Homem que jogava celulares em presídio morre em tiroteio

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 17/06/2017 às 00:57:00

A ação rápida de um agente do Grupo de Operações Penitenciárias Especiais (Gope), que estava em uma das guaritas do Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto (Copemcan), evitou a entrada de seis aparelhos de telefones celulares, drogas, bebidas alcóolicas e uma arma na unidade. Na madrugada de anteontem, ao tentar arremessar estes produtos, o homem não foi identificado foi alertado pelo agente que estava na guarita, com um tiro de advertência, e revidou.  Houve o tiroteio e o homem acabou sendo atingido e morreu.

Imediatamente, a direção do Departamento do Sistema Penitenciário (Desipe) comunicou o fato ao Cope (Comando de Operações Policiais Especiais) da Polícia Civil que se deslocou até o local e tomou as primeiras providências. Até o momento, o homem que não portava documentos, não foi identificado. O delegado do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), André David ouviu o agente que lhe contou que em primeiro lugar deu um tiro de advertência para cima. Mas como o meliante atirou contra o agente, ele revidou, iniciando um tiroteio. Todo material foi apreendido pela Polícia Civil.

O delegado André David disse que o servidor da Secretaria de Justiça e Defesa do Consumidor (Sejuc), agiu corretíssimo. “Ele agiu certíssimo. Isso mostra que os servidores estão atentos”, completou. Já o secretário de Justiça e Defesa do Consumidor, Cristiano Barreto, destacou a importância da vigilância nas guaritas das unidades prisionais.  “A atuação deste agente é digna de elogios, ao evitar que um meliante introduza produtos ilícitos na prisão. O acionamento das guaritas é fundamental”, afirmou Cristiano.