Belivaldo oficializa rompimento com PRB

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Ontem completou um mês da prisão do ex-presidente Lula e as manifestações \"Lula Livre\" continuam. Na sexta-feira à noite, durante formatura dos formandos de Direito da UFS, no Teatro Tobias Barreto, foi aberta uma faixa pedindo a liberdade de Lu
Ontem completou um mês da prisão do ex-presidente Lula e as manifestações \"Lula Livre\" continuam. Na sexta-feira à noite, durante formatura dos formandos de Direito da UFS, no Teatro Tobias Barreto, foi aberta uma faixa pedindo a liberdade de Lu

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 08/05/2018 às 05:42:00

 

O governador Belivaldo Chagas 
(PSD) completou ontem um 
mês à frente do governo do Estado tomando uma grande posição política a cinco meses das eleições: o rompimento político com o PRB, o colocando já na oposição onde já estava com um pé nela.
Belivaldo fez isso após uma conversa ontem de manhã, no Palácio de Despachos, com o presidente estadual do PRB, deputado federal Jony Marcos.  
Na conversa inicial, Jony falou sobre a vaga de senador para o ex-deputado federal Heleno Silva (PRB). Belivaldo disse que isso não seria possível, pelo fato de já está fechado, há quase um ano, que as duas vagas são do ex-governador Jackson Barreto (MDB) e do presidente estadual do PT, Rogério Carvalho.  
O governador chegou a colocar que existia ainda a vaga de vice, o que Jony retrucou dizendo que o PRB só tinha interesse na vaga para o Senado e que poderia esperar mais um pouco para saber a posição de Rogério, uma vez que ele está inelegível.
Belivaldo disse que não tinha mais porque esperar, pois já sabia que o PRB estava na oposição. Disse que estava vendo tudo, mostrou fotos de Heleno com lideranças da oposição - o deputado federal André Moura (PSC) e o senador Eduardo Amorim (PSDB) - e áudios de declarações em emissoras de rádio do próprio Heleno muito afinado com a oposição.
BC deve ter entendido que o PRB só estava querendo ganhar mais tempo com os cargos no governo e resolveu logo dá um ponto final na aliança política, que vem há algumas eleições.
Após a conversa com o presidente do PRB, o governador mandou fazer o decreto de exoneração de Heleno do escritório de representação de Sergipe em Brasília, de uma filha dele e dos comissionados do partido no governo junto ao ITPS e Fapitec.
Conversou à tarde com o presidente da Adema, Chico Dantas, informando que o seu grupo político estava saindo do governo e que, portanto, também o exoneraria do cargo.
O rompimento do governo com o PRB já era esperado a partir do momento que o partido radicalizou só aceitando permanecer na base governista dispondo de uma vaga para o Senado, ter  colocado os cargos à disposição do governo e as suas lideranças passaram a ser vistas em eventos políticos ao lado de André e Eduardo.
Com o racha do governo com o PRB duas chapas praticamente estão formadas, faltando apenas a indicação do vice. Pelo governo: Belivaldo (governador) e para senador Jackson Barreto e Rogério Carvalho. Pela oposição: Eduardo (governador) e para senador André e Heleno.
Falta agora o pré-candidato a governador Valadares Filho (PSB) montar sua chapa majoritária.

