JB diz que Valadares tem de procurar um psiquiatra

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 26/10/2017 às 05:24:00

“O senador Valadares não quer o bem do estado. Se perde em muitas futricas. Não fica bem para um senador, e mais ainda para um homem de 75 anos, só falar com ódio e ressentimentos”. Foi como reagiu o governador Jackson Barreto (PMDB) com relação às críticas do senador Antônio Carlos Valadares (PSB) ao Projeto de Lei nº 177 /2017, do Poder Executivo, pedindo autorização da Assembleia Legislativa para realizar operação de crédito de até R$ 560 milhões junto à Caixa Econômica Federal, para recuperação de rodovias estaduais.

Segundo Jackson, o país e as relações da sociedade estão muito radicalizadas, é preciso colocar um pouco de paz e relação humana nisso. “Nós não podemos chegar ao ponto que chegamos de radicalização da sociedade e o senador Valadares, lamentavelmente, aposta nesta radicalização, no ódio”, afirmou à coluna.

“Eu não aceito o ódio, eu prefiro o diálogo e a conversa. Acho que o senador está com suas ideias ultrapassadas. É preciso que ele coloque um pouco de paz e de Jesus no coração, porque a idade dele permite e orienta nessa direção”, disse.

Para JB, a aprovação do empréstimo na última terça-feira, pela Assembleia Legislativa, por 18 x 4, é de grande importância para a população e o estado por proporcionar investimentos nas rodovias estaduais.

“Nós vamos, por exemplo, recuperar a rodovia de Graccho Cardoso a Aquidabã até a BR 101. Vamos fazer uma grande rodovia, que vai nascer em Moita Bonita, na região da Serra do Machado, passando por Itabaiana, Campo do Brito, Lagarto, Riachão do Dantas, Tobias Barreto, Poço Verde, Simão Dias e Pião. É uma reta só”, comemora.

Enfatiza ser importante o Estado fazer investimento nas rodovias estaduais. “Vamos continuar trabalhando, porque ainda temos algumas caminhadas até o final. Vamos partir para as outras etapas e o que espero é a visão em favor do nosso estado”, frisou.

JB finaliza rebatendo Valadares que o acusou de querer tapar os buracos nas estradas com dinheiro caro: “Não é tapa-buraco, como diz Valadares. É fazer uma rodovia nova. Se ele não quer que faça rodovia nova é problema dele, que tem de procurar um psiquiatra”.  

..............................................................................................................

Ponto de vista 1

Do governador Jackson Barreto (PMDB) sobre o fato do deputado estadual Luciano Pimentel, do PSB de Valadares, ter criticado e afirmado que votaria contra o projeto do empréstimo de R$ 560 milhões e depois ter votado a favor: “Os recursos vão possibilitar a recuperação da rodovia que liga Graccho Cardoso a BR – 101, passando por Aquidabã. Luciano sabe que quando chegasse ao interior, na região que ele tem voto, ia perguntar ao povo de Graccho se ia votar novamente para deputado estadual em Luciano com ele tendo sido contra a rodovia que está destruída”.

 

Ponto de vista 2

Prosseguiu JB: “Luciano pensou, fez o discurso, Valadares pressionou, mas na hora do voto da reeleição ele preferiu ficar com o voto do povo da região que vai ser beneficiado, pois votar contra aprovação de recursos para recuperar rodovias na situação que o estado está é falta de amor aos sergipanos e ao nosso estado”.

 

Encontro com aliados 1

O vice-governador Belivaldo Chagas (PMDB) já tem agendado três reuniões com partidos aliados para referendar seu nome como pré-candidato a governador em 2018. Além da reunião do dia 11 de novembro com o PT, estão marcadas reuniões no dia 18 de novembro com o PMDB e 25 de novembro com o PSD.

