Com as águas de março

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Na visita que fez ao historiador Ibarê Dantas, o vice-governador Belivaldo Chagas (MDB) recebeu o autógrafo da mais recente obra do escritor que trata da biografia do ex-governador Leandro Maciel. Na oportunidade dialogaram sobre o momento político nacion
Na visita que fez ao historiador Ibarê Dantas, o vice-governador Belivaldo Chagas (MDB) recebeu o autógrafo da mais recente obra do escritor que trata da biografia do ex-governador Leandro Maciel. Na oportunidade dialogaram sobre o momento político nacion

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 01/03/2018 às 00:44:00

Na visita que fez ao historiador Ibarê Dantas, o vice-governador Belivaldo Chagas (MDB) recebeu o autógrafo da mais recente obra do escritor que trata da biografia do ex-governador Leandro Maciel. Na oportunidade dialogaram sobre o momento político nacional. Belivaldo visitou Ibarê na companhia do ex-deputado Jorge Araujo.

Com as águas de março

Março chegou e com ele a abertura da janela partidária. No período de 7 de março até 7 de abril deputados estaduais e deputados federais poderão trocar de partido sem a perda de mandato, mediante artigo 22-A, III da Lei 9.096/1995 (Lei dos Partidos).
Neste período, o deputado que tem mandato pode mudar de legenda sem sofrer as sanções de infidelidade impostas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Em Sergipe, essa janela partidária não deverá ser usada por nenhum deputado federal. No ano passado, foi muito especulado que o deputado federal André Moura poderia deixar o PSC para ingressar no MDB e que em razão disso o deputado federal Fábio Reis (MDB) poderia deixar o partido, junto com o governador Jackson Barreto (MDB) e outras lideranças do partido, para se filiar ao Podemos.
Essas especulações acabaram e tudo caminha para que os oito deputados e os três senadores permaneçam nos seus partidos.

Na Assembleia Legislativa pode haver troca-troca de partido.  Alguns deputados do MDB podem deixar a legenda se for imposta a formação de "chapinhas" na coligação proporcional da chapa governista.  Um deles pode ser o deputado federal Garibalde Mendonça. Os deputados querem o chapão.
O deputado estadual Augusto Bezerra, que pensava em deixar o PHS após ter perdido o comando do partido para o ex-prefeito Sukita, pode permanecer na legenda se a pegar de volta.
Já o deputado estadual Capitão Samuel pode deixar o PSL para disputar a reeleição e o deputado Gustinho Ribeiro pode sair do PRP por almejar voo mais alto nas eleições de 2018: disputar mandato de deputado federal.
Vale ressaltar que a janela partidária não é para vereadores que iniciaram o segundo ano de seus mandatos. Se algum desejar concorrer a uma cadeira na Assembleia Legislativa ou Câmara dos Deputados terá que concorrer pelos seus partidos. Janela para eles somente a de 2020.

A data 7 de abril também é o limite para filiação partidária. Na Assembleia, apenas o deputado Gilmar Carvalho está sem partido. Ele estuda a possibilidade de se filiar ao PRB ou ao PSC, mas já está com um pé dentro do partido comandado em Sergipe pelo deputado federal André Moura.
Tem nomes fortes para concorrer às eleições deste ano, que ainda estão sem filiação. É o caso do diretor-presidente do DER, Adailton Martins; do genro do secretário Almeida Lima (Saúde), o Breno Silveira; do filho do secretário Benedito Figueiredo (Governo), Alexandre Figueiredo. Eles são pré-candidatos a deputado estadual e ainda não fecharam filiação. Breno pode ir para o PHS.

Caso o pré-candidato a governador Belivaldo Chagas faça a opção de disputar o governo pelo PSD visando atender a um convite do deputado federal Fábio Mitidieri e, consequentemente, facilitar os entendimentos políticos da formação da chapa majoritária, ele também terá até 7 de abril para trocar o MDB pelo PSD.
Essa data também será a data limite para o governador Jackson Barreto deixar o governo se desejar concorrer ao Senado. Assim como para pessoas que estão com cargos públicos e pretendem disputar às eleições deste ano, como é o caso dos secretários Zezinho Sobral (Inclusão Social), Fábio Henrique (Turismo) e Esmeraldo Leal (Agricultura).  
Trocando em miúdos, o período que vai do dia 7 de março a 7 de abril de 2018 será decisivo para partidos e os que serão atores no pleito deste ano.

Provocando dúvidas
Com a pressão de familiares para que o governador Jackson Barreto (MDB) permaneça no governo, como noticiou o jornalista Gilvan Manoel na coluna do domingo no Jornal do Dia, a grande expectativa agora é se JB deixará ou não o governo até 7 de abril. O que era uma certeza, agora é uma dúvida para muitos.

Entendimento
de FR1

O deputado federal Fábio Reis (MDB), em conversa com a coluna, disse não ter dúvidas que Jackson será candidato a senador. "Ontem [terça-feira] acompanhei o governador em Brasília junto aos ministérios e não vi, em momento algum, nenhuma dúvida nem desânimo quanto a sua saída do governo para disputar o Senado. Ao contrário, trabalha de forma intensa, inaugurando o maior número de obras possíveis, antes da sua saída".

