Pesquisa nas barras da Justiça e da PF

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O vice-presidente nacional do PT, Márcio Macedo, e o presidente municipal do PT de Aracaju, Jefferson Lima, entregaram ontem, em Curitiba, as mensagens de solidariedade, resistência e gratidão do povo sergipano ao ex-presidente Lula.
O vice-presidente nacional do PT, Márcio Macedo, e o presidente municipal do PT de Aracaju, Jefferson Lima, entregaram ontem, em Curitiba, as mensagens de solidariedade, resistência e gratidão do povo sergipano ao ex-presidente Lula.

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 25/04/2018 às 23:20:00

 

A coluna não vê com simpatia pes
quisas eleitorais realizadas antes 
do período eleitoral, quanto mais seis meses antes das eleições. Elas até podem demonstrar uma realidade do momento, mas isso não é significativo pelo fato de todos os nomes dos pretensos candidatos majoritários não estarem definidos e, muito menos, seus apoiadores.
Em uma eleição majoritária não vale somente o nome dos candidatos a governador, mas daqueles que os estão apoiando. É importante, também, seus projetos de governo e perfil de confiança, credibilidade e zelo com a coisa pública.
Por isso, a coluna não costuma comentar nem analisar pesquisas eleitorais que não sejam realizadas dentro do período da campanha eleitoral estabelecido pela legislação eleitoral. E prefere divulgar e comentar somente as renomadas dos institutos nacionais e não as locais contratadas por pessoas físicas.
Até porque as pesquisas realizadas no período da campanha costumam ser mais criteriosas, pela proximidade com o pleito e para evitar uma desmoralização grande e até penalidades junto a Justiça Eleitoral.
As feitas com muita antecedência podem até ser tendenciosas, pela grande distância das eleições e pelo argumento de que pesquisa é o momento e tudo pode mudar. Muitas provocam muita confusão.
Um exemplo disso é a Pesquisa Dataplan feita para governador, senador, deputado federal e deputado estadual, que foi divulgada ontem. A pesquisa, realizada no período de 14 a 17 de abril em 32 municípios de Sergipe, ouvindo 1.506 pessoas esqueceu de colocar o nome de Mendonça Prado como pré-candidato a governador pelo DEM na pesquisa induzida.
Mendonça foi um dos primeiros a lançar seu nome como pré-candidato a governador. Ele é um ex-deputado federal e pré-candidato ao governo por um grande partido, o DEM, que tem como líderes o ex-governador João Alves Filho e a senadora Maria do Carmo Alves. Os dois têm eleitores cativos no Estado.
Com certeza, a ausência do nome de Mendonça alterou todo o resultado da pesquisa para o governo. Por ser o DEM um partido de direita, é muito provável que os votos que seriam destinados para ele tenham ido para o pretenso pré-candidato a governador Eduardo Amorim (PSDB) pelo perfil ideológico.
Como não poderia ser diferente, a pesquisa Dataplan - que na induzida para governador mostrou Eduardo Amorim (PSDB) com 15% das intenções de votos, Valadares Filho (PSB) com 11,1%, Belivaldo Chagas (PSD) com 7,9%, e Dr Emerson (Rede) com 3,2% - levou o PSB e DEM a saíram com notas criticando o critério e metodologia.  E Mendonça Prado, que foi prejudicado com a não inclusão do seu nome, a afirmar que vai denunciar a pesquisa ao Ministério Público Eleitoral e a Polícia Federal.

