Homem confessa que atirou em casal na Sarney

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 14/11/2017 às 06:30:00

O pelo juiz plantonista Edivaldo dos Santos, do Fórum Gumercindo Bessa, decretou ontem à tarde a prisão preventiva de Moacir Horácio Pereira, 48 anos, que confessou ter atirado contra um casal de namorados dentro de um bar na Praia da Aruana, junto a Rodovia José Sarney (zona de expansão). O crime aconteceu na tarde deste domingo, quando Moacir entrou armado no local e acertou seis tiros contra as vítimas. Moacir foi preso horas depois no povoado Mussuca, em Laranjeiras (Vale do Cotinguiba), após ser localizado por equipes das polícias Civil e Militar.

A ex-namorada do acusado, Itamara Ernestina Amaral Santos, 26 anos, está internada em na Ala Vermelha do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), com risco de ficar paraplégica. Ela levou um tiro no braço esquerdo e outro no tórax, que acertou sua oitava vértebra torácica. Segundo o Huse, a paciente encontra-se orientada, consciente e com respiração espontânea, mas passa por uma observação de 48 horas para avaliar a gravidade da lesão e suas conseqüências. Já o mecânico Manoel José de Freitas Júnior, 34, que era o atual namorado da vítima, morreu no local, atingido por quatro tiros.

O delegado Kássio Viana, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), disse que Moacir teria se inconformado com a opção de Itamara por terminar o relacionamento e alegou ter ficado com raiva da vítima, ao vê-la sentada com o atual companheiro na mesa do bar. “A mulher foi a primeira a ser atingida. Já o seu atual companheiro teria tentado fugir, mas foi perseguido e novamente alvejado, vindo a óbito no local. Acredita-se que a motivação do crime tenha sido ciúmes, já que o acusado estava inconformado com o fim do relacionamento. Trata-se de um crime de feminicídio”, disse o delegado.

Ainda segundo Kássio Viana, o crime passional foi confirmado por Itamara ainda quando recebia os primeiros atendimentos, afirmando que o autor dos disparos era seu ex-companheiro e que, desde o término do relacionamento, ela vinha sendo ameaçada por ele. A arma do crime, um revólver calibre 38, foi encontrada em uma casa no bairro Siqueira Campos (zona oeste). O DHPP deverá concluir o inquérito do caso nos próximos 10 dias. (Gabriel Damásio)