Unanimidade pelo nome de Belivaldo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/10/2017 às 06:15:00

No último sábado o bloco político liderado pelo governador Jackson Barreto (PMDB) deu o primeiro passo sobre o processo eleitoral de 2018. Em reunião na casa do deputado estadual Luiz Mitidieri (PSD) foi lançado pelos partidos o nome do vice-governador Belivaldo Chagas (PMDB) como pré-candidato a governador e estabelecido que JB definirá até o final do ano se será candidato ao Senado.

Ficou acordado ainda que a partir de agora Belivaldo será convidado para os eventos dos partidos aliados na capital e no interior. E que neles será colocado que o vice-governador é o pré-candidato do agrupamento político ao governo no ano que vem.

Essa proposta partiu do anfitrião Luiz Mitidieri, que já havia colocado essa sugestão na reunião recente do governador com deputados estaduais da base aliada para tratar de projetos de lei do Poder Executivo. 

Não teve discussão sobre a formação da chapa majoritária, quando o PT pleiteia uma vaga de candidato a senador para o presidente estadual da legenda Rogério Carvalho e o PRB reivindica também uma vaga para o ex-deputado federal Heleno Silva. E o PSD quer indicar Luiz Mitidieri como candidato a vice-governador.

Ficou estabelecido que a discussão da chapa majoritária ficará para o próximo ano, quando será avaliado partido, densidade eleitoral e melhor colocação nas pesquisas.

Também não foi colocado na mesa a insatisfação de aliados com relação a secretários candidatos em 2018 permanecerem no cargo. Seria colocado que o governador deveria estabelecer até 31 de dezembro para os secretários candidatos – Zezinho Sobral (Inclusão Social) e Esmeraldo leal (Agricultura) – entregarem os cargos.

Segundo lideranças que participaram da reunião, não teve clima para tratar dessas duas pautas polêmicas.  Revelaram que o governador foi muito humilde na sua fala de que as definições políticas não viriam de cima para baixo, mas de baixo para cima ouvindo a todos. 

Em conversa com a coluna ontem de manhã, Jackson disse que ficou muito satisfeito com o resultado da reunião e o clima de harmonia. “Todos os partidos se manifestaram, não teve divergências. O nome de Belivaldo não foi lançado pelo governador, mas pelos aliados. No momento, não cabia definição de chapa majoritária. Temos de construir a chapa no próximo ano”, afirmou.

Revelou ainda JB: “O ambiente foi muito bom, de camaradagem, de tranquilidade. Belivaldo conseguiu reunir e agregar a base. Não foi jogo de cartas marcadas. O nome de Belivaldo foi uma construção de todos”.

O governador demonstrou, também, muita satisfação com as declarações do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB-Aracaju) reafirmando o que disse durante discurso em ato político do PMDB em apoio à sua candidatura a prefeito em 2016: de que honraria o compromisso de apoiar o candidato do PMDB e de Jackson Barreto ao governo em 2018.

Edvaldo declarou apoio a Belivaldo no momento que muitos especulam sobre sua aproximação política com o deputado federal André Moura (PSC), líder do governo no Congresso.

Agora é aguardar o cumprimento do que foi acordado no encontro do sábado, regado a cerveja e churrasco.

................................................................................................................

Posição do PRB

O presidente de honra do PRB, ex-deputado federal Heleno Silva, foi o primeiro a falar da reunião do governador Jackson Barreto (PMDB) com aliados, na casa do deputado estadual Luiz Mitidieri (PSD). Disse que ia organizar movimentos na sua região e no seu segmento religioso com a presença de Belivaldo Chagas (PMDB), que era unanime dentro do grupo.

 

Ponto de vista

À coluna Heleno Silva disse que a reunião foi o ponta pé inicial para o processo sucessório. “Houve a definição do nome de Belivaldo para o governo e os demais nomes da chapa serão definidos depois. O clima foi agradável, com todos escondendo preferências e objetivos. Espero que o tempo arrume as coisas”.

 

Apoio do SD

O deputado federal Laércio Oliveira (SD) não deixou de marcar presença na reunião, diante do episódio da escolha do novo coordenador da bancada federal em que foi preterido pelo nome do deputado Jony Marcos (PRB). Falando pelo partido, o parlamentar afirmou que estava satisfeito com a pré-candidatura de Belivaldo e disse que Jackson deveria disputar o Senado, por ter uma grande representatividade e puxar votos.

 

Falou pouco

Na reunião, o PT, através do presidente Rogério Carvalho, também declarou apoio ao nome de Belivaldo Chagas para o governo.  Um pouco frio, Rogério, que tem seu nome especulado com um provável candidato ao governo por uma 3ª via, disse que estava à disposição para se reunir quando precisasse. No final, afirmou que a sua mãe tinha declarado que Belivaldo era um bom nome e uma pessoa do bem.

 

Discurso simpático

Já a vice-prefeita de Aracaju, Eliane Aquino (PT), declarou que não podia falar em nome do seu partido, mas ela estaria na linha de frente na pré-candidatura de Belivaldo.

 

Augusto com JB

O deputado estadual Augusto Bezerra falou pelo PHS. Declarou apoio a Belivaldo, enfatizando que era seu amigo e que estava honrando a palavra com o governador Jackson Barreto em votar no seu candidato ao governo.

 

Os presentes

Participaram da reunião de JB com aliados nove deputados estaduais, quatro deputados federais e os presidentes dos partidos PMDB, PSD, PT, PRB, PDT, PHS, SD, PCdoB, PSDC, PRP e Podemos. O líder do governo na Assembleia, Francisco Gualberto (PT), justificou a ausência por ter de participar de um compromisso em Porto da Folha, onde receberia uma homenagem. O deputado federal Fábio Mitideri (PSDB) também esteve ausente por motivo de viagem.

