Atirando para tudo o que é lado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 20/12/2017 às 06:21:00

Na entrevista que concedeu ontem à imprensa para oficializar que assumiu o comando do DEM em Sergipe, o ex-deputado federal Mendonça Prado disparou sua metralhadora contra o governador Jackson Barreto (PMDB); os irmãos Amorim: o senador Eduardo e o empresário Edivan; e o deputado federal André Moura (PSC).

Mendonça criticou a gestão de Jackson Barreto na área de Segurança Pública, onde chegou a ser secretário. Disse que ninguém faz política sem ter um governante dando recursos para trabalhar, que não prestigia o secretário, a polícia. Destacou que o ex-secretário João Batista e o atual João Eloy são grandes nomes da polícia, mas não se faz segurança com 16 litros de combustível para trabalhar, pagando salário atrasado de policiais, sem ter penitenciária para colocar os presos, e com delegacias e quartéis desabando na cabeça dos policiais.

Destacou que falta prioridade governamental, uma vez que JB priorizou outros temas como fazer estradas e obras de monumento em frente ao Museu da Gente Sergipana. “Seu governo priorizou outras coisas e hoje  paga caro com aumento de violência. Tinha que fazer penitenciária, mas não dá voto, assim como cemitério. Se preciso for pare de construir estradas, de construir obra em frente ao museu. Se não tem dinheiro diminua o numero de secretarias, pois vamos perder nossos jovens para as drogas. Para que ter Secretarias de Esporte, de Cultura e de Educação? Faria uma só. Tem Secretaria de Turismo e de Indústria. Para que essas duas? Tem de diminuir os cargos comissionados. Se fizer isso vai sobrar dinheiro. Tinha que priorizar o que tem de priorizar”, alfinetou.

Declarou ainda Mendonça: “O governo é inerte, está ruim. Não tá ruim porque tem crise, mas porque não tem iniciativa e coragem para fazer o que é necessário. Tem de diminuir secretarias. Jackson tem o coração grande e quer deixar todo o povo nas secretarias. Demita, tenha coragem. Se não fizer isso vai prejudicar dois milhões de habitantes, pois chegamos em um momento muito difícil”.

Com relação aos irmãos Amorim, Prado afirmou: “Onde eles chegam dão problema.  Eles foram para o PSDB, estourou a bomba com Machado [José Carlos] no PSDB. Onde Amorim está desgraça tudo.  Não sei que diacho tem com esses Amorim, que onde chegam desgraçam tudo. Se chegarem perto de empresários, o empresário quebra [Lauro Menezes]. Se é para construir um hospital [Hospital do Câncer], o hospital não sai da planta. Se uma pessoa for para o partido dele entra em uma situação difícil. Se o cidadão se tornar prefeito e for para uma chapa com Amorim, a administração acaba sendo desastrosa, como foi essa administração de João Alves”.

Prosseguiu Mendonça, que em 2014 rompeu politicamente com o então prefeito João Alves Filho (DEM) por ter feito aliança política com Eduardo Amorim na disputa pelo Governo do Estado com Jackson Barreto (PMDB): “Os Amorim são uma praga para o estado de Sergipe. Onde chegam destroem tudo, acabam com reputações, desconstroem imagens. Tá comprovado. É história que estou mencionando. Imagine se chegarem ao poder, acabam com o estado de Sergipe. O que disse no passado eu estava correto, eu estava certo. A historia mostrou isso não apenas na vida pública, mas na privada de muitas pessoas que foram destruídas porque esses Amorim são uma peste em termos de doença braba”.

Alfinetou ainda: “Onde os Amorim chegam acabam e quem tiver perto será destruído. Essa é uma realidade. Tem gente que tem uma energia ruim péssima, chega e desgraça tudo.  É como se fossem um vírus de uma doença braba. Eles tem de estar distantes de tudo. Nós temos que fazer um trabalho de profilaxia, imunização para retirar de vez qualquer vírus, qualquer bactéria, qualquer coisa que persista ainda nas proximidades do DEM para que não seja afetado por essa doença maligna da política sergipana, que se chama os Amorim”.