O governador Belivaldo Chagas  (PSD) completou ontem um  mês à frente do governo do Estado tomando uma grande posição política a cinco meses das eleições: o rompimento político com o PRB, o colocando já na oposição onde já estava com um pé nela.
Belivaldo fez isso após uma conversa ontem de manhã, no Palácio de Despachos, com o presidente estadual do PRB, deputado federal Jony Marcos.  
Na conversa inicial, Jony falou sobre a vaga de senador para o ex-deputado federal Heleno Silva (PRB). Belivaldo disse que isso não seria possível, pelo fato de já está fechado, há quase um ano, que as duas vagas são do ex-governador Jackson Barreto (MDB) e do presidente estadual do PT, Rogério Carvalho.  
O governador chegou a colocar que existia ainda a vaga de vice, o que Jony retrucou dizendo que o PRB só tinha interesse na vaga para o Senado e que poderia esperar mais um pouco para saber a posição de Rogério, uma vez que ele está inelegível.
Belivaldo disse que não tinha mais porque esperar, pois já sabia que o PRB estava na oposição. Disse que estava vendo tudo, mostrou fotos de Heleno com lideranças da oposição - o deputado federal André Moura (PSC) e o senador Eduardo Amorim (PSDB) - e áudios de declarações em emissoras de rádio do próprio Heleno muito afinado com a oposição.
BC deve ter entendido que o PRB só estava querendo ganhar mais tempo com os cargos no governo e resolveu logo dá um ponto final na aliança política, que vem há algumas eleições.
Após a conversa com o presidente do PRB, o governador mandou fazer o decreto de exoneração de Heleno do escritório de representação de Sergipe em Brasília, de uma filha dele e dos comissionados do partido no governo junto ao ITPS e Fapitec.
Conversou à tarde com o presidente da Adema, Chico Dantas, informando que o seu grupo político estava saindo do governo e que, portanto, também o exoneraria do cargo.
O rompimento do governo com o PRB já era esperado a partir do momento que o partido radicalizou só aceitando permanecer na base governista dispondo de uma vaga para o Senado, ter  colocado os cargos à disposição do governo e as suas lideranças passaram a ser vistas em eventos políticos ao lado de André e Eduardo.
Com o racha do governo com o PRB duas chapas praticamente estão formadas, faltando apenas a indicação do vice. Pelo governo: Belivaldo (governador) e para senador Jackson Barreto e Rogério Carvalho. Pela oposição: Eduardo (governador) e para senador André e Heleno.
Falta agora o pré-candidato a governador Valadares Filho (PSB) montar sua chapa majoritária.

 

No Diário Oficial

A exoneração do ex-deputado federal Heleno Silva (PRB) do escritório de representação de Sergipe em Brasília, que no mês passado tinha tirado férias, será com data retroativa a 2 de maio e deverá já sair publicada no Diário Oficial do Estado desta terça-feira. A da sua filha também.

 

Contrários ao rompimento

Em todas as discussões internas do PRB sobre a permanência ou não do partido na base aliada do governo, se posicionaram contrários ao rompimento o deputado estadual Jairo de Glória, o ex-prefeito Ivan Leite (Estância), o coringa da sigla Chico Dantas e o suplente de vereador Anderson Góis.

 

Tendência

Jairo de Glória, Ivan Leite e a prefeita Nena (Monte Alegre) não devem acompanhar a posição do partido.

 

Com a oposição 1

No último domingo Heleno Silva esteve visitando povoados de Itabaiana ao lado do prefeito Valmir de Francisquinho (PR), que o apoia para o Senado; do deputado federal André Moura (PSC); do senador Eduardo Amorim (PSB); do ex-deputado federal Bosco Costa, que tentará retornará à Câmara; e do pré-candidato a deputado estadual Talysson (PR). Esses são os candidatos do prefeito nas eleições deste ano.

 

Com a oposição 2

No domingo à noite Heleno esteve com Eduardo Amorim no evento da Igreja do Evangelho Quadrangular (IEQ), situada no Bairro Jardins, em Aracaju, que fez um culto festivo para comemorar os 17 anos do templo.

 

Com naturalidade

Ontem, em conversa com a coluna, Heleno disse que via "dentro da normalidade" a sua saída do governo. "Minha exoneração é normal. Nosso presidente Jony Marcos na conversa com o governador entregou todos os espaços. Saio do governo de cabeça erguida. Não pedimos mais cargos e nem secretaria. Queríamos espaço político, vaga na chapa do Senado", disse.

 

Próximo passo

O presidente de honra do PRB declarou que agora vai buscar a unidade no partido. "Apesar de caminhar em Itabaiana a convite do prefeito não definimos ainda posição política. Está bem encaminhado uma aliança com o agrupamento de André, falta detalhes políticos junto a nossos candidatos a deputado. Não faço aliança política sem pensar no grupo por inteiro", frisou.  

 

Reunião do PRB

O deputado Jony Marcos disse ontem que na próxima sexta-feira irá reunir as lideranças do partido para discutir como o PRB pretende se posicionar  em relação às alianças para as próximas eleições, uma vez que o governador Belivaldo Chagas declarou que Jackson Barreto e Rogério Carvalho são os nomes da chapa majoritária para o Senado.

