Noventa ataca e confirma candidatura

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 17/11/2017 às 06:20:00

Na última terça-feira, 14, como faz diariamente, a coluna entrou em contato com alguns políticos em busca de informações para a edição do dia seguinte, 15 de novembro, Dia da Proclamação da República.  Dois deles falaram da dificuldade de fazer a campanha para 2018, principalmente, pelo fato de uma boa parte da população querer dinheiro e que já ter pré-candidato gastando muito com promoção de festas e vaquejadas no interior.

Coincidentemente, os dois falaram o nome de Valdevan Noventa, presidente do Sindicato dos Motoristas de Ônibus de São Paulo (Sindmotoristas-SP), como quem vem gastando com festas e já em negociação com vereadores na região sul do estado, com ênfase nos municípios de Estância, Itabaianinha e Indiaroba.  Declararam que ele estava trabalhando para ser candidato a deputado federal e que é natural de Estância, mas reside há anos em São Paulo, onde é presidente do Sindmotorista.

Querendo saber mais sobre o Noventa, que não reside em Sergipe, mas vem liderando as pesquisas de intenções de votos na região e já começou a gastar desde agora com patrocínio de festas, a coluna foi consultar o Dr. Google.   E descobriu que ele e um outro líder sindical Isao Hosogi, que disputaram o poder na entidade sindical, têm em comum vários problemas judiciais, como acusações de enriquecimento ilícito, formação de quadrilha e suspeitas de ligação com organizações criminosas, o PCC (Primeiro Comando da Capital).

Foi colocado que os dois chegaram a ser presos e após saírem da cadeia em 2004, Isao Hosogi assumiu a presidência do Sindmotorista e Noventa assumiu uma cooperativa de perueiros em Taboão da Serra, onde se tornou vereador pelo PV e, mais tarde, foi investigado pela Polícia Civil por suspeita de lavar dinheiro do tráfico de Paraisópolis nas lotações da cidade, além de ligação com a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

Com essas informações, a coluna apenas noticiou o que o Dr. Google falava de Valdevan Noventa, nascido José Valdevan de Jesus Santos, publicado em vários jornais e reproduziu uma matéria do jornalista Rodrigo Rodrigues, no Terra. Não emitiu opinião alguma, apenas pediu que a justiça eleitoral acompanhasse o nome Noventa.

A coluna não conseguiu falar com o Noventa e ontem, ele, entrevistado no programa de Gilmar Carvalho, disse que não foi comprovada nenhuma denúncia contra ele e que não responde a nenhum processo. Mas admitiu que há muitos anos concede ajuda a quem o procura em Sergipe, que tem ajudado na realização  de alguns eventos, que pessoas colocam apenas o seu nome  como patrocinador sem que seja, que tem sido convidado para festas, faz corpo a corpo e que será candidato a deputado federal em 2018.  

Indagado porque tem a pretensão de ser candidato a deputado federal por Sergipe e não por São Paulo, disse que vai para a disputa pelo estado a pedido dos amigos, pela necessidade do povo que na região sul não tem liderança e por se sentir bem em Sergipe, onde tem amigos, familiares e se criou na roça. Ressaltou que não haverá incompatibilidade como dirigente sindical de São Paulo, por passar de 2 a 3 dias da semana lá e de 4 a 5 dias cá, como faz um deputado federal e um senador, que trabalha apenas de terça a quinta-feira em Brasília.

Como perguntar não ofende: como um motorista sindicalista de ônibus tem tanto dinheiro para passagens semanais de avião São Paulo/Aracaju e vice-versa e ainda patrocinar festas no interior?  Deve ser porque os motoristas de ônibus de São Paulo devem ganhar quase igual a deputado federal, que tem ainda ajuda de custo para as passagens.

................................................................................................................

 

No ataque...

Diferente da coluna, no programa de Gilmar Carvalho o Valdelvan Noventa acusou a jornalista de está a “serviço” de alguém e de ser “pistoleira intelectual” só por ter prestado informações sobre ele. Já seus paus-mandados usaram as redes sociais de grupos em Estância para criticar a colunista e dizer que será feito um levantamento da sua vida, como se tivesse ficha corrida na polícia.  Como diz o ex-governador Albano Franco (PSDB), Sergipe é pequeno e todo mundo se conhece, sabe quem é quem.

 

...na defesa...

Em tempo, a coluna tem em mãos várias notícias vinculadas a Valdelvan Noventa e que foram publicadas em sites e jornais de grande circulação nacional, como Estadão e Folha de São Paulo. Assim como os números de vários processos na Justiça.

 

A procurar de legenda

Em Sergipe, Valdelvan Noventa tem conversado com alguns partidos para filiação partidária visando a Câmara dos Deputados. Já conversou com o presidente estadual do PDT, Fábio Henrique, e com o PPS, comandado no estado por Clóvis Silveira.

 

Sobre o Senado 1

O governador Jackson Barreto (PMDB) deixou transparecer que pode ser candidato ao Senado em 2018. Foi durante solenidade de entrega de pavimentação em paralelepípedo granítico de 12 vias de São Domingos, na última terça-feira, quando lideranças locais pediram que fosse construída uma rodovia ligando São Domingos a Macambira, conhecida como rodovia da Farinha, e afirmou: “Belivaldo [Chagas], eu deixando o governo e você assumindo, procure colocar nos seus projetos a rodovia”.

 

Sobre o Senado 2

O deputado estadual Venâncio Fonseca (PP), ex-líder da oposição na Assembleia Legislativa e que foi um dos que reivindicou a rodovia, afirmou: “Isso pode ser uma emenda sua como senador”. E o governador retrucou: “Quem sabe?”.

