Decisões mais rápidas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Com 35 anos, o professor e agente federal Jossimário Mick é o mais novo pré-candidato do PSOL ao Senado nas eleições deste ano. Diz que vai concorrer ao mandato de senador \"para romper essa política tradicional de alternância de poder, construir um m
Com 35 anos, o professor e agente federal Jossimário Mick é o mais novo pré-candidato do PSOL ao Senado nas eleições deste ano. Diz que vai concorrer ao mandato de senador \"para romper essa política tradicional de alternância de poder, construir um m

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 24/04/2018 às 00:50:00

 

Belivaldo Chagas (PSD) assumiu 
o governo no último dia 7 des
te mês e até o momento não tomou nenhuma decisão política relevante e de grande impacto. Apenas mudou os secretários da Educação e da Saúde, que já era esperado, e visitou o Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE), bem no auge da polêmica do Centro de Nefrologia, inaugurado e desmontado um dia após a inauguração.
Em conversa ontem com a coluna, um aliado de Belivaldo reconhece que ele começou bem o governo, "mas está demorando" a tirar o secretário Almeida Lima (Saúde). "A saída de Almeida virou uma unanimidade", ressaltou.
O aliado, que disputará um mandato eletivo este ano, avalia que o governador tem chance de se sair bem nas eleições deste ano se conseguir pagar o salário dos servidores públicos até o dia 10 de cada mês, arrumar as questões políticas e definir quem são seus aliados.
Ressalta que tem muita gente no governo que já está com um pé na oposição e outros já oficializados na oposição e que, por isso, "Belivaldo precisa logo resolver essa questão, escalar o time que vai com ele para as eleições".
"O tempo depõe contra ele. Jackson Barreto tem história construída, pode rever qualquer situação em qualquer tempo, mas Belivaldo tem de construir a sua história. Ele precisa dizer para que veio e não tem muito tempo. Tem até o final de setembro para fazer isso", frisou.
Na sua concepção, a eleição está indefinida. "Belivaldo tem chance de vitória nas urnas. A favor dele a bagunça da oposição, onde ninguém se entende, e Valadares Filho construindo sua pré-candidatura a governador, levando a oposição ao racha", finaliza.
Belivaldo realmente precisa ser mais ágil em decisões, porque o tempo de governo é muito curto. E as eleições já estão postas. 

Belivaldo Chagas (PSD) assumiu  o governo no último dia 7 des te mês e até o momento não tomou nenhuma decisão política relevante e de grande impacto. Apenas mudou os secretários da Educação e da Saúde, que já era esperado, e visitou o Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE), bem no auge da polêmica do Centro de Nefrologia, inaugurado e desmontado um dia após a inauguração.
Em conversa ontem com a coluna, um aliado de Belivaldo reconhece que ele começou bem o governo, "mas está demorando" a tirar o secretário Almeida Lima (Saúde). "A saída de Almeida virou uma unanimidade", ressaltou.
O aliado, que disputará um mandato eletivo este ano, avalia que o governador tem chance de se sair bem nas eleições deste ano se conseguir pagar o salário dos servidores públicos até o dia 10 de cada mês, arrumar as questões políticas e definir quem são seus aliados.
Ressalta que tem muita gente no governo que já está com um pé na oposição e outros já oficializados na oposição e que, por isso, "Belivaldo precisa logo resolver essa questão, escalar o time que vai com ele para as eleições".
"O tempo depõe contra ele. Jackson Barreto tem história construída, pode rever qualquer situação em qualquer tempo, mas Belivaldo tem de construir a sua história. Ele precisa dizer para que veio e não tem muito tempo. Tem até o final de setembro para fazer isso", frisou.
Na sua concepção, a eleição está indefinida. "Belivaldo tem chance de vitória nas urnas. A favor dele a bagunça da oposição, onde ninguém se entende, e Valadares Filho construindo sua pré-candidatura a governador, levando a oposição ao racha", finaliza.
Belivaldo realmente precisa ser mais ágil em decisões, porque o tempo de governo é muito curto. E as eleições já estão postas. 

 

Expectativa 1

O governador Belivaldo Chagas (PSD) deve anunciar nos próximos dias algumas medidas positivas relacionadas ao trabalho do novo secretário da Fazenda. Ademário Alves. E a adesão de dois novos partidos a sua pré-candidatura a governador.

 

Expectativa 2

Um deles deve ser o PP, que estava na oposição sob a liderança do deputado estadual Venâncio Fonseca, e nas eleições deste ano marchará com a base governista sob o comando do deputado federal Laércio Oliveira. É uma grande aquisição, pois o PP é hoje um dos maiores partidos do país, com grande representatividade no Congresso Nacional, e um bom tempo de televisão.

 

O que falar 1

Ontem, BC foi a Itabaiana para a posse do novo diretor administrativo do Hospital Regional de Itabaiana, o enfermeiro Waltenis Braga Silva Júnior, que substituiu o médico Darcy Tavares, que deixou a pasta para ocupar o cargo de superintendente do Hospital de Urgências de Sergipe (Huse) a partir de hoje, quando será empossado no cargo. Os dois são uma indicação pessoal do governador, que não se deu ao trabalho de discutir nomes com o secretário Almeida Lima.

