Situação caminha para entendimento

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 01/02/2018 às 06:13:00

Neste começo de fevereiro a base aliada do governador Jackson Barreto (PMDB) caminha para um entendimento político na formação da chapa majoritária, onde já existe um consenso que o pré-candidato a governador é Belivaldo Chagas (MDB) e uma vaga do Senado é do governador Jackson Barreto (MDB).

O PRB, que reivindicava a segunda vaga de senador para o ex-deputado federal Heleno Silva junto com o PT para o ex-deputado federal Rogério Carvalho, já aceita indicar o vice de Belivaldo, conforme informou na terça-feira à coluna o próprio Heleno.

Segundo Heleno, o pré-candidato a vice-governador seria o deputado federal Jony Marcos. E ele abriria mão de disputar o Senado para concorrer a Câmara dos Deputados.

Com isso, as duas vagas para o Senado estariam fechadas com Jackson e Rogério Carvalho.

Para não ter problema com a indicação do candidato a vice, pleiteada pelo PSD, Belivaldo deixaria o MDB e se filiaria à legenda, conforme convite já feito pelo deputado federal Fábio Mitidieri.

O PSD tinha colocado os nomes dos deputados estaduais Luiz Mitidieri e Jeferson Andrade para vice. Mas o próprio Fábio já declarou que o partido estaria contemplado na majoritária com Belivaldo se filiando a legenda.

Belivaldo Chagas (PSD-governador), Jony Marcos (PRB-vice), Jackson Barreto (MDB-senador) e Rogério Carvalho (PT-senador) pode ser a chapa consensuada da base governista nas eleições 2018.

Havendo algum impedimento judicial da candidatura de Rogério Carvalho, o PT indiciaria um outro nome, que pode ser o da vice-prefeita Eliane Aquino. Eliane poderia ser candidata a vice ou ao Senado.

No caso de um entendimento de que Eliane somaria mais como vice, Jony Marcos ou o próprio Heleno Silva, se também não tiver algum problema judicial, poderia disputar o Senado. E quem não concorresse ao Senado, iria para federal.

Já na oposição, o mês de fevereiro começa sem nenhuma definição de candidaturas. Ainda não se sabe se o pré-candidato a governador será Eduardo Amorim (PSDB) ou o deputado federal André Moura (PSC). Só uma coisa é certa: o candidato não será o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) com o apoio dos dois.

 A tendência é que Eduardo Amorim seja o pré-candidato a governador, com André decidindo se disputará o Senado ou a reeleição. E que tudo será feito para que o pré-candidato a vice-governador seja o deputado federal Valadares Filho (PSB).

Agora é aguardar o carnaval passar para o avanço ou consolidação das alianças e formação da chapa majoritária, que deve ocorrer com as águas de março.

.............................................................................................................

A preferência 1

 Alguns aliados do governador Jackson Barreto (MDB) avaliam que Eliane Aquino (PT), viúva de Marcelo Déda e vice-prefeita de Aracaju, seria o melhor nome para vice de Belivaldo Chagas pelo apoio popular que tem. Mas ai tem o problema do ex-deputado federal Rogério Carvalho (PT), que não deve abrir mão de disputar o Senado, a menos que tenha impedimento político.

A preferência 2

Um outro nome defendido por aliados, no caso de Eliane não ser a vice, é o do presidente da Assembleia Legislativa, Luciano Bispo (MDB). Não só pela habilidade política de Luciano com seus pares e a classe política, mas, também, pela sua liderança em Itabaiana e na região do agreste. 

Com Alckmin 1

O senador Eduardo Amorim (PSDB) continua trabalhando seu nome para o governo do Estado. Anteontem esteve com o governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), no Palácio dos Bandeirantes. Discutiram a atual conjuntura do País, fizeram uma avaliação das eleições deste ano e trocaram experiências sobre gestão pública.

Com Alckmin 2

O encontro, à tarde, se estendeu para um jantar. Na oportunidade, o governador de São Paulo reafirmou apoio a Eduardo para qualquer candidatura majoritária. Ressaltou que a sua preferência é a de que o tucano sergipano seja candidato a governador. “Ele pode fazer mais por Sergipe. É a hora dele encarar o desafio de colocar Sergipe nos trilhos novamente”, garantiu Alckmin.

Com Alckmin 3

Participaram do encontro de Eduardo com Alckmin o tesoureiro Estadual do PSDB, Walter Soares, e o líder de Articulação da Juventude do PSDB no Congresso Nacional, Herbert Pimenta.

Exoneração na PMA 1

Carlos Cauê foi exonerado ontem do cargo de secretário municipal de Governo pelo prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB). Ele deixou o cargo para trabalhar na campanha eleitoral do pré-candidato a governador Belivaldo Chagas (MDB). Interinamente responderá pela pasta o chefe de gabinete do prefeito, Renato Teles.

 

Exoneração na PMA 2

Com a saída de Cauê, o prefeito dá início ao processo de consulta aos secretários que serão candidatos no pleito deste ano ou que atuarão de maneira direta em campanhas eleitorais, sejam elas majoritárias ou proporcionais. O prazo final para estas definições, segundo estabelecido por Edvaldo, é 31 de março.

Exoneração na PMA 3

Entre os que devem deixar a administração municipal Silvio Santos, que é   presidente da Funcaju, e Alexandre Figueiredo, que é secretário-chefe da Controladoria-Geral do Município. Silvio é pré-candidato a deputado estadual e Alexandre pré-candidato a deputado federal.

