O efeito Temer

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O governador Belivaldo Chagas recebeu, no Palácio dos Despachos, o ex-governador Albano Franco. Na oportunidade, Albano Franco se colocou à disposição para fazer parte da Comissão que luta para a manutenção da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados de Serg
O governador Belivaldo Chagas recebeu, no Palácio dos Despachos, o ex-governador Albano Franco. Na oportunidade, Albano Franco se colocou à disposição para fazer parte da Comissão que luta para a manutenção da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados de Serg

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 17/04/2018 às 23:40:00

 

Pesquisa Datafolha divulgada 
ontem pelo site do jornal "Fo-
lha de S.Paulo" indica que o governo do presidente Michel Temer é reprovado por 70% dos entrevistados e que apenas 6% da população o aprova. A rejeição ao governo Temer, a menos de seis meses das eleições, representa também um desgaste político para seus aliados.
É esse desgaste de Temer e o fato de está sendo acusado e investigado de crimes de corrupção que a oposição em Sergipe ao deputado federal André Moura, líder do governo Temer no Congresso, está apostando para derrotá-lo e ao seu agrupamento político nas eleições deste ano.
Moura se contrapõe ao desgaste do governo Temer, que defende, com a liberação de recursos para Sergipe. Nesse período de crise econômica, são diversas prefeituras que estão tendo liberadas verbas do orçamento da União, principalmente a Prefeitura de Aracaju.
André vai tentar amenizar a grande insatisfação do povo com Temer, que inclui o de Sergipe, mostrando que o seu governo é o que mais trouxe recursos para o Estado, por seu intermédio.  Para isso, conta com o apoio dos prefeitos, inclusive, o de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB), que não poupa elogios a ele nas solenidades que realiza na prefeitura de ordem de serviços para realização de obras na capital.
Esta semana mesmo foi anunciada a realização do Forró-Caju 2018, com a liberação de R$ 4 milhões para a festa oriundos dos Ministérios da Cultura, viabilizados por André Moura. No ano passado a festa deixou de ser realizada após vários anos, por falta de recursos. E este ano só acontecerá pela liberação desses recursos pelo líder de Temer.
Edvaldo, que na eleição passada foi um adversário ferrenho de Moura, hoje não poupa elogios a esse gesto republicano do parlamentar. "Se não houvesse a articulação dele, a festa não aconteceria. Se dependesse exclusivamente dos recursos da PMA não teríamos como realizar a festa. Sem a ajuda do Governo Federal, vindos por André, não retomaríamos o Forró Caju com a força e a estrutura a ser realizada. A ajuda dele é muito importante", chegou a declarar o prefeito na segunda durante lançamento do Forró-Caju.
Apesar de o líder do governo trazer ministros a Sergipe para liberação de recursos para prefeituras, muitas lideranças da oposição não acreditam que o dinheiro venha realmente a ser liberado. Acham que entre anunciar liberação de verbas e elas realmente chegarem às contas do município existe uma grande diferença.  Um dos que acredita nisso é o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD).
Agora é aguardar o que vai prevalecer nas eleições deste ano para André Moura em Sergipe: se o ônus ou bônus de ser líder de Temer no Congresso Nacional.
Talvez por haver uma indefinição sobre isso que André trabalha sua candidatura para o Senado, mas ainda não descarta a possibilidade de disputar o governo e até mesmo a reeleição de deputado federal.
Hoje, nem ele mesmo tem a certeza a qual mandato vai concorrer. Deve está avaliando ainda o cenário político...