 

O que falar 2

Almeida, inclusive, nem foi convidado para a posse de Waltenis Braga no Hospital regional de Itabaiana. Presentes o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Luciano Bispo (MDB), e o secretário Olivier Chagas (Meio Ambiente), que são de Itabaiana.

 

O mensageiro 1

A coluna recebeu informações de que uma pessoa da relação pessoal e da confiança do senador Eduardo Amorim (PSDB), e de boa relação com os Valadares, procurou, na semana passada, o deputado federal Valadares Filho (PSB) para uma conversa. No encontro, perguntou se ele ainda toparia ser vice de Eduardo e, diante da resposta negativa, questionou se aceitaria o senador concorrendo à reeleição na sua chapa.  

 

O mensageiro 2

A resposta de Valadares Filho foi de que não haveria problema em ter Eduardo Amorim como pré-candidato a Senador. O interlocutor, que foi sondar o pré-candidato a governador, teria saído satisfeito da conversa.

 

É fato

O fato do senador Eduardo Amorim voltar a querer compor com Valadares Filho, e até como candidato a reeleição, é realmente uma constatação de que não é das melhores a sua relação política hoje com o deputado federal André Moura (PSC). Ontem mesmo, enquanto embarcavam para Brasília, cada um estava de um lado.

 

Caminhando 1

Valadares Filho segue firme no projeto de pré-candidatura ao Senado. No final de semana, ao lado do senador Valadares (PSB), esteve nos municípios de Porto da Folha, Poço Redondo e Nossa Senhora da Glória com lideranças políticas e concedendo entrevistas nas emissoras de rádio. Ontem pela manhã, no gabinete de Sergipe, recebeu lideranças do interior sergipano.

 

Caminhando 2

Conversou com o ex-prefeito de Poço Verde, Toinho de Dorinha, os vereadores de Poço Verde, Pedro Rodrigues, Didiu, Alexandre Dias e Raimundinho; o prefeito de Salgado, Duilio Siqueira; o vereador de Estância, Tito Magno; o vice-prefeito de Pedra Mole, Keto e o vereador Novaes, de Amparo de São Francisco.

 

Nome novo

Um grupo político em Boquim do segmento empresarial e social começou a articular o nome do jovem George Trindade, atual presidente da Junta Comercial de Sergipe, para prefeito de Boquim em 2020.  George tem se mostrado um bom administrador frente à Jucese e articulador político.

 

Com a oposição

A coluna recebeu informações de que o pré-candidato a senador Heleno Silva (PRB) senta esta semana com o senador Eduardo Amorim já para decidir se fica ou não com a oposição. Na última semana, Heleno teve uma conversa reservada com o senador Valadares (PSB).

 

Preocupação

Foi dito ainda que alguns aliados de Heleno têm demonstrado preocupação com a possibilidade do agrupamento ir para a oposição e com a grande rejeição para apoiar André Moura para o Senado.

 

Velho Chico

A comissão especial que analisa o projeto de privatização da Eletrobras (PL 9463/18) discute hoje o programa de revitalização da bacia do rio São Francisco. A pedido do relator, deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA), e do deputado Leonardo Quintão (PMDB-MG) foram convidados: o presidente da Chesf, Sinval Gama; o presidente do Conselho da Fundação Renova, Wilson Brumer; o diretor-executivo da Secretaria de Meio Ambiente de Sergipe, Ailton Rocha; e o ex-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Guillo. A audiência será realizada a partir das 14h30, em um dos plenários da Câmara Federal.

 

Veja essa ...

Ainda repercute nas rodas políticas as declarações do empresário Teixeira Caminhões, em sua emissora de rádio, em Porto da Folha, na quinta-feira passada, afirmando que o deputado federal André Moura (PSC) torce para que o senador Eduardo Amorim (PSDB) perca as eleições para o governo para que, em 2022, ele, sendo eleito senador, possa disputar o governo no meio do mandato.

 

...e essa...

Na sexta-feira, na emissora de Teixeira, a Rio FM, foram convidados a conceder entrevista o deputado federal Valadares Filho e o senador Valadares. O empresário, que é amigo de Eduardo Amorim (PSDB), desistiu de sua pré-candidatura a deputado estadual e alega "perseguição" política por parte de André.

 

Curtas

No feriado de 21 de abril, o ex-governador Jackson Barreto (MDB) foi a Propriá para a missa de 7º dia do ex-prefeito de Telha, Zé Guimarães, esposo da ex-prefeita do município, Meninina. JB estava ao lado do ex-prefeito Renatinho.

 

No final de semana, o deputado federal Fábio Reis (MDB/SE) participou da reinauguração do campo de futebol Juraci Emílio dos Santos, mais conhecido como Taticão. A obra de ampliação e modernização foi realizada com recurso de emenda parlamentar destinada por Fábio, no valor de R$ 450 mil.

 

 "Estamos contribuindo com a prática do esporte e, consequentemente, com a melhoria da qualidade de vida e com a saúde do povo, sem contar na formação de novos atletas como o nosso conterrâneo Diego Costa", comemorou o parlamentar.

 

Durante reunião ontem do Conselho Curador da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), o secretário Almeida Lima anunciou a sua decisão de descompatibilizar da diretoria geral da fundação, cargo que respondia interinamente.  Atende a uma deliberação do Tribunal de Contas de Sergipe, que determinou ao gestor escolher entre a secretaria e a FHS.