Dupla em carro roubado causa tiroteio no Inácio

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A caminhonete havia sido roubada em Lagarto. Foto: Divulgação/SSP
A caminhonete havia sido roubada em Lagarto. Foto: Divulgação/SSP

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 01/06/2017 às 00:06:00

Gabriel Damásio

 

Um tiroteio ocorrido no começo da manhã de ontem assustou quem passava pela Rua das Orquídeas, no Inácio Barbosa (zona sul de Aracaju). Uma equipe do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope) interceptou dois homens em uma caminhonete Toyota Hilux branca, que estava com placas clonadas e foi roubado em 14 de março deste ano na cidade de Lagarto (Centro-Sul). Durante o confronto, em meio a uma perseguição que começou no Conjunto Leite Neto e terminou no Inácio, os suspeitos foram presos em flagrante e um deles acabou atingido por um tiro no pé.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), os detidos foram identificados como Isaías Benedito dos Santos e Ferdinando Nolasco do Nascimento Filho, o ‘Feféu’. O delegado Dernival Elói Tenório, do Cope, que participou do confronto, disse que pelo menos um dos presos, Ferdinando, é ex-presidiário e já respondeu a processos por homicídio, além de já ter sido investigado por alguns roubos de veículos, principalmente caminhonetes, picapes e outros carros de alto padrão. Um dos casos atribuídos a Nolasco Filho é o roubo de uma VW Amarok, levado da porta de uma concessionária na zona sul da capital, assim que foi desembarcado no local por um caminhão cegonha.

Isaías e Ferdinando circulavam pelo bairro Luzia e foram vistos em atitude suspeita pelos policiais do Cope, que decidiram abordá-los quando a Hilux estava na rua em frente à sede da Companhia Estadual de Habitação e Obras Públicas (Cehop), no Conjunto Leite Neto. Foi neste momento em que os suspeitos reagiram disparando tiros contra os agentes do Cope, que revidaram. A lataria da Hilux ficou com cerca de 15 marcas de tiros. Alguns podem ter sido disparados de dentro do veículo, pois durante a revista, foram encontradas várias cápsulas de pistola calibre ponto-40. No entanto, conforme relato dos policiais, duas armas de fogo foram jogados fora pelos acusados durante a perseguição.

Ao entrarem na Rua das Orquídeas, Dernival e seus comandados conseguiram atirar contra três pneus da picape, que estouraram e forçaram a parada do veículo. Ferdinando e Isaías ainda tentaram fugir correndo, mas um dos suspeitos foi baleado no pé e levado a um pronto-socorro, onde foi atendido sem gravidade. Os dois suspeitos e o carro apreendido foram levados à sede do Cope, no Capucho (zona oeste), onde a polícia confirmou as devidas identificações e descobriu que a picape roubada em Lagarto teve sua identificação adulterada. “Eles fizeram um clone da placa e adulteraram a numeração impressa nos vidros, mas o chassi do veículo roubado permaneceu íntegro”, explicou o delegado.

Os policiais apreenderam também um documento falsificado de CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo), no qual estavam os dados clonados de um carro registrado em Propriá (Baixo São Francisco). A dona do Hilux foi roubado foi chamada para prestar depoimento e reconhecer se os dois suspeitos foram ou não os autores do roubo. Um inquérito foi instaurado para apurar se há ligação de Isaías e Ferdinando com outros roubos de veículos. “Vamos investigar também em que eles empregariam esse veículo, tendo em vista que esses veículos de grande porte são usados normalmente em grandes assaltos”, disse Tenório.