Pesquisa Datafolha divulgada  ontem pelo site do jornal "Fo- lha de S.Paulo" indica que o governo do presidente Michel Temer é reprovado por 70% dos entrevistados e que apenas 6% da população o aprova. A rejeição ao governo Temer, a menos de seis meses das eleições, representa também um desgaste político para seus aliados.
É esse desgaste de Temer e o fato de está sendo acusado e investigado de crimes de corrupção que a oposição em Sergipe ao deputado federal André Moura, líder do governo Temer no Congresso, está apostando para derrotá-lo e ao seu agrupamento político nas eleições deste ano.
Moura se contrapõe ao desgaste do governo Temer, que defende, com a liberação de recursos para Sergipe. Nesse período de crise econômica, são diversas prefeituras que estão tendo liberadas verbas do orçamento da União, principalmente a Prefeitura de Aracaju.
André vai tentar amenizar a grande insatisfação do povo com Temer, que inclui o de Sergipe, mostrando que o seu governo é o que mais trouxe recursos para o Estado, por seu intermédio.  Para isso, conta com o apoio dos prefeitos, inclusive, o de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB), que não poupa elogios a ele nas solenidades que realiza na prefeitura de ordem de serviços para realização de obras na capital.
Esta semana mesmo foi anunciada a realização do Forró-Caju 2018, com a liberação de R$ 4 milhões para a festa oriundos dos Ministérios da Cultura, viabilizados por André Moura. No ano passado a festa deixou de ser realizada após vários anos, por falta de recursos. E este ano só acontecerá pela liberação desses recursos pelo líder de Temer.
Edvaldo, que na eleição passada foi um adversário ferrenho de Moura, hoje não poupa elogios a esse gesto republicano do parlamentar. "Se não houvesse a articulação dele, a festa não aconteceria. Se dependesse exclusivamente dos recursos da PMA não teríamos como realizar a festa. Sem a ajuda do Governo Federal, vindos por André, não retomaríamos o Forró Caju com a força e a estrutura a ser realizada. A ajuda dele é muito importante", chegou a declarar o prefeito na segunda durante lançamento do Forró-Caju.
Apesar de o líder do governo trazer ministros a Sergipe para liberação de recursos para prefeituras, muitas lideranças da oposição não acreditam que o dinheiro venha realmente a ser liberado. Acham que entre anunciar liberação de verbas e elas realmente chegarem às contas do município existe uma grande diferença.  Um dos que acredita nisso é o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD).
Agora é aguardar o que vai prevalecer nas eleições deste ano para André Moura em Sergipe: se o ônus ou bônus de ser líder de Temer no Congresso Nacional.
Talvez por haver uma indefinição sobre isso que André trabalha sua candidatura para o Senado, mas ainda não descarta a possibilidade de disputar o governo e até mesmo a reeleição de deputado federal.
Hoje, nem ele mesmo tem a certeza a qual mandato vai concorrer. Deve está avaliando ainda o cenário político...

 

Ajuda a Belivaldo 1

Em conversa ontem com a coluna, o ex-governador Jackson Barreto (MDB) disse que está "meio por fora" das coisas e que está um pouco recolhido. Declarou que depois que deixou o governo foi a Brasília, com recursos próprios, ajudar o governador Belivaldo Chagas (PSD) na liberação dos recursos da segunda parcela do Proinvest.

 

Ajuda a Belivaldo 2

"Vou estar à disposição para ajudar Belivaldo no que for possível e vou avisando aos navegantes que fui a Brasília por conta própria. Paguei do meu bolso hotel e avião", frisou.

 

Cirurgia

Revelou que logo que voltou de Brasília se submeteu a uma cirurgia de catarata na capital. "Um jornal chegou a noticiar que fiz a cirurgia fora de Aracaju, mas fiz aqui, na Clínica Ocular, com o oftalmologista Carlson Silva. Fiz a cirurgia para enxergar mais na campanha", ironizou.

 

Pé na estrada

Enfatizou JB que viajará nos próximos dias, por 10 dias, para descansar, o que não tinha feito desde que deixou o governo no último dia 7 de abril. "Quero descansar, caminhar na praia. Somente em meados de maio vou começar a andar pelo Estado", afirmou, se referindo a sua pré-candidatura ao Senado.

 

Segue como líder 1

O deputado estadual Francisco Gualberto (PT), que foi líder do governo Marcelo Déda e Jackson Barreto na Assembleia Legislativa, seguirá como líder no governo Belivaldo Chagas (PSD).  Ontem, no plenário da Alese, o parlamentar confirmou que aceitou convite de BC para permanecer como líder do governo. O vice-líder será o deputado Robson Viana (PSD).