 

Encontro com aliados 2

Segundo Belivaldo,  o passo primordial foi dado no dia 7 de outubro com o apoio dos aliados ao seu nome. “As coisas estão acontecendo no ritmo natural. Tenho concedido entrevistas aos veículos de comunicação e viajado nos finais de semana para o interior. Vou me reunir com os partidos e a partir de janeiro vamos debater”, enfatizou.

 

Arregaçando as mangas

Chagas reafirmou que em janeiro do ano que vem deixa a Casa Civil para que possa trabalhar mais a sua pré-candidatura ao governo. “Deixando a Casa Civil vou viajar com mais frequência e manter contato com lideranças do interior do estado”, declarou.

 

Otimista

O ex-prefeito Fábio Henrique (PDT) reafirma que o seu partido apoia o nome de Belivaldo Chagas para o governo e que acredita na unidade do bloco liderado pelo governador no pleito do ano que vem.

 

Ponto divergente

De acordo com Fábio, a única coisa que pode ser divergente no seu agrupamento político é com o candidato ao Planalto. Revela que assumiu o compromisso com a Executiva Nacional do PDT de apoiar a candidatura de Ciro Gomes a presidente da República e montar um palanque para ele em Sergipe.

 

Focado em Brasília

Fábio, que é secretário de Turismo, revela que é “candidatíssimo” a deputado federal em 2018 e que não ver problema algum da sua esposa, a deputada estadual Sílvia Fontes (PDT), disputar a reeleição.   

 

Se movimentando 1

O ex-deputado federal Mendonça Prado (PPS) está mesmo levando a sério disputar o governo do estado em 2018. Desde a última sexta-feira vem concedendo entrevistas as emissoras de rádio da capital e interior e visitando municípios sergipanos.

 

Se movimentando 2

Mendonça esteve em Itabaiana, na Bienal do Livro. Visitou os municípios de Tobias Barreto, São Domingos, Frei Paulo e ontem foi a Estância conceder entrevista no Jornal da Xodó FM, oportunidade em que falou das questões do estado de Sergipe na região centro-sul.

 

Em Sergipe 1

O prefeito João Dória (PSDB-SP) chega hoje à noite, às 19h, a Aracaju, para uma vasta programação. Já às 19h30 desta quinta-feira, Dória receberá o título de cidadão aracajuano na Assembleia Legislativa. Amanhã, às 8h, concederá uma entrevista coletiva à imprensa, no auditório do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

 

Em Sergipe 2

Após a entrevista, João Dória proferirá uma palestra no TCE com o tema “Políticas Públicas sobre drogas e atendimento aos dependentes químicos”. Em seguida, no Hotel Radisson, fará uma palestra com a temática “O papel do setor empresarial na gestão pública”.

 

Pagando alto 1

O presidente Michel Temer teve que se submeter às exigências de deputados federais aliados para se salvar da segunda denúncia da Procuradoria-Geral da República contra ele por formação de quadrilha e obstrução da Justiça. Ontem aliados se juntaram a oposição para dificultar a obtenção do quórum mínimo para o início do sepultamento da denúncia com o objetivo de receberem adiantado. Para que a votação começasse, era necessário a presença de pelo menos 342 dos 513 deputados em plenário.

 

Pagando alto 2

Deputados queriam liberação imediata de emendas parlamentares. A banda sonegadora da Câmara já tinha exigido que o presidente sancionasse o projeto do Refis, que parcela dívidas tributárias em prazos e condições camaradas. O ex-deputado mensaleiro Valdemar Costa Neto, que controla o PR, também exigiu que Temer cumprisse o compromisso de retirar Congonhas do rol de aeroportos sujeitos à privatização. As duas exigências foram publicadas no Diário Oficial de ontem.

 

 

Pagando alto 3

O quórum se manteve minguado durante toda a manhã e início da tarde. Só passou a ter quorum por volta das 17h, horário de Brasília. Nesse jogo de interesse, Temer, com 77 anos, passou mal e foi levado para o Hospital das Forças Armadas. Teve uma obstrução urológica.