Entendimento
de FR 2

Disse ainda Fábio: "Jackson tem plena consciência de que é imprescindível que seja candidato a senador para assegurar a vitória do grupo nas eleições 2018. A candidatura de Jackson ao Senado é um caminho sem volta, fato consumado e irreversível".

Entendimento
de FM 1

Em conversa ontem com a coluna, o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) também disse que acredita que Jackson deixará o governo e será candidato a Senador. "Ele tem o direito de pensar, decidir se vai querer ou não deixar o governo. Almocei com ele ontem [terça-feira, em Brasília] e a sensação que tenho é que é candidato", afirmou.

Entendimento
de FM 2

De Fábio, ao ser questionado sobre a pressão de irmãos, primos e sobrinhos para que permaneça no governo: "Tem pressão dos dois lados: do grupo e da família, mas a decisão é dele. Defendo que seja candidato por ser líder do agrupamento, ser nosso governador e com grande história política. É justo que encerre a carreira como senador. Entendo que é um direito dele decidir e estou aqui para apoiar".

Entendimento
de FM 3

Para Mitidieri, a composição da capa majoritária não será decidida tão cedo. "Primeiro vai se esperar a decisão do governador, a janela partidária, o prazo de filiação e o julgamento dos deputados que estão para ser julgados para ver quem é candidato e quem não é. Qualquer discussão agora é inócua. As definições serão mais na frente", avalia.     

Expectativa
Revela o deputado que continua aguardando a filiação de Belivaldo Chagas ao PSD e que está tranquilo com relação à composição da chapa majoritária governista. "Se Belivaldo não vier para o PSD, o partido tem bons nomes para a majoritária. Tem o meu e o dos deputados Luiz Mitidieri e Jeferson Andrade", afirma.

Na volta de Brasília
O governador Jackson Barreto visitou ontem as obras de construção da Unidade de Medidas Socioeducativas localizada no conjunto Marcos Freire I, em Nossa Senhora do Socorro. "Se cada governador do estado tivesse essa oportunidade de olhar para essas Unidades Socioeducativas, tenho a certeza que conseguiríamos recuperar um enorme número de jovens da criminalidade", afirmou.

No prazo
estabelecido

Em conversa ontem com a coluna, o deputado federal Valadares Filho (PSB) reafirmou que até o final de março ou abril o seu partido tomará uma posição sobre as eleições. Não descarta candidatura própria ao governo.

Disposto para majoritário
De Valadares Filho ao ser questionado se pode mesmo disputar mandato de governador, com o senador Valadares (PSB) concorrendo a reeleição: "Penso que todo homem público tem de está preparado para novas missões. Me sinto pronto para qualquer missão que o partido venha a me confiar".

Manifestação petista
Na próxima segunda-feira a tendência Articulação de Esquerda, do PT, realiza ato público em defesa de candidatura própria do partido ao Governo de Sergipe. Será a partir das 18, na sede da legenda, quando será colocado o nome do professor Dudu para o governo e do professor Joel Almeida para o Senado.  

Defendendo a tese
Segundo Dudu, o PT só tem a ganhar com candidaturas majoritárias próprias. "Primeiro, porque há chances de vitória. Segundo, porque agregará a base do partido. Terceiro porque demarcará campo com os golpistas assumidos e com os que fazem jogo duplo, como é o caso do PMDB de Jackson Barreto. Quarto porque Sergipe terá uma candidatura majoritária conectada com a campanha de Lula à presidência", afirma, enfatizando que a Articulação de Esquerda busca dialogar não somente com a militância do PT, mas com os movimentos sociais, sindicais, estudantis, culturais e de juventude.

Será?
Chegou a coluna, já à noite, perto do seu fechamento, a informação de que já foi reservado para o próximo dia 20 de março um espaço em Aracaju em que o governador Jackson Barreto se reunirá com as lideranças políticas e transmitirá o cargo para o vice Belivaldo Chagas. Vamos aguardar. Dia 20 é depois do dia 17, aniversário de Aracaju.

Veja essa...
De uma liderança da base do governo sobre a sucessão estadual e as indefinições: "Todo mundo conversa com todo mundo. O senador Valadares não está isolado, nem morto. O senador tem muitas vidas".

Curtas
O Governo do Estado deve lançar o edital para realização do concurso público para policia militar, bombeiro, agente penitenciário e delegado até o próximo dia 16 de março.

O deputado federal André Moura informou ontem que os municípios de Areia Branca, Barra dos Coqueiros, Carira, Estância, Indiaroba, Itaporanga D'Ajuda, Monte Alegre, Nossa Senhora das Dores e Ribeirópolis serão os primeiros a receberem ambulâncias do SAMU.

Disse que a notícia foi dada na tarde de ontem pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, que atendeu ao seu pedido protocolado por ele ainda em dezembro de 2017 a pedido do secretário Almeida Lima. Enfatizou André que entrega das viaturas do Samu será feita em quatro etapas e que a primeira acontecerá nessa sexta-feira.

Ontem, Dia Mundial das Doenças Raras, o deputado federal Adelson Barreto (PR) usou a tribuna da Câmara para cobrar do Governo Federal medidas que assegurem os direitos de pacientes com esse tipo doença. Na ocasião, o parlamentar solicitou medidas para acelerar o diagnóstico e melhorar o prognóstico de quem depende de tratamento.