino fundamental.   Segundo eles, a prefeita quer ocupar todo o prédio só com alunos da rede municipal.

 

Veja essa ...

De Almeida Lima sobre Belivaldo Chagas: "Quis estabelecer justificativas furadas, falsas e mentirosas. O tratamento dele desde que assumiu o governo foi para me desgastar e depois exonerar porque não teve autoridade para fazer isso desde o primeiro dia de governo".

 

...e essa...

De Belivaldo em resposta as acusações de Almeida: "Ele não está bem. O susto com a queda foi grande. Perdoai, senhor. Ele não sabe o que diz!". Disse ainda: "Almeida é coisa do segundo plano. Que viva a vida dele que vou viver a minha. Não tenho preocupação com as críticas, Que vá tomar conta da vida dele e da família".

 

Curtas

De Almeida Lima ao ser comunicado pelo governador Belivaldo Chagas de que seria exonerado da Secretaria da Saúde: "Compreendo. Passe bem!".

 

De Belivaldo Chagas sobre as medidas que vem adotando no governo: "Estou procurando fazer gestão e não política".

 

Do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD): "A oposição agora quer pautar as ações de Belivaldo Chagas  no governo. Se querem governar, primeiro ganhem as eleições. Isso só demonstra o quanto estamos no caminho certo".

 

Ontem à tarde, por volta das 15h30, dois homens armados renderam uma aluna no corredor da UFS e depois invadiram uma sala de aula no prédio da Didática I para praticar o assalto. A ação dos marginais deixou aterrorizados os alunos e resultou na presença da Polícia Federal.