A coluna não vê com simpatia pes quisas eleitorais realizadas antes  do período eleitoral, quanto mais seis meses antes das eleições. Elas até podem demonstrar uma realidade do momento, mas isso não é significativo pelo fato de todos os nomes dos pretensos candidatos majoritários não estarem definidos e, muito menos, seus apoiadores.
Em uma eleição majoritária não vale somente o nome dos candidatos a governador, mas daqueles que os estão apoiando. É importante, também, seus projetos de governo e perfil de confiança, credibilidade e zelo com a coisa pública.
Por isso, a coluna não costuma comentar nem analisar pesquisas eleitorais que não sejam realizadas dentro do período da campanha eleitoral estabelecido pela legislação eleitoral. E prefere divulgar e comentar somente as renomadas dos institutos nacionais e não as locais contratadas por pessoas físicas.
Até porque as pesquisas realizadas no período da campanha costumam ser mais criteriosas, pela proximidade com o pleito e para evitar uma desmoralização grande e até penalidades junto a Justiça Eleitoral.
As feitas com muita antecedência podem até ser tendenciosas, pela grande distância das eleições e pelo argumento de que pesquisa é o momento e tudo pode mudar. Muitas provocam muita confusão.
Um exemplo disso é a Pesquisa Dataplan feita para governador, senador, deputado federal e deputado estadual, que foi divulgada ontem. A pesquisa, realizada no período de 14 a 17 de abril em 32 municípios de Sergipe, ouvindo 1.506 pessoas esqueceu de colocar o nome de Mendonça Prado como pré-candidato a governador pelo DEM na pesquisa induzida.
Mendonça foi um dos primeiros a lançar seu nome como pré-candidato a governador. Ele é um ex-deputado federal e pré-candidato ao governo por um grande partido, o DEM, que tem como líderes o ex-governador João Alves Filho e a senadora Maria do Carmo Alves. Os dois têm eleitores cativos no Estado.
Com certeza, a ausência do nome de Mendonça alterou todo o resultado da pesquisa para o governo. Por ser o DEM um partido de direita, é muito provável que os votos que seriam destinados para ele tenham ido para o pretenso pré-candidato a governador Eduardo Amorim (PSDB) pelo perfil ideológico.
Como não poderia ser diferente, a pesquisa Dataplan - que na induzida para governador mostrou Eduardo Amorim (PSDB) com 15% das intenções de votos, Valadares Filho (PSB) com 11,1%, Belivaldo Chagas (PSD) com 7,9%, e Dr Emerson (Rede) com 3,2% - levou o PSB e DEM a saíram com notas criticando o critério e metodologia.  E Mendonça Prado, que foi prejudicado com a não inclusão do seu nome, a afirmar que vai denunciar a pesquisa ao Ministério Público Eleitoral e a Polícia Federal.

 

Reação de Mendonça 1

Disse o pré-candidato a governador Mendonça Prado (DEM) nas redes sociais: "Pesquisa eleitoral que não inclui o meu nome como pré-candidato a governador não merece a minha avaliação, mas uma investigação por parte da Polícia Federal. Está evidente a falsidade dos dados e o desejo de enganar o povo".

 

Reação de Mendonça 2

Declarou ainda Mendonça: "Tem um circo montado em Sergipe que inclui gente de áreas distintas forçando a barra para dominar a política e continuar levando vantagem. Trabalham fortemente contra mim nos gabinetes, porque sabem que eu não me submeto nem concordo com políticos canalhas".

 

Reação do DEM

O Diretório Estadual do DEM saiu com nota. Afirma a nota: "O Democratas de Sergipe repudia a divulgação de pesquisas com o intuito de enganar o povo sergipano, excluindo das suas consultas nomes de pré-candidatos ao governador do estado de Sergipe, a exemplo de Mendonça Prado. É lamentável que nos dias atuais empreguem esse tipo de artifício para ludibriar o povo, e tentar inflar nomes da preferência do poder econômico. Portanto, não avaliaremos dados criminosos, apenas alertamos o Ministério Público Eleitoral e a Polícia Federal para esse tipo de manipulação explícita, que subestima a inteligência dos sergipanos e reduz o processo democrático a uma ação delituosa".

 

Reação do PSB 1

O PSB de Sergipe também saiu com nota dizendo estranhar o resultado da pesquisa Dataplan por divergir de outras pesquisas e omitir pré-candidatos notoriamente lançados, a exemplo de Mendonça Prado. Enfatiza que o PSB solicitará ao TRE-SE a íntegra da pesquisa, com os formulários de entrevistas, a fim de verificar possíveis desvios e irregularidades em sua  realização, e caso seja comprovada a suspeita, ajuizará as medidas cabíveis contra a referida empresa e seus contratantes.

 

Reação do PSB 2

 "Faremos isso para evitar que comece a partir de agora a temporada de contratação de pesquisas fakes, com abuso de poder econômico, e com o objetivo de induzir o eleitor a acreditar num cenário irreal, que poderá promover o desequilíbrio do pleito", enfatiza nota do PSB, que destaca ainda o fato de que em um questionário de 19 perguntas, 11 eram relacionadas ao ex-prefeito Sukita e ao pré-candidato que terá o seu apoio para deputado estadual.

 

Rainha da Inglaterra 1

Na manhã de ontem o governador Belivaldo Chagas (PSD) teve uma conversa com o secretário Almeida Lima (Saúde), em seu gabinete, no Palácio de Despachos. Na oportunidade, BC falou que indicaria o DAF, o adjunto da Secretaria da Saúde e o novo presidente da Fundação Hospitalar de Saúde, sem que Almeida fizesse qualquer questionamento.