Viabilizando candidatura

O secretário Benedito Figueiredo (Governo) continua trabalhando o nome do seu filho Alexandre Figueiredo como pré-candidato à Câmara Federal. No último domingo, ao lado do vice-governador Belivaldo Chagas, tomaram café da manhã oferecido pelo ex-vereador de São Cristovão, Betão do Povo.

A parceria continua 1

O deputado federal André Moura (PSC) voltará hoje a participar de mais uma solenidade da Prefeitura de Aracaju para assinatura de convênios no valor de R$ 140 milhões para execução do Plano de Mobilidade Urbana de Aracaju.  Estará acompanhado do ministro Alexandre Baldy (Cidades), que também visitará obras em andamento na capital.

A parceria continua 2

André e o ministro vão chegar a Aracaju no início desta tarde, na companhia do deputado federal Fábio Reis (PMDB), do deputado estadual Zezinho Guimarães (PMDB) e do representante do governo sergipano em Brasília, Heleno Silva. “Será um momento ímpar para Aracaju, pois hoje um dos maiores problemas da nossa cidade é de mobilidade, especialmente no tocante ao trânsito”, salientou André, que interviu junto ao governo Temer para liberação dos recursos.

A parceria continua 3

A solenidade de assinatura do convênio para o Plano de Mobilidade Urbana de Aracaju será às 18h30, no Hotel Radisson, na Orla da Atalaia. Antes André, Edvaldo e Alexandre visitarão obras nos bairros 17 de Março e Coqueiral.

Agora é Xodó 1

A partir de hoje a Ilha FM passa a ser Xodó FM. A programação da Ilha mudará totalmente até 02 de março, quando se integrará ao padrão Xodó, com o jornalismo a ser apresentado em rede das 12h às 14h30, com os mesmos ancoras da emissora (Xodó).

 

Agora é Xodó 2

Já ontem a Xodó FM saiu com um vídeo nas redes sociais dizendo que a Ilha FM agora é Xodó FM. A transação ocorreu no final do ano passado, quando o ex-poderoso empresário de comunicação Edivan Amorim vendeu as quatro emissoras da Ilha (Aracaju, Própria, Estância e Tobias Barreto) para o dono da Itapé Turismo e Localayne Transportes, Nelson Nascimento. Todos os funcionários da Rede Ilha terminaram de cumprir ontem o aviso prévio.

Agora é Xodó 3

Com a compra da Rede Ilha, a Xodó passa a dispor de seis FMs com as duas que dispõe em Nossa Senhora do Socorro e Nossa Senhora da Glória. A coluna tem informações de que mais duas novas emissoras serão adquiridas ainda este ano pelo empresário Nelson, sendo uma em Itabaianinha e outra em Cristinápolis. Com isso, a Xodó FM será uma grande rede de rádio com oito FMs.

No Senado

Para tentar minimizar os impactos que os feriados provocam na economia, a Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) vai debater em audiência pública um projeto do senador Dário Berger (PMDB-SC) que antecipa para a segunda-feira as datas comemorativas que caírem no meio da semana (PLS 389/2016). O objetivo é evitar os chamados enforcamentos, quando os feriados caem no meio de semana e os dias de folga são emendados com dias úteis. O relatório do senador Hélio José (PROS-DF) preserva algumas datas, como o Carnaval, a Sexta-feira Santa, o Dia da Independência e o Natal.

 

Veja essa...

Do presidente Michel Temer (MDB) em entrevista a rádio Metrópole, de Salvador, sobre a sua baixa popularidade e a alta rejeição ao seu governo: “Às vezes, as pessoas não vão com a minha cara. Dizem ‘não vou com a cara desse Temer’. Não tem problema. O problema é analisar de maneira fria o que está sendo feito no meu governo. Pegamos uma recessão medonha”.

 

CURTAS

 

As atividades no Tribunal de Contas do Estado serão retomadas hoje, já com a realização da primeira sessão do Pleno do ano 2018 e tendo como presidente o conselheiro Ulices Andrade. Na pauta, 20 processos para análise do colegiado, em sua maioria contas anuais de Prefeituras e Câmaras Municipais.

 

 

Constam na pauta contas anuais das prefeituras de Malhador (exercício 2014), Graccho Cardoso (2014), Lagarto (2013) e São Domingos (2013), bem como da Câmara Municipal de Feira Nova (2014).

 

O líder do governo no Congresso, André Moura, esteve ontem com o presidente da Conab, Francisco Marcelo Rodrigues Bezerra, tratando da liberação de verbas para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) em Sergipe. Participou da reunião o deputado estadual Zezinho Guimarães.

 

O MDB foi o partido aliado que mais votou contra o presidente Michel Temer no Senado. Já o DEM foi o que mais votou a favor do governo.

 

 

Foto legenda 

A primeira pesquisa realizada após a condenação do ex-presidente Lula pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) mostra que ele ainda lidera todas as simulações na disputa presidencial. Segundo o Datafolha, o petista aparece na primeira colocação, com percentual que varia de 34% a 37%. Quando Lula, que está ameaçado pela Lei da Ficha Limpa, é excluído do levantamento, quem lidera é o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), com 18% das intenções de voto.

Atrás de Bolsonaro vêm Marina Silva (Rede), com 13%, Ciro Gomes (PDT), com 10%, Geraldo Alckmin (PSDB) e Luciano Huck (sem partido), ambos com 8%. A pesquisa indica que Bolsonaro parou de crescer e oscilou negativamente em todos os cenários apresentados em comparação com a pesquisa anterior, feita em novembro. (Com Congresso em Foco)