Desarmando os espíritos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O vice-presidente nacional do PT, Márcio Macedo, continua convidando as lideranças políticas do estado para prestigiar a caravana do ex-presidente Lula por Sergipe, que ocorrerá entre os dias 20 e 22 de agosto ...
O vice-presidente nacional do PT, Márcio Macedo, continua convidando as lideranças políticas do estado para prestigiar a caravana do ex-presidente Lula por Sergipe, que ocorrerá entre os dias 20 e 22 de agosto ...

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 15/08/2017 às 00:46:00

Há uns dois meses os aliados do governador Jackson Barreto (PMDB), que pleiteiam vaga na chapa majoritária, começaram a mandar recados dizendo que se não estiverem na majoritária podiam ir para a oposição, podiam se aliar a quem tinha interesse nos seus nomes.

O primeiro foi o ex-deputado federal Heleno Silva (PRB), que quer disputar uma vaga de senador. O segundo foi o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD), que quer indicar o seu pai, o deputado estadual Luiz Mitidieri (PSD), como candidato a vice.

O PT também ameaçou sair com candidatura própria ao governo caso o ex-deputado federal e presidente estadual do partido, Rogério Carvalho, não seja candidato ao Senado. Rogério é hoje o nome da maioria das tendências do partido para a chapa majoritária.

Esse cenário político mostra que a disputa maior na base governista está pela vaga de Senador, com os nomes de Rogério Carvalho e Heleno Silva. Já que com a outra vaga existe uma compreensão que é a do governador. Até Fábio Mitidieri, que desejava disputar o Senado, decidiu que só seria candidato se JB não fosse e, diante disso, passou a pleitear a indicação do candidato a vice-governador para o seu pai e trabalha a sua reeleição.

Hoje esses aliados do governador que pleiteiam uma vaga na chapa majoritária adotaram um tom apaziguador. O primeiro foi Heleno, que recentemente declarou à coluna: “Nós do PRB desarmamos o espírito e vamos fazer o que sabemos fazer de melhor: caminhar, caminhar e caminhar”. Disse ainda: “Já falamos até demais, acho que já fomos ouvidos. Agora é agir”.

O vice-presidente nacional do PT, ex-deputado federal Márcio Macedo, afirmou a coluna que Rogério Carvalho é o nome de consenso dos petistas para a chapa majoritária, na disputa pelo Senado. Não se fala mais em candidatura do PT ao governo.

O presidente estadual do PDT, ex-prefeito Fábio Henrique, que já chegou a pleitear uma vaga na majoritária, disse que não vai criar qualquer constrangimento para o governo e que quer permanecer no agrupamento político.

Já ontem, à coluna, Fábio Mitidieri declarou: “Todos os partidos deram seu recado, mostraram os dentes. Agora cada um vai mostrar sua força, tamanho. Vai trabalhar para mostrar que tem mais condições de estar na chapa majoritária”, afirmou. Enfatizou ainda: “Vamos buscar o consenso interno, pois definição majoritária é uma decisão de consenso”.

Fábio foi mais longe quando disse: “Na hora que Belivaldo [Chagas] assumir o governo e estiver com a caneta nas mãos vamos ter que seguir. Ele como governador indo para a disputa pelo governo, sendo a pessoa simpática e amiga que é, e com a caneta nas mãos, vai unificar o grupo”.

Esse também é o entendimento de muitos aliados!

 

.................................................................................................................

 

Últimos acertos

O governador Jackson Barreto (PMDB) se reuniu ontem à tarde com alguns secretários para discutir os últimos ajustes para as medidas que pretende adotar para amenizar o déficit da previdência social e, consequentemente, voltar a pagar dentro do mês os salários dos servidores públicos e a remuneração dos aposentados e pensionistas. Ainda esta semana quer encaminhar para a Assembleia Legislativa os projetos de lei.

 

 

JB na caravana

Já convidado pelo próprio Lula e também por Márcio, e confirmado presença em todos os atos políticos em Sergipe, o governador está sendo aconselhado por aliados a não comparecer a toda agenda do ex-presidente para evitar mais problemas com o governo Temer. Mesmo assim, JB mantém predisposição de está ao lado de Lula na sua passagem pelo estado.

 

Ponto de vista 1

Segundo um aliado de JB, nem a ameaça de petistas vinculados à deputada estadual Ana Lúcia de jogarem ovos nele caso compareça aos atos com Lula vai levá-lo a desistir de acompanhar a caravana. “Se ocorrer de jogarem ovos no governador, o constrangimento será do ex-presidente, que não cansa de elogiar Jackson. Sem falar que existe o risco dos ovos acertarem Lula, pois o governador estará ao seu lado”, afirma.

 

Ponto de vista 2

O aliado lamenta o radicalismo de alguns petistas em querer se referir a JB como golpista, por ser do PMDB de Temer. “Jackson foi contra o impeachment de Dilma. No dia da votação na Câmara estava no Palácio do Alvorada ao seu lado. Não é culpado pelo que aconteceu e ainda sofre retaliações do governo por isso”, avalia.  

 

Reforma política 1

A reforma política volta a tramitar hoje na Câmara dos Deputados. O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) diz que é a favor da cláusula de barreira e do distritão [quando é eleito o mais votado], e acha preocupante o fim das coligações.