 

Segue como líder 2

"Ficarei na liderança do governo até o final do ano com a mesma postura, sempre me colocando à disposição dos deputados e da Casa. Assumo as minhas posições e mantenho o enfrentamento sempre que necessário. Agora minha disposição é bateu, levou. É isso. Se não for assim, os oportunistas se acomodam", afirmou, após confessar arrependimento por ter aceitado na sua vida política determinadas convivências com pessoas que sempre tramaram contra ele.

 

Mais na frente

O presidente estadual do PSB, deputado federal Valadares Filho, revelou à coluna que talvez o seu partido não anuncie neste mês de abril a formação da chapa majoritária. "Depende da construção, dos avanços das conversas e diálogos. Vamos formar uma composição com muita coerência", disse.

 

Otimista

Valadares Filho avalia que o quadro está hoje "muito favorável" a uma pré-candidatura sua ao governo. "Não estou indo para uma aventura", acredita, reafirmando que já tem o apoio de sete partidos e que vem se aprofundando em vários temas como saúde, educação e segurança pública.

 

Sobre Valadares

Do pré-candidato a governador Valadares Filho se existe a possibilidade do seu pai, o senador Valadares, não disputar a reeleição em favor da sua candidatura ao governo: "Se dentro do projeto maior, de uma composição, de uma conjuntura que vale a pena refletir, o senador se coloca à disposição para fortalecer a nossa candidatura".

 

O que falar

Está dando o que falar a pré-candidatura a deputado estadual do folclórico  vereador de Itabaiana, Vardo da Farmácia, pelo PTB presidido em Sergipe por Rodrigo Valadares. Vardo é conhecido no Estado pelas "pérolas" que fala na tribuna da Câmara Municipal. 

 

Auditoria

A sociedade sergipana aguarda, com ansiedade, o resultado da auditoria que será feita pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), no Hospital Cirurgia. A auditoria será feita mediante denúncias apresentadas por vereadores de Aracaju acerca de supostas irregularidades nos contratos e na folha de pagamento do hospital.

 

Veja essa ...

Sivaldo Almeida denunciou na Transamérica FM de Boquim que recebia dinheiro da prefeitura sem trabalhar. Disse que ficou cinco meses como chefe de Divisão da Secretaria Municipal de Saúde sem nunca ter trabalhado e que cobrava sempre ao prefeito Eraldo (SD) que começasse a trabalhar, para mostrar serviço.  Declarou que como isso não ocorreu, solicitou exoneração do cargo em 17 de novembro de 2017 e que agora fará a denúncia na Justiça e devolverá o dinheiro recebido indevidamente. Ressaltou ainda que, como ele, tem muitas pessoas nessa situação. O CC recebido por Sivaldo era de R$ 1.400,00.

 

Curtas

O vice-presidente nacional do PT, Márcio Lula Macedo, comemorou ontem uma nova pesquisa, a do Instituto Vox Populi, em que o ex-presidente Lula segue na liderança em todos os cenários.

 

Segundo Márcio, além de Lula se manter na frente, 58% da população acredita que ele deve participar das eleições. "O povo brasileiro quer Lula livre e quer Lula presidente!", frisou.

 

Petistas estavam ontem consternados com o falecimento do pensador de esquerda Paul Singer. Ele era economista, doutor em sociologia e nome na formação do Partido dos Trabalhadores.

 

Virou réu na Lava-Jato. Por 5 x 0, a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu ontem pelo recebimento da denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) pelos crimes de corrupção e obstrução de Justiça.

 

 Integrantes do MST e do MTST tentaram invadir a sede da TV Sergipe, no início da noite de ontem, em defesa da liberdade do ex-presidente Lula. Na data em que o afastamento da ex-presidente Dilma completou dois anos, os movimentos sociais tentaram ocupar afiliadas da Rede Globo em todos os Estados.