A crítica indireta a André Moura foi relacionada a sua declaração de que “bandido bom é bandido morto”. Disse Mendonça: “Não vou fazer discurso de certos políticos que bandido bom é bandido morto, senão tinha muito político morto. Foi a classe política quem deixou o povo sem condições de estudar, que desviou o dinheiro público, não permitiu que o povo tivesse emprego, que desviou recursos deixando o povo sem lazer e infraestrutura nos bairros. O cara é criminoso não porque quer, mas porque a vida levou ele a ser criminoso, porque o estado não deu escola e não deu condições para viver com dignidade, lazer, oportunidade de trabalho e educação”.

Mendonça não foi muito feliz em assumir a presidência do DEM em Sergipe atirando para tudo o que é lado. Devia se atentar apenas a seu novo projeto de comandar o Democratas e ser pré-candidato a governador. Até porque, no que diz respeito ao governo Jackson Barreto, não é ético cuspir no prato que comeu.

................................................................................................................ 

Satisfação de voltar para casa

O ex-deputado federal Mendonça Prado disse ontem que ficou lisonjeado com o convite para presidir o DEM, partido que nunca se desfiliou, como a coluna noticiou ontem com exclusividade.  Destacou a perspectiva de reunir todos os que participam e participaram do grupo para disputar o Governo do Estado em 2018.

 

Próximos passos 1

Ressaltou que como novo presidente do Democratas vai dialogar com os dois vereadores do partido – Juvêncio Oliveira e Vinícius Porto -, os seis prefeitos, com os diretórios e filiados. “Vou falar da nova fase do DEM. Vamos colocar o Democratas para retomar aquele animo e alegria que tínhamos no passado. DEM forte, robusto, capaz de apresentar candidatura própria e vencer as eleições. É isso que queremos”.

 

Próximos passos 2

Segundo Mendonça, em fevereiro do próximo ano ele pretende fazer uma filiação em massa ao DEM. “Vamos ver os filiados que vão querer participar das chapas proporcionais, vamos reativar diversos diretórios e onde não tiver vamos constituir. Os que não corresponderem as expectativas vamos fazer alterações. Vamos montar chapa proporcional para federal e estadual. O DEM vai reagir, voltar a ser forte, competitivo e animado”.

 

Medidas para conter a crise

O vice-governador Belivaldo Chagas (PMDB) se reuniu ontem com os secretários para discutir ações que visam contenções de despesas nesse momento de crise econômica e de grande dificuldade até para pagamento da folha de pessoal e vencimento dos aposentados e pensionistas do Estado. Pode ocorrer até diminuição do número de cargos comissionados.

 

Convenção do PMDB

O governador Jackson Barreto participou ontem, em Brasília, da Convenção Nacional Extraordinária do PMDB. No ato político, que contou com a presença surpresa do presidente Michel Temer, os delegados do partido aprovaram a troca de nome da sigla para MDB (Movimento Democrático Brasileiro). Por 325 votos a 88, a mudança foi aprovada. Foi aprovada também a regularização do estatuto do partido, para que a legenda receba os recursos do recém-criado fundo eleitoral.

 

 Denúncia ao BC 1

O senador Eduardo Amorim (PSDB) e o deputado federal André Moura (PSC) acompanharam ontem os prefeitos na visita ao presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, para denunciar a retenção de valores devidos aos Municípios no repasse constitucional dos 25% do ICMS por parte do Governo de Sergipe, através do Banese.  Goldfajn comprometeu-se a convocar a direção do banco para prestar os devidos esclarecimentos e, a partir daí, tomar as medidas cabíveis ao caso.

 

Denúncia ao BC 2

Segundo o presidente da Fames, Marcos Acauã, o valor retido este ano é em torno de R$ 60 milhões, mas existe a possibilidade desse valor chegar a R$ 100 milhões.  O Governo do Estado reconhece que deixou de repassar para os municípios cerca de R$ 30 milhões do que foi arrecadado com 25% do ICMS.

