Eduardo garante que disputará o governo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Na noite desta segunda-feira (23), o deputado federal André Moura (PSC-SE) participou de três audiências com o ministro das Cidades, Alexandre Baldy. Na pauta das reuniões foi debatido a liberação de casas pelo Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV) para
Na noite desta segunda-feira (23), o deputado federal André Moura (PSC-SE) participou de três audiências com o ministro das Cidades, Alexandre Baldy. Na pauta das reuniões foi debatido a liberação de casas pelo Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV) para

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 24/04/2018 às 23:09:00

 

Em conversa ontem com a coluna, o sena-
dor Eduardo Amorim (PSDB) refutou a 
notícia de que tinha enviado um mensageiro para dialogar com os Valadares sobre as eleições deste ano, com uma nova proposta de Valadares Filho (PSB) ser o seu vice ou dele [Eduardo] ser o candidato a senador da chapa encabeçada por VF.
 "Não preciso de mensageiro para ter diálogos com quem quer que seja. Procuro fazer pessoalmente, pois ver a expressão olho no olho é indispensável. Essa fase de aprendizado já passou. Quem me pauta é a verdade. Se alguém foi a esse encontro, foi sem o meu consentimento. Não tenho laços de inimizades, pode haver discordâncias; já o que não pode faltar é o respeito".
Eduardo reafirmou que não está pensando em pré-candidatura ao Senado Federal, por está focado na pré-candidatura ao Governo do Estado. "Sei respeitar a história e as escolhas de cada um. Estou preparado, consciente e com os pés no chão", garante.
Ao ser questionado por que não está se movimentando como pré-candidato a governador e que André Moura é quem está fazendo isso, Eduardo disse que nunca caminhou tanto em Sergipe como agora. "Cada um tem sua forma de conduzir e trabalhar. Minha forma de trabalhar é diferente, é silenciosa. Não sou de tá publicando tudo, sou cauteloso. Penso no presente e no futuro, pesquiso e estudo o significado da palavra. André tem um jeito eu tenho outro", disse.
 
"André está tirando proveito do governo que é líder e ajudando Sergipe sem nenhuma discriminação. Essa ajuda é compreendida por uns e incompreendida por outros", afirmou, enfatizando que continua mantendo uma boa relação política e pessoal com André.
Destacou, inclusive, que não gostou das declarações do empresário Teixeira Caminhões sobre André. "Falei com ele. Não gosto de amigo falando de outro amigo. Teixeira apoiou o prefeito Miguel [Porto da Folha], que não o apoia agora. Não tem como interferir, André não tem culpa, não tem como impor a vontade das pessoas. Prefiro a conquista que a imposição. A imposição não dura muito".
Ao ser questionado se já decidiu que será candidato a governador, o que está faltando para lançar sua pré-candidatura Eduardo disse que não está fora do tempo legal e não está atrasado em relação a outros momentos. "Em 2014, o lançamento ocorreu em junho. Agora, não fizemos isso ainda porque estão faltando alguns diálogos. Só digo que estou pronto e determinado para disputar o governo", frisou.
"Vou pedir de novo ao povo que me dê uma oportunidade. Sou pré-candidato ao governo, acredito em Deus e no povo. Se me for concedido mandato de governador defenderei o povo, o respeitarei, pagarei salário em dias e tratarei com zelo a coisa pública. Estou preparado para esse momento. Nunca vi o caos em Sergipe como agora", declarou o senador.   

