Impasse no PT deve aumentar

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 25/08/2017 às 00:26:00

Quando passou por Sergipe o ex-presidente Lula constatou o conflito político entre a ala do PT, a Articulação de Esquerda liderada pela deputada estadual Ana Lúcia, e o governador Jackson Barreto (PMDB). Percebeu isso nas vaias que JB recebeu em Estância e Nossa Senhora da Glória, e na sua reação em Glória quando atribuiu ao Sintese a manifestação de protesto e disse que o sindicato não tinham respeito por ninguém, nem por Marcelo Déda, quando o enterrou ainda vivo.

Ao ser informado que a Articulação de Esquerda se recusou a subir no mesmo palanque que Jackson Barreto durante a passagem da “Caravana da Esperança” por Sergipe, assim como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), pelos problemas de salário com os servidores públicos, Lula resolveu conversar com a deputada Ana Lúcia, que tem grande influência no Sintese, assim como com dirigentes da Frente Brasil Popular.

Na conversa, Lula, como ex-líder sindical e fundador da CUT, reconheceu a importância dos sindicatos. Mas pediu que todos reconhecessem a história de Jackson Barreto. Lembrou que JB era uma grande liderança popular, um aliado histórico do PT e foi contra o impeachment de Dilma Rousseff. Afirmou que estava disposto a mediar à reabertura do diálogo entre JB e os sindicalistas.

Por conta dessa conversa que estava fora da sua agenda, o ex-presidente chegou com três horas de atraso no seu último ato político em Sergipe, o do Iate Clube de Aracaju, na terça-feira passada, com as presenças de movimentos sindicais e populares.

Naquela terça-feira (22), Lula deixou Sergipe com destino a Alagoas e já se encontra em Pernambuco, mas não conseguiu resolver nem amenizar os conflitos de um ala do PT com o governador Jackson Barreto, com quem demonstrou ter um carinho e respeito muito grande à sua história. E inclusive, foi além, quando disse que gostaria que o PT e o PMDB de JB continuassem unidos em 2018, sob ameaça de não pisar os pés em Sergipe na campanha eleitoral.

Mas, pelo andar da carruagem, o conflito entre Ana Lúcia/Sintese e o governo permanece só que agora por conta do projeto de lei complementar nº 10/2017, que trata da fusão dos fundos previdenciários. E o que é pior, o conflito se estendeu entre petistas.

Desde a quarta-feira que os deputados petistas Ana Lúcia e Francisco Gualberto, que é da tendência PT Classista e líder do governo na Assembleia Legislativa, trocam farpas no plenário da Assembleia Legislativa por conta desse projeto que Ana condena e Gualberto defende.

Após vários embates, disse Gualberto ontem para a companheira petista: “Estou anunciando a mudança na nossa relação. Fica estabelecido que nós deveremos, na política, observar toda a nossa vida. Acabou o tempo em que o seu agrupamento [Sintese] se manifestava a meu respeito como queria e eu somente compreendendo porque era do mesmo partido. Mas já vi que aí é uma tática para me pisar”.

Declarou ainda o petista: “O partido está no governo, tem dois parlamentares com posições diferentes. Como é que o PT vê isso? Precisa se manifestar. Não conheço na humanidade nenhum dono da verdade. Portanto, o tempo da passividade acabou”.

Trocando em miúdos, a deputada Ana Lúcia e a tendência Articulação de Esquerda fizeram ouvido de mercador para o que o ex-presidente Lula falou e caminham para o isolamento, já que no último encontro estadual do PT, realizado no mês passado, quase 80% dos presentes defendeu a manutenção da aliança com Jackson nas eleições de 2018.

.......................................................................................................

 

Tempo para conversar

O polêmico projeto de lei complementar nº 10/2017, de autoria do Poder Executivo - que pretende extinguir o Fundo Previdenciário do Estado de Sergipe (Funprev), transferindo recursos para o Fundo Financeiro de Previdência do Estado de Sergipe (Finanprev/SE) - só deve ser votado no plenário da Assembleia Legislativa na próxima quinta-feira. Diante da polêmica, o governo vai conversar com os Poderes.

 

Preocupação pertinente

A grande preocupação dos poderes e sindicatos é com a capitalização do fundo mediante a retirada inicial de cerca de R$ 200 milhões dos R$ 600 milhões que existem no Finanprev, para pagar os aposentados e pensionistas. Esse fundo foi criado em 2007 pelo então governador Marcelo Déda para garantir a aposentadoria dos novos servidores a partir daquele ano.

 

Capitalização 1

Para capitalizar o Finanprev/SE, o governo propõe aportar mais 6% da sua receita para a previdência social. Isso corresponde a R$ 2,4 milhões mensal de contribuição da classe patronal, que engloba o Poder Executivo e demais poderes. Ao ano serão aportados R$ 27 milhões no fundo.

 

Capitalização 2

 Também estão sendo estudadas outras medidas para serem encaminhadas para a Assembleia Legislativa, através de projetos de lei. Entre as medidas, está a discussão, de forma cordial, com os outros Poderes para que paguem os seus respectivos déficits previdenciários desde que caiba dentro dos seus orçamentos. Isso representa uma economia do Executivo com a previdência na ordem de R$ 88 milhões ano.