 

Ponto de vista 1

O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) disse ontem à coluna que viu como normal as exonerações dos cargos do PRB no governo, uma vez que o presidente Jony Marcos já tinha entregue os cargos ainda no governo Jackson Barreto. "O nosso agrupamento é grande, não tem espaço para todos na chapa majoritária. Se o PRB for para a oposição eu respeito, não vamos ficar em casa lamentando, vamos para a rua trabalhar", disse.

 

Ponto de vista 2

"Belivaldo chegou chegando. Está mostrando disposição para o trabalho. Mostrou postura dura e séria no momento que o povo quer isso. Vai pagar todos os servidores no dia 12, está trabalhando para pagar a folha mais próximo do dia 30, teve a iniciativa de abrir mais plantonistas no interior, privilegiando a segurança pública, e assumiu responsabilidade frente a saúde. Nesses 30 dias, Belivaldo está surpreendendo positivamente, dando uma dinâmica que não esperava", avalia Mitidieri.  

 

Ponto de vista 3

De Fábio Mitidieri sobre Almeida Lima na Secretaria da Saúde: "É natural que ele saía, mas a decisão é do governador. Ele enfrenta um desgaste grande com o Centro de Nefrologia e com as medidas tomadas pelo governador com relação a troca de cargos na Saúde com pessoas da sua confiança. É muito desgaste. Se ele permanecer será surpresa", declara.

 

Alfinetada pessebista

Do senador Valadares (PSB) disparando, mais uma vez, sua metralhadora sobre o processo político eleitoral nas redes sociais: "Os partidos precisam colocar os pontos nos "is" priorizando tirar Sergipe do caos em que se encontra. Deveríamos priorizar eleger um governador com disposição para resolver. Entre as exceções, o PSB, a maioria dos partidos só deseja eleger senadores, nem aí pra governador!".

 

Alfinetada petista

Do pré-candidato a Senador, Rogério Carvalho (PT), alfinetando os senadores Valadares e Maria do Carmo (DEM) durante programa de Fábio Henrique na TV Atalaia: "O que é que dona Maria do Carmo faz em Brasilia? Não é uma crítica aos aposentados. Mas é preciso trabalho. O Senado não é um lugar para ficar encostado. Senado é um lugar para quem quer trabalhar. Valadares já teve um protagonismo grande no Senado. Hoje não ouvimos a voz dele. A não ser para defender o Aécio, votando contra Dilma".

 

Liderança

O deputado federal Fábio Reis (MDB) manteve a liderança nas intenções de voto em nova pesquisa divulgada ontem na forma espontânea: a Dataform. "Eu agradeço de coração ao povo sergipano pelo apoio, reconhecimento e confiança no meu trabalho. Estamos realizando muito por Sergipe, já inauguramos obras, temos diversas outras em andamento, mas sei que ainda posso fazer muito mais", finalizou.

 

Veja essa ...

Do senador Valadares (PSB) alfinetando, pelas redes sociais, dois pré-candidatos ao Senado nas eleições deste ano: "Doidos pra limpar a área. Pelo menos dois candidatos ao senado com índices de rejeição nas alturas, apesar de minha recusa em falar sobre reeleição ao cargo, eles, pensando em realizar seus sonhos de chegarem à Casa Alta, quando não me atacam pregam que estou fora da disputa".

 

Curtas

O ex-governador Jackson Barreto (MDB) retorna hoje da sua viagem de férias no exterior. Já na próxima semana começará a gastar sola de sapato nas caminhadas pela capital e interior visando sua pré-candidatura ao Senado.  

 

O ex-presidente da Deso, Carlos Melo, foi empossado ontem como diretor presidente da Cohidro no lugar de Jorge Kleber, que deve assumir a presidência da Fundação Estadual da Saúde de Sergipe (Funesa).

 

De Fábio Mitidieri (PSD): "A partir de hoje [ontem] faltam apenas cinco meses para as eleições e, no entanto, não temos ninguém empolgando eleitor a ir às urnas. Incrível, mas podemos acabar pior do que estamos. Cuidado com falsos profetas, discursos de renovação, candidato sujo com discurso limpo".

 

Poço Redondo foi o destino de muitos políticos no domingo passado por conta da Cavalgada. Entre os presentes os pré-candidatos a governador Valadares Filho (PSB) e Belivaldo Chagas (PSD), e o senador Valadares.