 

Na defesa de Belivaldo

Ontem, à imprensa, o prefeito Edvaldo Nogueira afirmou: “Belivaldo é o nosso nome, é um político que tem capacidade e competência. Foi vice-governador de Déda, é o vice de Jackson. Tem experiência, foi deputado estadual. É um nome que reúne as condições de enfrentar o debate que virá. Claro que ainda não é candidatura definida, porque ainda não chegou o tempo para isso, nem pode”. Enfatizou que Belivaldo irá agora construir o processo de unidade da frente.

 

Podemos 1

Está na pauta da Executiva Nacional do Podemos desta terça-feira pela manhã, em Brasília, a decisão do comando do partido em Sergipe.  Praticamente está tudo acordado para que o secretário Zezinho Sobral (Inclusão Social) assuma o comando do partido no Estado e seja pré-candidato a deputado estadual em 2018.

 

Podemos 2

Zezinho viaja nesta terça-feira a Brasília para acompanhar o resultado da reunião da Executiva Nacional do Podemos. Teve algumas conversas com o senador Álvaro Dias, pré-candidato a presidente da República, e a presidente nacional, a deputada federal Renata Abreu (SP), iniciada quando ela esteve em Sergipe no primeiro semestre.

 

Podemos 3

O partido em Sergipe é presidido pelo ex-prefeito Manoel Sukita (Capela), que não gostou da grande possibilidade de perder hoje o comando do Podemos para Zezinho Sobral.

 

Podemos 4

O governador Jackson Barreto declarou ontem à coluna que não tem qualquer participação na ida de Zezinho Sobral para o Podemos, que todas as conversas foram com o próprio secretário. Garantiu que nunca discutiu com Álvaro Dias sobre o Podemos, apesar de ter uma boa relação com ele, que já foi governador do Paraná e deputado federal por dois mandatos.

 

Podemos 5

Revelou que há cerca de dois meses Álvaro Dias telefonou dizendo que quando fosse a Brasília ligasse para conversarem, mas ele não o procurou, nunca esteve no seu gabinete para “não alimentar, não criar mais dificuldades no relacionamento do PMDB”. “Não cometam injustiça. Não sentei com Álvaro Dias para tratar sobre o Podemos em Sergipe”, frisou.   

 

Em Glória

Jackson Barreto ficou muito satisfeito com a presença dos 11 prefeitos do sertão durante ato em Nossa Senhora da Glória, na última sexta-feira, de reforma e ampliação do atendimento médico-hospitalar do Hospital Regional de Glória, que contará com unidade de obstetrícia e ortopedia. “Nunca vi ato tão forte como esse. Foi um compromisso, um ato com a saúde com as presenças dos prefeitos de Glória, Porto da Folha, Canindé do São Francisco, monte Alegre, Gararu, Itabi, Graccho Cardoso, Feira Nova, Cumbe, Nossa Senhora Aparecida”, afirmou.

 

Fim da novela

O deputado federal André Moura (PSC), líder do governo no Congresso, ganhou a queda de braço com a senadora Maria do Carmo Alves (DEM) e o ex-governador Albano Franco (PSDB). Conseguiu tirar da superintendência do BNB em Sergipe, Saumíneo Nascimento, e colocar no seu lugar o superintendente do banco em Alagoas, Antônio César de Santana. Essa discussão vem desde o ano passado.

 

Canal Xingó

Ontem, após reunião com o presidente da Codevasf, Antônio Avelino Neiva, André Moura foi informado que a equipe de licitações da companhia já começou a analisar as propostas das empresas que se habilitaram a executar o projeto básico dos primeiros 114 quilômetros do Canal Xingó. Ele informou ainda que passados os seis primeiros meses e finalizado o projeto básico dos 50 quilômetros iniciais do Canal Xingó entre Paulo Afonso (BA) e Canindé do São Francisco (SE), a Codevasf realizará nova licitação para o projeto executivo e início das obras deste trecho.

 

Veja essa...

Informações chegadas à coluna dão conta que na reunião de JB com aliados, no sábado, a ex-deputada estadual Conceição Vieira (PT) quis emplacar logo o nome de Rogério Carvalho como candidato ao Senado, mas os aliados fizeram ouvido de mercador. E que, em uma roda, ela teria dito que Eliane Aquino já estava contemplada como vice-prefeita de Aracaju e que o nome da chapa majoritária governista é o de Rogério.

 

 

CURTAS

 

A Justiça encaminhou ontem para a procuradora da República Eunice Dantas os áudios e gravações sobre a conversa de Edvaldo Nogueira com o dono da empresa Torre, Antônio Torre, durante a campanha eleitoral.  

 

 

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) encontra-se em Montevidéu, participando do 8º Fórum Mundial de Água do Parlamento do Mercosul.

 

O senador Eduardo Amorim (PSDB) não acredita que este ano ainda o governo Michel Temer paute sobre a reforma previdenciária. “De qualquer forma, já externei o meu voto contrário”, afirma.

 

Do deputado federal Fábio Mitidieri (PSDB) sobre o Podemos: “Tomar o partido comandado por Sukita em Sergipe é um erro grosseiro do governo. Em tempos de eleição, todos o querem, depois...”.

 

 

Prefeitos vão se reunir na próxima sexta-feira para discutir a distribuição das emendas impositivas para Sergipe do Orçamento Geral da União do exercício de 2018. O convite partiu do secretário Marcos Santana (PMDB-São Cristovão).