Em conversa ontem com a coluna, o sena- dor Eduardo Amorim (PSDB) refutou a  notícia de que tinha enviado um mensageiro para dialogar com os Valadares sobre as eleições deste ano, com uma nova proposta de Valadares Filho (PSB) ser o seu vice ou dele [Eduardo] ser o candidato a senador da chapa encabeçada por VF.
 "Não preciso de mensageiro para ter diálogos com quem quer que seja. Procuro fazer pessoalmente, pois ver a expressão olho no olho é indispensável. Essa fase de aprendizado já passou. Quem me pauta é a verdade. Se alguém foi a esse encontro, foi sem o meu consentimento. Não tenho laços de inimizades, pode haver discordâncias; já o que não pode faltar é o respeito".
Eduardo reafirmou que não está pensando em pré-candidatura ao Senado Federal, por está focado na pré-candidatura ao Governo do Estado. "Sei respeitar a história e as escolhas de cada um. Estou preparado, consciente e com os pés no chão", garante.
Ao ser questionado por que não está se movimentando como pré-candidato a governador e que André Moura é quem está fazendo isso, Eduardo disse que nunca caminhou tanto em Sergipe como agora. "Cada um tem sua forma de conduzir e trabalhar. Minha forma de trabalhar é diferente, é silenciosa. Não sou de tá publicando tudo, sou cauteloso. Penso no presente e no futuro, pesquiso e estudo o significado da palavra. André tem um jeito eu tenho outro", disse. "André está tirando proveito do governo que é líder e ajudando Sergipe sem nenhuma discriminação. Essa ajuda é compreendida por uns e incompreendida por outros", afirmou, enfatizando que continua mantendo uma boa relação política e pessoal com André.
Destacou, inclusive, que não gostou das declarações do empresário Teixeira Caminhões sobre André. "Falei com ele. Não gosto de amigo falando de outro amigo. Teixeira apoiou o prefeito Miguel [Porto da Folha], que não o apoia agora. Não tem como interferir, André não tem culpa, não tem como impor a vontade das pessoas. Prefiro a conquista que a imposição. A imposição não dura muito".
Ao ser questionado se já decidiu que será candidato a governador, o que está faltando para lançar sua pré-candidatura Eduardo disse que não está fora do tempo legal e não está atrasado em relação a outros momentos. "Em 2014, o lançamento ocorreu em junho. Agora, não fizemos isso ainda porque estão faltando alguns diálogos. Só digo que estou pronto e determinado para disputar o governo", frisou.
"Vou pedir de novo ao povo que me dê uma oportunidade. Sou pré-candidato ao governo, acredito em Deus e no povo. Se me for concedido mandato de governador defenderei o povo, o respeitarei, pagarei salário em dias e tratarei com zelo a coisa pública. Estou preparado para esse momento. Nunca vi o caos em Sergipe como agora", declarou o senador.   

 

Sentimento de desgosto 1

O senador Eduardo Amorim (PSDB) disse que estava decepcionado com a falta de entendimento político com os Valadares (PSB) nas eleições deste ano. "Pensei que a relação durasse mais um tempo, não fosse só na eleição de 2016, quando os Valadares foram protagonistas. Acreditei que estaríamos juntos para salvar Sergipe. Estou decepcionado com o término da relação", disse o parlamentar.

 

Sentimento de desgosto 2

 "Existe respeito ao deputado Valadares Filho e ao pai Valadares, só não pensei, não acreditei que a parceria durasse apenas uma eleição. O respeito continuará existindo, o diálogo foi feito sobre a vice. Continuo onde sempre estive, na oposição e procurando ajudar o Estado. Procurarei conservar essa coerência. Vida que segue".

 

Saiu pela tangente

Ontem, antes da solenidade de posse do médico Darcy Tavares como superintendente do Huse, o governador Belivaldo Chagas (PSD) desconversou se vai tirar o secretário Almeida Lima da Saúde. Disse apenas que fará mudanças na área e que ainda hoje deverá está nomeando o novo diretor presidente da Fundação Hospitalar de Saúde com a saída de Almeida do cargo que acumulava junto com a Secretaria da Saúde.

 

Em defesa própria 1

Belivaldo se defendeu de críticas relacionadas a algumas declarações feitas de que não sabia de alguma coisa do governo, a exemplo de que pessoas esperavam meses no Huse para um procedimento cirúrgico. "Sabia de muita coisa, mas estou sabendo de tudo agora", disse.

 

Em defesa própria 2

Também falou de questionamentos de aliados que não está discutindo as questões políticas, mas administrativas. Ressaltou que se tivesse tratando da parte política logo no início do seu governo seria criticado por isso. "Fiz a opção, nesses primeiros dias como governador, de tomar conhecimento de tudo do governo. Somente em maio vou começar a fazer política", afirmou BC, que é pré-candidato ao governo.

 

Foi à posse

Segundo Almeida Lima, que compareceu ontem à posse de Darcy Tavares na superintendência do Huse, ele não se sente desprestigiado por Belivaldo ter nomeado o médico para o posto sem que fosse avisado antes, assim como o enfermeiro Waltenis Júnior para a direção do Hospital de Itabaiana.  Declarou ainda que não é nenhum desprestigio BC visitar hospitais sem a sua companhia. "Não tenho porque está ao lado dele permanentemente como secretário", destacou AL, que, nem sequer foi convidado a assinar o termo de posse de Darcy.

 

Disposto a se adequar

Almeida reconheceu que não tem despachado com o governador e admitiu que vai se adequar ao perfil de Belivaldo governador. "O perfil não é o meu, mas do governador. Estava com o perfil do governador Jackson Barreto, agora é o de Belivaldo Chagas e vou seguir".