 

Rainha da Inglaterra 2

Belivaldo já decidiu nomear para o DAF da Saúde o ex-prefeito de Pirambú, José Nilton; para a função de adjunto da Saúde o médico Valberto Lima, que foi pré-candidato a prefeito de Propriá; e Ramon Guerra para a Fundação Hospitalar. Levando em conta que o governador já mudou o comando dos hospitais Huse e de Itabaiana, Almeida caminha para ser a Rainha da Inglaterra, que reina mais não governa.

 

Rainha da Inglaterra 3

A coluna tem informações que o governador não vai referendar o Processo Seletivo Simplificado (PSS) lançado por Almeida para a contratação de aproximadamente 800 profissionais da área da saúde, entre médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, nutricionistas e outras especialidades.

 

Melhor resposta 1

O próprio Almeida Lima encaminhou para a coluna um vídeo mostrando como funcionava a área de hemodiálise do Huse, destacando o espaço pequeno, precário e insalubre que funcionou por vários anos sem qualquer crítica. E como funciona agora com a inauguração do Centro de Nefrologia, destacando a área ampla e moderna, além da satisfação dos pacientes com as novas instalações.

 

Melhor resposta 2

O vídeo termina ironizando bem ao estilo Almeida. Diz o texto: "Nada disso adiantou para a turma do contra. O mundo desabou em críticas e denúncias porque essa grande obra só entrou em funcionamento uma semana depois. Santo Deus! Misericórdia! Que gente intolerante! Quanta incompreensão! Fazer. Essa é a melhor resposta!".   

 

Em liberdade

Os deputados estaduais Augusto Bezerra (PHS) e Paulinho da Varzinhas (PSC), condenados ontem pelo pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) a mais de 12 anos de prisão em regime fechado por irregularidades nas verbas de subvenção da Assembleia Legislativa, vão recorrer da decisão em liberdade. Continuarão desenvolvendo suas atividades parlamentares,

 

Veja essa ...

Do senador Eduardo Amorim (PSDB), pretenso pré-candidato ao governo, à coluna sobre como seria seu secretariado no caso de ser eleito governador nas eleições deste ano: "Comigo secretaria não terá dono, o dono é o povo. Hoje os secretários são indicados por grupos políticos. Isso não funciona. Governarei com a minha consciência e princípios governamentais pelo bem da coisa pública. Quem sonhar com isso está convidado a governar com o povo".

 

...e essa...

Disse ainda Eduardo, ao ser questionado pela coluna como governará caso ganhe as eleições sem a tradicional indicação política dos aliados para o primeiro e segundo escalão do governo: "Cultura boa deve ser mantida, a ruim deve ser trocada. O país clama por esse tipo de mudança. É desse jeito que penso. Maus hábitos, que nem sempre é a favor do povo, devem ser mudados. Se for governar, vou governar com os mais necessitados".  

 

Curtas

O engenheiro Gabriel Campos foi convidado ontem à noite pelo governador Belivaldo Chagas para assumir a presidência da Deso. O convite foi aceito. Gabriel é ligado ao ex-prefeito Fábio Henrique.

 

O ex-governador Jackson Barreto (MDB) comemorou ontem o resultado da pesquisa para o Senado, em que lidera com 10,3% na pesquisa espontânea. "As pesquisas só refletem o que as ruas falam! O reconhecimento do povo é o caminho que eu sempre decido seguir. Obrigado, Sergipe!", disse JB.

 

O deputado federal Fábio Reis (MDB), que também lidera na pesquisa espontânea para a Câmara dos Deputados, agradeceu pela confiança e apoio, e disse que o trabalho não para.

 

Do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) sobre a pesquisa do Instituto Dataplan para Governador e Senador: "O DEM tem razão em reclamar, pois Mendonça Prado não foi incluído na mesma, o que foi um erro do instituto mais que não invalida a pesquisa. Já os outros, é xororô".

 

A vereadora Kitty Lima (Rede) utilizou o pequeno expediente da Câmara Municipal de Aracaju (CMA) nesta quarta-feira, 25, para conscientizar os demais vereadores da Casa quanto a importância da aprovação do Projeto de Lei Abril Laranja, iniciativa que visa o combate à crueldade contra animais.  

 

Hoje, no Conjunto Rosa Elze, em São Cristovão, tem caminhada em defesa de Lula Livre. Será às 17h, com concentração na Paróquia Nossa Senhora do Loreto.