Procon Aracaju divulga pesquisa de medicamentos e orienta consumidores

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Coordenador do Procon Aracaju, Igor Lopes, inspeciona farmácia
Coordenador do Procon Aracaju, Igor Lopes, inspeciona farmácia

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 16/04/2018 às 05:29:00

 

A Secretaria Municipal da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), através do Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Aracaju), disponibiliza desde sexta-feira, o resultado da pesquisa de medicamentos, desenvolvida em Aracaju. A coleta dos dados ocorreu no dia 12, deste mês, com o objetivo de oferecer uma referência de preço ao consumidor, por meio dos valores obtidos dentro da amostra pesquisada. A ação, também, contribui para o monitoramento do mercado na capital sergipana.
De acordo com o coordenador geral do Procon Aracaju, Igor Lopes, foram visitados cinco estabelecimentos comerciais. "Buscamos os dados referentes aos 30 medicamentos mais procurados no mercado, no total. Elencados por categoria, contemplando analgésicos, antialérgicos, antibióticos, anticonvulsivantes, antidepressivos, antidiabéticos, anti-hipertensivos, anti-inflamatórios, antiparasitários e contraceptivos hormonais", esclareceu.
O coordenador ressalta ainda que, apesar da pesquisa comparativa ter como objeto os 30 tipos de produtos, não significa dizer que todos os estabelecimentos envolvidos comercializem a totalidade destes itens. Além disso, as variações e os preços constatados referem-se aos dias em que foi realizado o levantamento, estando, portanto, sujeito à alteração conforme a data da compra, inclusive, por ocasião de descontos especiais, ofertas e promoções. " É importante observar, também, que supermercados de uma mesma rede podem praticar preços diferenciados", acrescentou Igor Lopes.
Orientações - Além de orientar os consumidores sobre os valores dos medicamentos, por meio da pesquisa, o Procon Aracaju, também, alerta os consumidores sobre aspectos a serem observados durante a compra. "Observe se o número do lote, prazo de validade e data de fabricação que constam na caixa do medicamento são iguais aos marcados nas cartelas ou frascos. Também é importantes observar se o medicamento possui o número de registro no Ministério da Saúde", destacou o coordenador do Procon Aracaju.
Outro aspecto que pode ser verificado pelo consumidor, no ato da compra, refere-se aos descontos provenientes de planos e seguros saúde, além de verificar se existe algum programa de fidelidade proveniente do laboratório ou drogaria.

A Secretaria Municipal da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), através do Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Aracaju), disponibiliza desde sexta-feira, o resultado da pesquisa de medicamentos, desenvolvida em Aracaju. A coleta dos dados ocorreu no dia 12, deste mês, com o objetivo de oferecer uma referência de preço ao consumidor, por meio dos valores obtidos dentro da amostra pesquisada. A ação, também, contribui para o monitoramento do mercado na capital sergipana.
De acordo com o coordenador geral do Procon Aracaju, Igor Lopes, foram visitados cinco estabelecimentos comerciais. "Buscamos os dados referentes aos 30 medicamentos mais procurados no mercado, no total. Elencados por categoria, contemplando analgésicos, antialérgicos, antibióticos, anticonvulsivantes, antidepressivos, antidiabéticos, anti-hipertensivos, anti-inflamatórios, antiparasitários e contraceptivos hormonais", esclareceu.
O coordenador ressalta ainda que, apesar da pesquisa comparativa ter como objeto os 30 tipos de produtos, não significa dizer que todos os estabelecimentos envolvidos comercializem a totalidade destes itens. Além disso, as variações e os preços constatados referem-se aos dias em que foi realizado o levantamento, estando, portanto, sujeito à alteração conforme a data da compra, inclusive, por ocasião de descontos especiais, ofertas e promoções. " É importante observar, também, que supermercados de uma mesma rede podem praticar preços diferenciados", acrescentou Igor Lopes.
Orientações - Além de orientar os consumidores sobre os valores dos medicamentos, por meio da pesquisa, o Procon Aracaju, também, alerta os consumidores sobre aspectos a serem observados durante a compra. "Observe se o número do lote, prazo de validade e data de fabricação que constam na caixa do medicamento são iguais aos marcados nas cartelas ou frascos. Também é importantes observar se o medicamento possui o número de registro no Ministério da Saúde", destacou o coordenador do Procon Aracaju.
Outro aspecto que pode ser verificado pelo consumidor, no ato da compra, refere-se aos descontos provenientes de planos e seguros saúde, além de verificar se existe algum programa de fidelidade proveniente do laboratório ou drogaria.