 

Reforma política 2

Segundo ele, a cláusula de barreira vai reduzir significativamente o número de siglas partidárias. “A quantidade de partidos pode cair para 11 se for mantido os 2% de votos dos partidos em 17 estados, com os dados do pleito de 2014. Ampliando para 3% em 2022, o número de legenda no Brasil cairia para nove, o que daria mais organização e moralização”, avalia.

 

Reforma política 3

Revela que o seu partido fechou a favor do distritão. “Os 38 deputados do PSD são favoráveis ao distritão. O senador Valadares já afirmou que isso vai dificultar a renovação política. Tem um pouco de verdade, mas por esse sistema ganha quem a sociedade quer, quem o povo votou e escolheu para ser seu representante no legislativo”, afirmou.

 

Reforma política 4

“Sou a favor do distritão se houver o fim das coligações. Se não passar o distritão fico contra o fim das coligações”, antecipa Mitidieri como votará a reforma política na Câmara.

 

Pelo interior 1

O vice-governador Belivaldo Chagas (PMDB) continua se movimentando politicamente visando sua candidatura ao governo em 2018. No sábado foi a Boquim, onde participou de uma confraternização com amigos organizada pela família do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD). Já no domingo foi ao Povoado Triunfo de Simão Dias, participar da procissão que homenageia São Domingos de Gusmão, padroeiro da comunidade.

 

Pelo interior 2

No Povoado Triunfo, Belivaldo estava acompanhado do ex-prefeito de Simão Dias, Luiz Albérico; do presidente da Câmara Municipal, Jorge de Lourival e dos vereadores Odilon Bispo, Iraildes e Fábio Rabelo, além de amigos.

 

Em Pinhão

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB), que pode ser o candidato ao governo pela oposição, foi o único que se movimentou politicamente no final de semana dos nomes cogitados da oposição. Foi a Pinhão no sábado visitar o ex-prefeito Eduardo Marques.

 

De olho na Alese

Alguns ex-prefeitos do interior de Sergipe estão trabalhando para disputar mandato de deputado estadual em 2018. Entre eles Carlos Magno (Estância) e Juca de Bala (Laranjeiras).

 

Mais do mesmo

Com o título acima a coluna Painel da Folha de São Paulo publico a seguinte nota no sábado: “Depois de exonerar por conflito de interesses o auditor-geral, o diretor de atendimento e o procurador-chefe da Procuradoria Federal do INSS, todos ligados ao líder do governo no Congresso, deputado André Moura (PSC-SE), o governo acalmou o aliado”.

 

Tente outra vez

Diz ainda a coluna Painel: “Na quinta-feira (10), o Planalto informou a Moura que, mesmo após os problemas criados por seus apadrinhados, ele poderá indicar os novos ocupantes das vagas”.

 

De pai para filho

No site Congresso em Foco do domingo foi publicada a seguinte nota: “Nas comemorações deste domingo (13), Dia dos Pais, pelo menos 12 parlamentares serão presenteados por colegas que são, também, seus filhos. É o caso dos senadores Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), Benedito de Lira (PP-AL), Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), Fernando Coelho Bezerra (PSB-PE), Garibaldi Alves (PMDB-RN), João Alberto Souza (PMDB-MA), José Agripino e Vicentinho Alves (PSD-TO). Pais, respectivamente, dos deputados Valadares Filho (PSB-SE), Arthur Lira (PP-AL), Pedro Cunha Lima (PSDB-PB), Fernando Coelho Filho (PSB-PE) – atual ministro de Minas e Energia – , Walter Alves (PMDB-RN), João Marcelo Souza (PMDB-MA), Felipe Maia e Vicentinho Junior (PSD-TO)”.

 

Veja essa...

Pesquisa publicada pelo O Estado de São Paulo, no último domingo, mostra que 94% dos eleitores não se sentem representados pelos políticos que estão no poder. O levantamento, do Instituto Ipsos, confirma a rejeição generalizada dos brasileiros à classe política, independentemente de partidos, e ao atual sistema político-eleitoral, e um dado preocupante: só metade dos entrevistados defende a democracia.

 

 

 

CURTAS

 

O ex-deputado federal Sérgio Reis (PMDB) reafirmou ontem o que o seu pai, o ex-deputado federal Jerônimo Reis (PMDB), já tinha declarado: “A família Reis não vota com o PT em 2018”.

 

Disse ainda Sérgio que os Reis não pensariam duas vezes para votar em Fábio Mitidieri para o Senado e que para o governo o nome é o de Belivaldo Chagas.  

 

Ontem, na tribuna da Assembleia, o deputado Róbson Viana negou que esteja saindo do PEN.“Liderei todo o movimento para organizar o partido em Sergipe, não tenho razões para qualquer mudança. O PEN já conta com 73 Diretórios formados e após nove meses na presidência não temos nenhum motivo para sair até porque o partido está crescendo”.

 

“Estamos trabalhando para a consolidação do nosso partido em 2018 e quero deixar meus companheiros bem tranquilos. Fala-se na filiação ou não de Jair Bolsonaro. Eu confesso que não tenho nada contra a filiação e vou aguardar o comunicado da Executiva Nacional”, frisa Robson.

 

Após descartar a candidatura de Jair Bolsonaro (PSC-RJ) à Presidência da República em 2018, o PSC escolheu o nome do presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, para disputar o cargo pela legenda no próximo ano. Bolsanaro deve se filiar ao PEN, que deve virar Patriotas, e disputar o Planalto.