O impasse vai continuar

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Com o fim da licença médica, o senador Valadares visitou ontem os municípios de Propriá e Neópolis para discutir com os prefeitos Iokanaan Santana (PSB) e Luizinho (PR) a destinação de emendas individuais para o Orçamento da União, cujo prazo encerra no p
Com o fim da licença médica, o senador Valadares visitou ontem os municípios de Propriá e Neópolis para discutir com os prefeitos Iokanaan Santana (PSB) e Luizinho (PR) a destinação de emendas individuais para o Orçamento da União, cujo prazo encerra no p

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 24/02/2018 às 00:51:00

Com o fim da licença médica, o senador Valadares visitou ontem os municípios de Propriá e Neópolis para discutir com os prefeitos Iokanaan Santana (PSB) e Luizinho (PR) a destinação de emendas individuais para o Orçamento da União, cujo prazo encerra no próximo dia 28. Em Neópolis, o senador visitou a primeira unidade de inclusão produtiva de Corte e Costura que foi implementada através de emenda individual de sua autoria junto à Codevasf.
Valadares encerra a licença para tratamento de saúde, mas só retorna ao Senado no dia 23 de março, permanecendo no cargo o suplente Elber Batalha (PSB). Começa agora licença para interesse particular.

O impasse vai continuar

Desde ontem que o deputado federal André Moura (PSC e o senador Eduar-do Amorim (PSDB) estão se reunindo com lideranças políticas e discutindo sobre as candidaturas dos dois nas eleições deste ano e possibilidade de composição. As conversas prosseguem por todo o final de semana.

A conversa é em torno de quem vai disputar o que e a possibilidade de composição da chapa majoritária. Eduardo Amorim quer concorrer ao governo, tendo como companheiro de chapa o deputado federal Valadares Filho (PSB). Ele defende que na chapa estejam na disputa para o Senado André Moura e o senador Antônio Carlos Valadares (PSB).
No entendimento do tucano, a sua candidatura se fortalece em Aracaju com Valadares Filho sendo seu vice. Isso porque o deputado sempre foi muito bem votado em Aracaju, não só para a Câmara Federal como para prefeito de Aracaju. Ainda na sua concepção, o senador Valadares na majoritária, junto com André, fortalecerá muito a chapa da oposição.  

André quer concorrer ao Senado e não ver problema em Eduardo ser candidato a governador tendo como vice Valadares Filho. Ele só não deseja Valadares como companheiro de chapa, por não querer correr qualquer risco de perder a eleição e ficar sem mandato.

Valadares é um político que não se pode subestimar, já concorreu a todos os cargos na vida pública e atualmente lidera as pesquisas para as eleições deste ano. E pela base governista, tem o nome forte do governador Jackson Barreto (MDB), que mesmo com um desgaste de governo pela crise econômica, não se pode subestimar, sabe fazer política como ninguém e o único cargo público que não ocupou eleito pelo povo foi o de Senador.   
Há um entendimento que nas eleições deste ano nem a oposição nem a situação deverá eleger os dois senadores, como ocorreu em 2010, quando o povo sergipano elegeu Marcelo Déda governador e os dois senadores da sua coligação: Eduardo Amorim e Valadares. Esse feito ocorreu também em 1994, quando foram eleitos os dois senadores da mesma coligação: Valadares e José Eduardo Dutra.

Diante desta realidade política, uma chapa da oposição com o agrupamento político de André e Eduardo, e de Valadares, caminha para não ocorrer. A unidade dessas lideranças somente com Valadares ou André aceitando disputando a Câmara dos Deputados.
André Moura até tinha essa pretensão inicial de concorrer à reeleição, mas hoje, como líder do governo no Congresso, o mandato de deputado federal ficou pequeno para ele. Além disso, seus aliados querem que dispute um mandato majoritário.

Valadares, por já ser senador e liderar pesquisas de intenções de votos, se ver no direito legítimo de disputar a reeleição e, a exemplo de André, não o quer como companheiro de chapa por temer um desgaste político. Também é um entendimento do PSB local e nacional, assim como dos aliados em Sergipe, que o senador vá para a reeleição.
Em razão dessa realidade, apesar das várias conversas, a chapa da oposição só deve ser formada lá para abril como deseja o PSB. E o martelo de unidade da oposição só será batido com Valadares ou André recuando a pretensão de candidatura majoritária e disputando a Câmara dos Deputados. Caso contrário, cada um vai para o seu lado.

Reuniões
setorizadas 1

O senador Eduardo Amorim (PSC) e o deputado federal André Moura (PSC) tomaram café da manhã ontem. Depois se reuniram com lideranças do PPS e da oposição em São Cristovão para discutir as eleições. Os dois cancelaram agenda à tarde para ir a Lagarto participar da inauguração de uma grande escola pelo prefeito aliado Valmir Monteiro (PSC).