 

Indiferente

De Almeida ao ser questionado se deixará a Secretaria da Saúde: "Quem confirma se permaneço é o governador. Estou bem no cargo. Se fico ou não vão ter de perguntar ao governador. Estarei secretário até Belivaldo querer".

 

Reconhecendo o erro

Ainda na entrevista a imprensa, o secretário assumiu o erro de ter inaugurado o Centro de Nefrologia do Huse sem que estivesse pronto. Garantiu que nem o então governador Jackson Barreto e nem Belivaldo sabiam e que não imaginava que o fato fosse causar tanta celeuma, uma vez que o centro passou a funcionar com todo conforto e modernidade alguns dias depois.

 

Alfinetando o governo 1

Enquanto Belivaldo Chagas participava da solenidade de posse do novo superintendente do Huse, o ex-aliado e pré-candidato a governador Mendonça Prado (DEM) não poupou críticas ao governo pelas redes sociais. Disse Mendonça: "A saúde pública no estado de Sergipe nunca esteve tão ruim. O povo está sofrendo em função da irresponsabilidade governamental. Belivaldo assumiu criticando fortemente a gestão, mas parece que entregou os pontos e se conformou com o caos. Uma tristeza".

 

Alfinetando o governo 2

Prosseguiu Mendonça: "Há uma farra de dinheiro público no estado de Sergipe para uso em supérfluos ou algo não prioritário. A desculpa esfarrapada é que são verbas carimbadas. A verdade é que só não tem carimbo nem dinheiro para o essencial como a saúde da população. Uma vergonha".

 

Se preparando 

O ex-governador Jackson Barreto (MDB) intensificou a ginástica com o seu personal trainer, que já faz há cerca de três anos, dizendo que é para "aguentar" a campanha eleitoral. Ontem, além da ginástica, teve uma conversa com o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) e o presidente do Podemos, ex-secretário Zezinho Sobral. À noite foi a missa na Igreja Nossa Senhora do Carmo.

 

A caminho do descanso

Segundo JB, ele já viaja nesse final de semana para um período de aproximadamente dez dias de descanso e quando retornar vai começar a trabalhar sua pré-candidatura ao Senado, com visitas ao interior do Estado. Reafirmou que só viajará agora porque logo após a sua saída do governo se submeteu a uma cirurgia de catarata nos olhos.  

 

Nova pesquisa 1

Hoje tem resultado de mais uma pesquisa eleitoral para governador, senador, deputado federal e deputado estadual. A pesquisa, feita pelo Instituto Dataplan, foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) no último dia 19 e com data para divulgação nesta quarta-feira. Foram entrevistadas 1.506 pessoas em Aracaju e 31 municípios do interior.

 

Nova pesquisa 2

Essa pesquisa do Instituto Dataplan para as eleições deste ano será a terceira realizada em Sergipe em 2018. O Instituto Franca de Pesquisa realizou as duas outras pesquisas em fevereiro e março passado.

 

Veja essa ...

Já está circulando na internet um vídeo com o cantor sergipano Devinho Novaes pedindo voto indireto para o polêmico pré-candidato a deputado federal por Sergipe, Valdevan 90 (PSC), que é presidente do Sindicato dos Motoristas de São Paulo. No vídeo, o cantor, ao lado do 90, diz: "Alô galera, quem está falando é Devinho Novaes, o boizinho. Estou aqui com meu parceiro Valdevan 90, o estourado do povo. Estamos juntos. Puxe menino". Os dois gesticulam com os dedos de que está tudo certo. Será campanha antecipada procuradora-geral eleitoral Eunice Dantas?

 

Curtas

O governador Belivaldo Chagas não decretou ponto facultativo nos órgãos públicos do Estado na próxima segunda-feira, 30, véspera do feriado de 1º de maio, quando se comemora o Dia do Trabalhador.

 

Belivaldo desativou a parte administrativa do Palácio de Veraneio, como o medida administrativa visando otimizar a máquina e continuar com o plano de economia anunciado em janeiro deste ano. Ele só usa o Palácio de Despachos.

 

Chegou à coluna a informação de que a procuradora-geral do Estado, Aparecida Gama, já teria comunicado ao governador o seu interesse em deixar o cargo.

 

Aconteceu ontem o 2º Encontro Municipal do PPS de Nossa Senhora do Socorro, que tem como presidente o deputado estadual Capitão Samuel (PSC). O presidente estadual do partido, Clóvis Silveira, e o pré-candidato a deputado federal José Carlos Machado participaram do evento.