 

Finisa 1

O governador está confiante que a Caixa Econômica Federal assinará dentro em breve o convênio referente ao financiamento de R$ 560 milhões do Finisa, já aprovado pela Assembleia Legislativa, para recuperação das rodovias estaduais. Em São Domingos, JB agradeceu o empenho para a agilidade da assinatura do convênio dos deputados federais André Moura (PSC) e Fábio Reis (PMDB).

 

Finisa 2

Em discurso em São Domingos, Venâncio destacou a forma republicana do governador fazer política. Se referiu ao fato de ter procurado um deputado da oposição [André Moura, líder do governo no Congresso] pela urgência na liberação dos recursos, pelo estado deplorável das rodovias. Enalteceu a forma como JB prioriza o estado e não em fazer política.

 

Finisa 3

O deputado enfatizou ainda que votou a favor do projeto de financiamento do Finisa solicitado pelo Executivo à Assembleia porque sempre vai colocar os interesses do Estado em primeiro lugar. “Além do governador ter me solicitado, defendi o projeto na tribuna por coerência. Fui líder do governo de João Alves na Alese e defendi vários tipos de empréstimos, inclusive enfrentando uma oposição ferrenha, com críticas pontuais e construtivas, mas ninguém votava contra um pedido de empréstimo. Defendi, defendo e defenderei esse empréstimo em qualquer debate. É bom para o Estado, a nossa malha viária está necessitando urgentemente de uma recuperação. Conte comigo, governador, sempre que for para defender os interesses de Sergipe. Política se faz com ‘P’ maiúsculo”, frisou.

 

Ainda as subvenções 1

Em depoimento ontem na 18ª Vara Cível sobre processo de improbidade administrativa contra a ex-deputada estadual Angélica Guimarães, movido pelo Ministério Público Estadual referente às verbas de subvenções da Assembleia Legislativa, o ex-diretor de controle interno da Alese, José Valmir dos Passos, disse que cabia ao Tribunal de Contas do Estado fiscalizar a aplicação dos recursos. Explicou à juíza Christina Machado que era responsabilidade do departamento que comandava apenas receber os documentos referentes às prestações de contas encaminhados pelas entidades que recebiam recursos de subvenções e que, com essa competência, não tinha como identificar irregularidades.

 

Ainda as subvenções 2

Angélica Guimarães, na época presidente da Assembleia e hoje conselheira do Tribunal de Contas, é acusada de destinar recursos da subvenção para uma associação comunitária em Japoatã, presidida pela sua mãe, que depois devolveu aos cofres públicos, e de outras entidades consideradas fantasmas, com endereços fictícios.

 

Veja essa...

Do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) em protesto ao governo Temer: “Um botijão da gás a quase R$ 100,00 no interior do Estado, gasolina batendo mais de R$ 4,00, redução de R$14,00 no aumento do salário mínimo... e ninguém diz nada. Tem até quem bate palmas. Esse gigante não está adormecido, está dopado!”.

 

CURTAS

 

Nesse sábado, a base do PMDB e lideranças peemedebistas da capital e interior se reunirão no auditório do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, na rua Itabaianinha,  a partir das 9h, referendando o nome do vice-governador Belivaldo Chagas como pré-candidato a governador em 2018. O governador Jackson Barreto estará presente.

 

O encontro faz parte do entendimento feito da base aliada do governador de que os partidos iriam marcar reuniões com suas lideranças para colocar o nome de Belivaldo como cabeça de chapa. O PT já promoveu esse evento na semana passada, nesse sábado é o PMDB e no dia 25 o PSD. 

 

Acontece hoje  o Congresso Estadual do PPS, a partir das 9h, no plenário da Assembleia Legislativa, com a presença do presidente nacional da sigla Roberto Freire. Na oportunidade, ocorrerá algumas filiações, dentre as quais as dos ex-deputados federais Mendonça Prado e João Fontes, que são pré-candidatos a governador e senador respectivamente.

 

O senador Eduardo Amorim e o deputado André Moura foram ontem a Glória para uma reunião com os produtores rurais, na AABB, para discutir a resolução 4591/17, que trata da ampliação do prazo de pagamento de dívidas dos produtores rurais com os bancos públicos. Também presente o substituto de Saumíneo Nascimento na superintendência do BNB, Antônio César de Santana, que foi tirar dúvidas.

 

A convite do reitor da UFS, Ângelo Antoniolli, o deputado federal Fábio Reis participou ontem de um café da manhã no Campus de Lagarto. Na ocasião, o parlamentar visitou diversas instalações da instituição, inclusive as que foram equipadas com recursos que ele destinou, como o Centro Odontológico.

 

 

 

destaque

 

 Jackson em dúvida

 

Em conversa ontem com a coluna, o governador Jackson Barreto disse que não tem nada definido sobre o Senado e que não sabe se em dezembro anunciará sua posição, como deseja os aliados. “Vou cuidar da administração. Já pagamos o salário de outubro, estou cuidando do 13º, do salário de novembro e das obras. Em dezembro vamos pagar a primeira parcela do Proinveste e prestar contas do trabalho feito”.

Disse ainda JB: “Peço a Deus para o Estado não parar e sair a assinatura do contrato do financiamento com a Caixa Econômica, que vai garantir recuperação das rodovias e geração de emprego. Este governo já pagou R$ 700 milhões em dívidas e não pegou nenhum empréstimo. É isso mesmo. Se Déda [Marcelo] não fizesse o empréstimo do Proinveste não teríamos as obras que estão sendo feitas nas rodovias. O governo é impessoal”.