Reuniões
setorizadas 2

Hoje a reunião com aliados prossegue e amanhã acontece em São Cristovão, quando vão se encontrar na casa do ex-prefeito Isaias com as lideranças do município e depois seguir para o cortejo da procissão de Nosso Senhor dos Passos.
A espera de uma definição 1
O presidente estadual do PPS, Clóvis Silveira, avaliou como boa a conversa do Diretório Estadual, presidentes dos Diretórios Municipais e vereadores  com André e Eduardo. Disse à coluna que a pretensão do seu partido é fechar com a oposição, mas quer primeiro que aja uma definição de quem será o candidato a governador. "O PPS só pode se pronunciar sabendo quem são os candidatos majoritários e a sua participação na aliança", afirmou, ressaltando a grande representatividade da legenda no estado.

A espera de uma definição 2
Segundo o presidente do PPS, Eduardo e André garantiram que em 15 dias eles já terão definido a formação da chapa majoritária. Enfatiza que é pensamento da legenda pleitear a vice na chapa.  

PPS e PROS
Pode está com o agrupamento de Eduardo e André nas eleições deste ano não somente o PPS, mas, também, o PROS. O ex-deputado federal Bosco Costa, presidente do partido em Sergipe, inclusive, participou ontem da reunião do Diretório Estadual do PPS com os dois líderes da oposição.

Nova especulação

A coluna recebeu ontem a informação de que se o PSB não compor com o agrupamento político de André Moura e Eduardo Amorim, o caminho pode ser uma composição com o pré-candidato a governador do DEM, ex-deputado federal Mendonça Prado.  Mendonça para governador, Valadares para o Senado e Valadares Filho para reeleição de deputado federal.

Descartando
a especulação

Em conversa ontem com a coluna, uma liderança do PSB descartou essa possibilidade. "Chance zero do PSB ir para a eleição com uma cabeça de chapa do DEM. Se o partido não conseguir a unidade da oposição, vai com candidatura própria ao governo e buscará apoio dos outros", assegura.

3ª via
Segundo a liderança, o nome para o governo pode ser do senador Valadares ou do deputado Valadares Filho. Enfatizou que o PSB não abrirá mão da presença de Valadares na chapa majoritária das eleições deste ano.

Fugindo da
polêmica 1

Do senador Valadares ao ser questionado ontem pela coluna sobre as chances de unidade da oposição: "Ainda não posso fazer qualquer prognóstico, uma vez que o PSB só discutirá o tema da sucessão a partir de março ou abril, como ficou definido no ano passado em reunião do partido".

Fugindo da
polêmica 2

Valadares disse ainda que está pensando em ficar distante dos assuntos de chapa majoritária "para não atrapalhar possíveis entendimentos que faremos entre março e abril".

Prestando
esclarecimento

Do senador Valadares sobre nota publicada ontem na coluna de que teria se submetido a uma cirurgia plástica nas pálpebras, ficando rejuvenescido: "Quem lhe deu a informação de que eu teria feito uma cirurgia plástica de pálpebra, nesse período de licença do Senado, é um grande mentiroso, um reles fofoqueiro. Sugiro-lhe, para colocar tudo em pratos limpos, que pergunte ao informante o nome do médico, em que clínica eu fiz tal cirurgia e a data. Garanto-lhe que essas perguntas, movidas talvez pelo despeito ou inveja, ou por interesse meramente político, ficarão sem resposta,  simplesmente porque a informação partiu de alguém que agiu de má-fé só no intuito de me prejudicar. São coisas de Sergipe D'EL Rey!"

Rejeição do próprio partido
O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, é que vem defendendo a candidatura do presidente Michel Temer ao Planalto este ano, após ganhar holofotes depois que o governo anunciou a intervenção na segurança pública do Rio de Janeiro. Fez isso em reunião da Executiva nacional do MDB na quarta-feira passada, mas encontrou resistência do presidente do partido, senador Romero Jucá, que defendeu o nome do ministro Henrique Meirelles (Fazenda) para o Planalto.

Veja essa...
A ex-secretaria municipal de Governo, Marlene Calumby, disse ontem em depoimento no Ministério Público sobre a Operação Caça Fantasma que tudo que fez foi cumprir os atos legais da competência da Secretaria de Governo, determinados pelo então prefeito, o irmão João Alves Filho (DEM), com relação as nomeações de comissionados com altos salários sem trabalhar.

Curtas
Na última quarta-feira almoçaram em Brasília os senadores Eduardo Amorim e Valadares, e o deputado Valadares Filho. No cardápio a formação da chapa majoritária da oposição.

A presidência do PHS em Sergipe deve voltar para o comando do deputado estadual Augusto Bezerra, não ficando com o pré-candidato a deputado estadual Breno Silveira.

O ex-prefeito Sukita (Capela) perdeu o comando do PHS em Sergipe depois que Eduardo Machado foi tirado do partido, que hoje está sendo presidido pelo vice-líder de André Moura, o deputado federal Marcelo Aro.

No site do TSE e do TRE, com data ainda de 31 de dezembro, permanece como presidente do PHS Laide Daiana, colocada no cargo por Augusto Bezerra. Ou seja, não chegou a constar o nome de Sukita como dirigente da legenda. Ele foi presidente só de boca.

A nata da política e de empresários prestigiou ontem o lançamento do primeiro outlet urbano do Brasil: o Outlet City Aracaju, do Grupo Celi, que será localizado próximo ao centro administrativo de Aracaju. Foi às 18h, no Quality Hotel.