 

Mais tempo de TV  1

O Podemos, que em Sergipe está sob o comando do secretário Zezinho Sobral (Inclusão Social), vai protocolar ação no Supremo Tribunal Federal pedindo mais tempo de TV no programa eleitoral de 2018. Nas contas da direção nacional do partido, hoje o senador Álvaro Dias só terá dois minutos na televisão para conquistar o voto do eleitor para presidente da República.

 

Mais tempo de TV 2

O partido quer que a distribuição do tempo de propaganda eleitoral seja proporcional ao tamanho da bancada no Congresso Nacional. Isso porque o PTN, que passou a ser Podemos, elegeu apenas quaro deputados federais e hoje a legenda tem 16 parlamentares na Câmara.

 

Subvenções da Assembleia 1

O deputado estadual Augusto Bezerra (PHS) já acionou sua assessoria jurídica e vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) da decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/SE) que ontem cassou o seu mandato no processo de 2014 envolvendo alguns deputados e o uso de verbas de subvenção na Assembleia Legislativa. Augusto permanece deputado e acredita que provará sua inocência no julgamento do TSE.

 

Subvenções da Assembleia 2

“O direito é bom. Não houve crime eleitoral. Eu já tive as minhas contas da campanha de 2014 aprovadas, em Brasília, pelo TSE. Estou recorrendo dentro do mandato. Permaneço deputado trabalhando por Sergipe no mandato legitimado nas urnas. Não tem novidade alguma. É o mesmo processo movido pelo Ministério Público”, afirmou o deputado. 

 

Veja essa...

A coluna recebeu a informação de que na segunda-feira passada o governador Jackson Barreto (PMDB) esteve com o presidente Michel Temer na companhia dos deputados federais André Moura (PSC), líder do governo no Congresso, e Fábio Reis (PMDB), para tratar da liberação do financiamento do Finisa junto a Caixa Econômica, na ordem de R$ 560 milhões, para recuperação das rodovias estaduais. E ouviu do presidente que a liberação só deve ocorrer em fevereiro junto com a votação da reforma da previdência.

 

 

CURTAS

 

Os vereadores aprovaram ontem o Orçamento da Prefeitura de Aracaju do exercício de 2018, fixado em R$ 2,3 bilhões. A grande maioria das 38 emendas apresentada foi rejeitada.

 

Eles aprovaram também vários outros projetos, dentre eles o de autoria do vereador Vinícius Porto (DEM) que proíbe a comercialização de carne previamente triturada. O PL obriga que os estabelecimentos possuam um moedor e que o processo de moagem somente seja feito na presença do consumidor, sendo vedada a cobrança de taxas ou acréscimo pelo serviço.

 

Com a aprovação do orçamento 2018 e dos projetos os vereadores entraram em recesso parlamentar do final do ano. Só retomam as atividades em 15 de fevereiro. 

 

O deputado Valadares Filho (PSB) apresentou ontem projeto de lei que visa a unificação da contagem dos prazos processuais. Destaca que, embora já existam normas legais que disciplinam os procedimentos de contagem de prazos processuais, a falta da expressão “dias úteis” tem levado a interpretações divergentes e aplicações diferenciadas nos mais variados âmbitos processuais.

 

 

 

 

 

Foto legenda  

Apenas 14 dos 75 prefeitos de Sergipe compareceram ao Banco Central ontem para denunciar o não repasse legal de 25% do ICMS pelo Governo do Estado para os municípios. São eles: Franklin Freire (Amparo de São Francisco), José Ranulfo (Arauá), Marcell Souza (Campo do Brito), Arodoaldo Chagas (Carira), João Dantas dos Santos (Cristinápolis), Christiano Beltrão (Ilha das Flores), Valmir de Francisquinho (Itabaiana), Valmir Monteiro (Lagarto), Jeferson Santana (Maruim), Iggor Santana (Poço Verde), Antonio Passos (Ribeirópolis), Genivaldo dos Anjos (Santo Amaro das Brotas), Marival Santana (Simão Dias) e Pedro Balbino (Tomar do Geru).

Acompanharam também os prefeitos os deputados estaduais Antônio dos Santos (PSC), Gilmar Carvalho (sem partido) e Georgeo Passos (PTC), que foi o autor da denúncia de irregularidades no repasse do ICMS para os municípios.