 

Constitucionalidade

 A justificativa para a constitucionalidade da unificação dos fundos de previdência é que isso já foi feito, há alguns anos, em outros estados como Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Pará. E que todos os questionamentos que foram julgados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) houve o parecer da sua legalidade, já existindo, portanto, jurisprudência nesse sentido.  

 

Nepotismo caseiro

 Justiça acata ação do Ministério Público Estadual (MPE) e determina que no prazo de três dias o prefeito José Ranulfo (PSB-Arauá) exonere a esposa Delba Oliveira de Jesus e os filhos Nathaly Oliveira Santos e Kendisson de Souza Santos pela prática de nepotismo. A esposa do prefeito é secretária municipal de inclusão social, a filha Nathaly é secretária de comunicação social e assuntos institucionais e o filho Kendisson procurador-geral do município. O prefeito já avisou que vai recorrer.

 

 

Debate no TCE

Nesta sexta-feira, às 9h, o jurista e ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo irá proferir palestra no Tribunal de Contas de Sergipe com o tema “A crise do estado de direito e o conflito entre poderes”. Ele é mais um dos palestrantes de um ciclo de debates promovido pelo TCE com o tema “Por um Brasil ético: o dinheiro público é da sua conta”. O próximo palestrante será o economista sergipano Otaviano Canuto, diretor executivo do Banco Mundial para o Brasil e outros países da América Latina. No dia 1º de dezembro ele proferirá a palestra “O impacto da corrupção na economia brasileira”.

 

Com aval do STF

 Deu ontem na coluna de Ilimar Franco, no O Globo: “O Tribunal de Contas de Fortaleza será mesmo extinto. Pela segunda vez, a Assembleia Legislativa cearense aprovou emenda à Constituição do estado que acaba com a corte de contas. A primeira tentativa era alvo de ação de inconstitucionalidade no STF. Com a nova votação, o ministro Celso de Mello reconheceu que a ação perdeu o sentido. Em decisão de 22 páginas, foi além e disse que estados têm poder para extinguir tribunais de contas. Para o advogado Marcelo Proença, que atuou pelo PDT-CE, um dos autores da emenda, “a decisão do Supremo é importante porque ressalta que se trata de prerrogativa conferida a cada estado e que pode ser exercida por intermédio das Assembleias Legislativas”. Se a moda pega...

 

 

O vice de Lula

O empresário mineiro Josué Gomes da Silva, de 53 anos, é o nome mais cotado no momento para ser o candidato a vice do ex-presidente Lula (PT), que tem a pretensão de voltar a disputar a presidência da República em 2018. Josué, que é presidente da Coteminas, é filho do ex-vice-presidente José Alencar, eleito numa dobradinha com Lula em 2002 e 2006 e que morreu em março de 2011. Ele é filiado ao PMDB, mas deve ingressar no  PR, sigla que seu pai foi filiado.

 

Veja essa...

Do deputado estadual Francisco Gualberto (PT), ontem, ao comunicar que mudará o comportamento com relação a colega parlamentar e de partido Ana Lúcia pelos ataques que vem sofrendo do seu grupo político: “Ana Lúcia nem será minha bússola e nem aceitarei ela como a palmatória que irá me bater todos os dias”.

 

 

 

CURTAS

 

O deputado federal André Moura (PSC), líder do governo no Congresso Nacional, anunciou ontem que o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) comunicou a liberação de R$ 1 milhão para a construção de creches e escolas de cinco municípios sergipanos.

 

Segundo André, os recursos viabilizados por ele já estão empenhados e começam a ser paga a parir desta sexta-feira às prefeituras de Canindé do São Francisco, Itaporanga d’Ajuda, Nossa Senhora do Socorro, Pinhão e Tomar do Geru.

 

A sugestão de anistia ao deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) foi rejeitada pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado. O deputado é réu em ação penal que está sendo julgada pelo STF pelo crime de incitação ao estupro ao ter afirmado, em 2014, “não estupraria” a deputada Maria do Rosário “porque ela não merece”.

 

Vários bairros de Aracaju continuam com amontoados de lixo nas ruas, sem a coleta regular do lixo domiciliar. A Atalaia é um deles.

 

 

 

 

 

Foto legenda ABRAÇO MAROTO

Foi muito comentado ontem nas redes sociais a ida do prefeito Valmir de Francisquinho (PSC-Itabaiana) ao Palácio de Despachos para uma audiência com o governador Jackson Barreto (PMDB). O gestou foi comunicar sobre a implantação da guarda municipal no seu município e  reivinicar o treinamento dos profissionais pela Acadepol.  Ele também solicitou a doação de um terreno do estado de 13 mil metros quadrados para a construção do cento administrativo da cidade.

JB acatou imediatamente o treinamento da guarda municipal pela Acadepol e solicitou ao secretário de Planejamento, Rosman Pereira, que avalie as possibilidades para a cessão da área na qual funcionava a antiga unidade do Detran. “Me disponibilizo para ajudar da forma que for possível. Trabalho em conjunto é fundamental para melhorar a qualidade de vida do nosso povo”, afirmou.