 

Registro 1

As duas denúncias apresentadas pela Procuradoria Geral da República contra o presidente Michel Temer fizeram com que o Palácio do Planalto abrisse de vez as portas para os integrantes da Câmara dos Deputados. Levantamento da Lupa na agenda presidencial mostra que, desde 29 de junho, Temer esteve em 414 encontros públicos com 217 deputados.

 

Registro 2

Alguns deputados se tornaram mais frequentes no Palácio do Planalto. Os líderes do governo e do PMDB na Câmara, respectivamente Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) e Baleia Rossi (PMDB-SP), foram os que mais estiveram com o presidente desde a apresentação da primeira denúncia – 29 vezes cada. Beto Mansur (PRB-SP, 25 vezes), André Moura (PSC-SE, 22 vezes) e Carlos Marun (PMDB-MS, 19 vezes) também são presenças frequentes nas agendas do presidente.

 

 

 

Veja essa...

 

O Supremo Tribunal Federal, que tem direito a 60 dias de férias e cinco feriados a mais do que os fixados em lei, criou mais um feriadão neste ano para ministros e servidores. Transferiu o feriado do Dia do Servidor Público, 28 de outubro, que vai cair nesse sábado, quando não há expediente, para a sexta-feira 03 de novembro, dia normal de trabalho. Além de salvar o feriado desse sábado, o STF proporcionará um feriadão generoso na próxima semana, com o fato do feriado do dia 02 (quinta-feira) ser de finados e o dia 1º ser feriado do Judiciário. Ou seja, no próximo final de semana, só haverá expediente no Supremo na segunda e terça-feira. É por essas e outras que os processos andam a passos de cágados lá em cima.

 

 

 

CURTAS

 

Na próxima segunda-feira, às 8h, no Hotel Quality, técnicos do FNDE estarão em Sergipe para conversar com prefeitos, a convite do deputado federal André Moura, líder do governo no Congresso. O encontro foi organizado em parceria com a Federação dos Municípios do Estado de Sergipe (Fames).

 

Os prefeitos serão orientações sobre a elaboração do Plano de Ações Articuladas (PAR), por meio do qual as prefeituras solicitam recursos junto ao FNDE, a serem utilizados na construção e reformas de creches e escolas, aquisição de ônibus e material escolar, merendas e uniformes para os estudantes.

 

O governador Jackson Barreto, o vice Belivaldo Chagas, o prefeito Edvaldo Nogueira e a vice Eliane Aquino, e o ex-governador Albano Franco participaram ontem de manhã da inauguração da nova área do Riomar Aracaju. O investimento foi de R$ 110 milhões.

 

O prefeito Élio Martins (PSC-Pirambú) paga nesta quinta-feira o salário de todos os servidores públicos referente a outubro. Segundo o secretário municipal de Finanças, Antõnio Carlos, mais de R$ 1,5 milhão será injetado na economia do município.

 

Os senadores Valadares e Eduardo Amorim participaram ontem, na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, da Sabatina de Francisco Luciano de Azevedo para integrar o  Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

 

-

Os votos dos sergipanos

O presidente Temer só teve um voto a favor entre os oito deputados sergipanos, no processo movido pela Procuradoria Geral da República, por organização criminosa e obstrução de Justiça: André Moura (PSC), líder do governo no Congresso Nacional. O deputado Fábio Reis (PMDB), que também votaria a favor, está de licença médica, em função de uma cirurgia cardíaca.

A surpresa foi a ausência do deputado federal Láercio Oliveira (SDD), que apresentou atestado médico, mesmo tendo passado todo o dia participando de gravações para o programa do seu partido.

Os deputados Adelson Barreto, Fábio Mitidieri, Jony Marcos, João Daniel e Valadares Filho votaram pelo prosseguimento das denúncias contra o presidente.